Política

"O governo precisa descer do palanque", avalia Cacá Leão sobre Bolsonaro

[
16 de Janeiro de 2019 às 05:00 Por: Márcia Guimarães0comentários

O deputado federal Cacá Leão (PP) assumirá, em 2019, o seu segundo mandato na Câmara dos Deputados. Em entrevista ao BNews, o parlamentar avaliou a sua passagem pela Comissão Mista de Orçamento, a relação com o presidente Jair Bolsonaro (PSL), as matérias importantes que serão tratadas no Congresso Nacional e seus projetos para a nova legislatura. Confira:

BNews - Como foi o seu trabalho como relator do Orçamento de 2018 e quais as perspectivas para 2019?
Cacá Leão -
Pelo critério da Câmara, o deputado não pode participar da Comissão de Orçamento por dois anos seguidos, assim como no Senado. Vou tentar retornar este ano para a Comissão porque me identifiquei bastante, tive a oportunidade de ser relator do Orçamento de 2018 (que foi preparado em 2017 e executado no ano seguinte) e acho que a gente contribuiu muito. Fico muito feliz de poder ver que o ano de 2018 foi fechado com números positivos e que a gente conseguiu ter um crescimento maior do que se projetava, além de conter a inflação e ter um PIB maior do que o projetado. Tudo isso é fruto de trabalho e luta. Nos gratifica bastante ver que o trabalho que a gente fez se transformou em obras e benefícios para a população. 

BNews - Como deve ser o Orçamento de 2020?
Cacá Leão -
O Orçamento de 2020 deve ser arrochado. A gente ainda tem uma perspectiva pequena de crescimento, mas já demos o passo. Vamos aguardar algumas medidas que precisarão ser tomadas pelo novo governo que foi eleito e legitimado pelas urnas. Espero que a gente consiga fazer com que 2020 seja melhor do que 2019 e assim por diante. É para isso que a gente trabalha, para contribuir com a melhora do nosso povo. 

BNews - Quais as consequências orçamentárias do congelamento de gastos por 20 anos?
Cacá Leão -
A questão do congelamento é até uma questão de responsabilidade porque faz com que o governo não se endivide mais, gaste apenas o que arrecada. Então, isso faz com que os índices melhorem e a avaliação do nosso país no mercado internacional tenha um grau mais elevado, mas a gente ainda vai ter um crescimento muito pequeno para 2019. Espero que as coisas caminhem bem e a gente tenha bons frutos para 2020, 2021, 2022...pelo menos que a gente não pare de crescer, mesmo que seja um crescimento lento. 

BNews - Quais as consequências desse crescimento lento?
Cacá Leão -
Quanto menos recursos giram na economia, mais difícil fica a vida do cidadão. A gente tem que fazer com que haja crescimento para que toda a economia gire e, consequentemente, para que todos os caminhos da sociedade sejam beneficiados. Assim, a gente consegue devolver o poder de compra ao povo brasileiro e melhorar a qualidade de vida do nosso cidadão. 

BNews – Como é a sua relação com Bolsonaro?
Cacá Leão -
Eu fui colega dele inclusive de partido. O presidente, enquanto deputado federal era do nosso partido, o PP, depois ele saiu para ser candidato à presidente da República. Nós temos uma boa relação. Acho que o governo está começando. Para mim, é função de comentarista político criticar isso ou aquilo outro. Torço para que o governo dele dê certo. Acho ele bem-intencionado, mas a gente sabe que é preciso colocar quadros qualificados, pessoas que venham a contribuir. 

Ainda nesse primeiro momento, acho que o governo precisa descer do palanque. Ainda está muito forte essa questão da disputa, da ideologia, dessa questão de combate ao PT e à esquerda. Ele precisa lembrar que é presidente de todos e começar um trabalho. Mas a nossa relação pessoal sempre foi muito boa. Nós vamos dialogar, pois somos instrumentos através das urnas. O povo da Bahia nos deu a função de sermos os porta-vozes do Estado da Bahia perante o governo nacional. Nós vamos trabalhar para fazer com não exista nenhum tipo de discriminação, nenhum tipo de preconceito com o povo nordestino, e eu acredito que não vai ter.

BNews - Como você acredita que será a relação do novo presidente da República com o Congresso?
Cacá Leão -
O Congresso teve uma renovação muito grande, houve um recado muito forte nas urnas, são 262 parlamentares novos, mais de 50% de renovação. Isso vai dar cabeças novas, gente nova, refrescar. Temos algumas batalhas importantes que precisam ser vencidas nesse primeiro momento, algumas matérias polêmicas como a reforma da Previdência, que precisa ser discutida. 

BNews - Como deve ser o debate sobre a reforma da Previdência na Câmara?
Cacá Leão -
É preciso construir um trabalho importante para que gere um texto que seja inclusive até unanimidade. A gente tem condição disso. Você vê aqui na Bahia que o governador  Rui Costa, que é do PT, no final do ano teve que fazer a reforma administrativa. Você acha que era da vontade dele fazer isso? Não, não era, mas as contas públicas exigiam que ele aumentasse a contribuição previdenciária do servidor e que cortasse alguns benefícios. Não é por vontade própria, é por dificuldade e falta de condição de pagar mesmo. 

Acho que o novo Congresso tem que ter maturidade para enfrentar esses temas. A gente precisa fazer uma reforma que atinja a todos. Acho que, inclusive, a classe política deve dar o exemplo e ser a primeira a ser colocada na reforma da Previdência, assim como o Judiciário, os militares, servidores públicos... Vamos fazer uma escala de cima para baixo, para que no futuro haja condição das pessoas receberem a sua aposentadoria. É um tema bastante sensível, que precisa ser tratado da forma correta e com diálogo. 

BNews - Quais são as pautas que devem gerar polêmica em 2019?
Cacá Leão –
A Reforma tributária e também a reforma política. Esta última precisa ser pensada olhando para frente, com a unificação das eleições (apenas de quatro em quatro anos) e o aumento da cláusula de barreira, pois é inadmissível que você tenha 30 partidos representados no Congresso Nacional. Precisamos tocar nesses projetos nos próximos quatro anos para o futuro do nosso país. A Câmara dos Deputados precisa fazer a sua parte e dar a sua contribuição.

BNews - Quais os seus projetos para a nova legislatura?
Cacá Leão –
Nos primeiros quatro anos, a gente focou bastante na questão da saúde. Consegui trazer recursos importantes para o nosso estado, com a construção do Hospital Regional da Bacia do Rio Corrente em Santa Maria da Vitória, a ampliação do Hospital do Oeste com a implantação dos serviços de cardiologia e oncologia na região oeste da Bahia, o Hospital Regional de Itaberaba. Entregamos diversas ambulâncias, custeamos a saúde através de emendas parlamentares em diversos municípios do nosso estado. Então, demos uma contribuição muito grande nesses primeiros quatro anos na melhoria da saúde do nosso povo, principalmente nos municípios que a gente representa. 

Esse ano, pretendo focar muito também na educação. Tive a felicidade de levar um campus do Instituto Federal da Bahia para o município de Jaguaquara, para São Desidério, para a Zona da Mata em Camacã. Então, esse será um dos nossos focos: melhorar a qualidade da educação do nosso estado, sem esquecer a nossa saúde, é claro.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Leia os termos de uso

jusnews

Na Sombra do Poder

Eduardo Entrevista

Mais Lidas