Artigo

Regina se Desconstrói

[Regina se Desconstrói ]
11 de Maio de 2020 às 08:38 Por: José Medrado 0comentários

Tenho uma visão, opinião contrária ao ditado que afirma que “a ocasião faz o ladrão”. Não creio nisso. Acredito, isto sim, que a ocasião revela o ladrão. Ou seja, a situação irá revelar verdadeiramente o que a pessoa tem em sua alma (psiquê), bem como em sua persona (máscara), personalidade que o indivíduo apresenta aos outros como sendo a sua, mas que, em verdade, pode ser uma forma muito distinta do que realmente é. Digamos que cada um de nós tem o seu guarda-roupas de personas, a depender da situação e interação social, mas há pessoas que não entendo, pois buscam sustentar uma persona (máscara) que só gera falta de empatia, repúdio.

Assim, penso, tem sido Regina Duarte. Pergunto-me o que faz uma pessoa famosa, querida e admirada, que sustentava o carinho popular com a alcunha de namoradinha do Brasil ser publicamente desrespeitada, humilhada mesmo, e agir como se a situação fosse normal?!  É obrigada a ter em quadros ligados à sua pasta de cultura um cidadão que afirma a escravidão como  “benéfica para os descendentes”, dentre outras, digamos, posições bizarras. Ou saber pela imprensa que o um ex-desligado a seu pedido da sua administração, volta a ser nomeado. Aquele que disse que o rock é gerador de aborto, satanismo...Realmente o quê? E pior: consegue um considerado contingente da sua classe, como mais de quinhentas adesões, que afirma “Regina Duarte não me representa”. Sei que muitos aqui vão estar dizendo: a mamata acabou...para os contrários a ela e outras frases ouvidas e repetida sem base argumentativa factível. Pois é, como se mais nada pudesse desconstruir a sua imagem, ainda sai com a filosofia, na CNN Brasil, diante do questionamento do jornalista de que na ditadura houve tortura: “Na humanidade não para de morrer (gente). Se você falar vida do lado tem a morte. Por quê? Sempre houve tortura”. Ou seja, nessa esteira de argumento poderíamos questionar: Por que prender estupradores? Sempre houve. Homicida? Ô deste Caim e Abel...por favor. 

Grande e absurdo erro achar que cultura se molda à vontade, eleição de quem senta a uma mesa e, com base  em seus valores, determina o que um povo, uma sociedade vai consumir como cultura. Haja vista que ela sempre será espontânea e jamais se reterá o seu fluxo com bases em conceitos de uns.  Houve uma época em que era proibido sambar! Os locais do samba no século 19, eram muito mal vistos, considerados perigosos, sujos, verdadeiros "locais de perdição", e aí?  Você sabia que a capoeira já foi considerada crime, inclusive pelo código penal? Mas que em 15 de julho de 2008 essa mesma capoeira foi instituída como Patrimônio Imaterial da Cultura Brasileira? Pois é. 

“Pode-se enganar a todos por algum tempo; pode-se enganar alguns por todo o tempo; mas não se pode enganar a todos todo o tempo", Abraham Lincoln.


 

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Leia os termos de uso

jusnews

Na Sombra do Poder

PodCast

Mais Lidas