Artigo

A hora e a vez das mulheres

[A hora e a vez das mulheres]
24 de Novembro de 2021 às 07:35 Por: Arquivo Pessoal Por: Leo Varjão*

Em 2018, ano em que ocorreu as últimas eleições para a OAB-BA, registrei em um artigo que já passava da hora dessa importante instituição ter uma mulher na presidência. A primeira vez que trabalhei numa campanha para eleição na Seccional baiana da Ordem dos Advogados do Brasil deparei-me com uma galeria de ex-presidentes sem nenhuma representação feminina. 

Mas, ao que tudo indica, esse quadro vai mudar a partir do próximo triênio, como defendi em 2018. Nesta quarta-feira, dia 24, os advogados baianos vão escolher seus representantes da Ordem. Das quatro chapas em disputa, duas são lideradas por mulheres e, ao que tudo indica, são as que possuem maiores chances de vitória. 

Ana Patrícia Dantas e Daniela Borges simbolizam um processo de mudança necessária, representando a conquista das mulheres de espaços que antes pareciam inatingíveis. E quando focamos numa instituição quase centenária, como a Ordem baiana, esse processo tem um peso ainda maior.
  
A OAB/BA já possui, há tempos, em seus quadros uma composição equilibrada entre homens e mulheres em condições de assumir condignamente a presidência da entidade, e esteve, nos últimos anos, cada vez mais preocupada em debater a presença feminina na advocacia. 

Como filho e pai de advogadas, entendo a importância histórica desse momento para a Ordem dos Advogados do Brasil, que não é uma exceção quando o assunto é pouco espaço para lideranças femininas. Vemos isso nos poderes Executivo, Legislativo e na política como um todo. Vale lembrar que nem a Assembleia Legislativa da Bahia nem a Câmara de Vereadores de Salvador tiveram uma mulher ocupando os cargos de presidente. 

Independentemente de quem alcance a vitória no pleito desta quarta, as conquistas já são evidentes e me comprometo a estar na posse da primeira mulher presidente da OAB da Bahia.

*Assessor de comunicação do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil-Seção do Estado da Bahia (OAB/BA), Saul Quadros, entre os anos de 2007 e 2012, Léo Varjão defende participação das mulheres nas eleições da OAB.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar