Política

Abílio Santana ‘aplaude de pé’ corte em universidades federais e chama PT de 'Partido das Trevas'

[Abílio Santana ‘aplaude de pé’ corte em universidades federais e chama PT de 'Partido das Trevas']
13 de Maio de 2019 às 05:00 Por: Eliezer Santos e Márcia Guimarães0comentários

Polêmico, o deputado federal Abílio Santana (PR) conseguiu conquistar uma cadeira no Congresso Nacional em sua primeira tentativa. Nascido no Recôncavo baiano e familiarizado com o trabalho na roça, ele se mudou para Salvador ainda na juventude e se tornou bacharel em Direito e em Teologia e pastor evangélico. Na Câmara dos Deputados, está focado em “defender a família tradicional”, pois “se a família for destruída, o mundo logo mais não mais existirá”.

Defensor ferrenho do Governo Bolsonaro, ele é a favor do corte orçamentário nas universidades e institutos federais e da reforma da Previdência. Abílio é presidente do PR em Salvador e declara apoio incondicional à gestão do prefeito ACM Neto (DEM), contrariando a composição do diretório estadual que está aliançado com o governador Rui Costa (PT). Ele fala com ojeriza do Partido dos Trabalhadores, legenda à qual se refere como Partido das Trevas. Confira a entrevista:

BNews – Como você avalia os cortes nas universidades e institutos federais promovidos pelo Governo Bolsonaro?
Abílio Santana -
Eu avalio que existem hoje muitos emissários, delegados e agentes do PT lá dentro e eu sou a favor da campanha Escola Sem Partido. Uma vez ele [Bolsonaro] cortando as mentes pensantes, é obvio que ele vai estar cooperando com os alunos. Você quer saber quem são os alunos, observe bem quem são os mestres. Então, estou aplaudindo de pé essa atitude do presidente.

BNews – Quando você fala em cortar as mentes pensantes, as instituições de ensino não formariam cidadãos sem pensamento crítico?
Abílio Santana -
Eu formaria cidadãos que estão falando o que de fato pensam, e não aqueles que estão sofrendo lavagem cerebral.

BNews – Qual a sua opinião sobre a reforma da Previdência e a condução do tema pelo Governo Bolsonaro?
Abílio Santana -
O tema é muito bem-vindo porque ela precisa ser aprovada. Se o presidente não apresenta uma proposta para renovar a Previdência, ele vai estar exercendo o mandato dele em cima de uma Previdência deixada por Lula e Dilma, e onde é que ficam os projetos e promessas de campanha dele? Sem falar na economia de R$ 1 trilhão que o Brasil terá.
Também sou forçado a dizer que sou a favor da reforma, mas com aspas. Um exemplo é a questão da nação da zona rural, pois é de fato uma nação dentro de outra nação. O pessoal da zona rural será extremamente prejudicado, por isso estamos discutindo e eu acredito que o presidente vai engrenar marcha à ré. 

Há alguns pontos que o meu partido, o PR, não é a favor e eu, em fidelidade partidária, também não sou a favor, como: agraciar a classe militar e a alteração nas regras do Benefício de Prestação Continuada (BPC). 

BNews – Por que sugerir um Projeto de Lei que proíbe uso de verba pública em eventos que contenham manifestações de desvalorização, escárnio e discriminação contra religiões ou cultos religiosos?
Abílio Santana -
Eu sou o pai desse projeto que tramita no Congresso e espero em Deus que ele seja aprovado. No Carnaval deste ano, por exemplo, houve objetos sagrados e figuras idolatradas que foram vituperadas em plena avenida. Por exemplo: uma peça que é sagradíssima para os judeus, que é a Arca da Aliança, foi feita uma réplica e vituperada na avenida. Isso é um absurdo! Veio outra escola de samba e colocou Jesus sendo humilhado, apanhando e sendo vencido por Satanás. Jesus Cristo é o símbolo da segunda maior religião do mundo, o Cristianismo, que abrange católicos, evangélicos. Então, quando eu vi isso, eu achei um absurdo. Se quer fazer, faça, mas não com o dinheiro público. Isso aí é uma intolerância religiosa.

BNews – Como está a sua atuação na Vice-Presidência da Frente Evangélica? Qual a importância do grupo?
Abílio Santana -
Nós somos a Frente Parlamentar Evangélica, somos cerca de 120 deputados, a segunda maior frente parlamentar. Somos muito respeitados e ouvidos. Estou no meu primeiro mandato, mas, graças a Deus, fui eleito vice-presidente da frente parlamentar. Temos sentado com alguns ministros, temos um jantar marcado com o presidente da Câmara dos Deputados e agendado um almoço com o presidente Jair Bolsonaro (PSL), que devem acontecer em junho. 

A frente é muito procurada por ter peso, é unida e o que a Diretoria decide, os seus cerca de 120 deputados concordam. O objetivo do grupo é zelar pela família tradicional, pela ética, pela moral e não deixar que os objetos sagrados sejam vituperados. Além disso, somos contra o aborto e contra as drogas.

BNews – Como está o trabalho da Comissão de Direitos Humanos e Minorias?
Abílio Santana -
Como eu sei o que significam direitos humanos, eu não sou tido com bons olhos porque eu sou a favor que o cidadão goze dos seus direitos, e não de privilégios. Eu defendo os direitos e, para mim, direito tem quem direito anda. Agora, alguém querer tornar lei e aplaudir um marginal, isso menospreza aquele cidadão que foi humilhado pelo marginal. Se ele feriu a Constituição, ele não deve ser mais regido por ela, deve ser regido pelo Código Penal. 

BNews - Como vai ficar a posição do PR para as eleições de 2020, com a legenda dividida entre as bases do prefeito ACM Neto e do governador Rui Costa?  

Abílio Santana - Eu sou presidente de fato e, enquanto eu não ferir o estatuto, eu permaneço como presidente do diretório da capital. Falei e reitero. Eu, Abílio Santana, cidadão, sou ACM Neto até debaixo d’água. O PR do diretório de Salvador estará com ACM Neto. Se o estadual não estará, o que eu aconselho é que deva estar, até porque o primeiro mandatário de Salvador, doutor ACM Neto é pré-candidato ao Governo do Estado, isso a mídia já propaga, então eu, particularmente, dou conselho que o PR abrace a candidatura do doutor ACM Neto.

Se o PR apoiar outro candidato, eu deixo bem claro que o PR de Salvador continuará apoiando ACM Neto e o candidato a prefeito, que tudo diz que deve ser Bruno Reis. 

BNews - Bruno Reis é um nome que lhe agrada?

Abílio Santana - Agrada ao extremo. Sou obrigado a dizer que, se Bruno Reis for eleito com diferença de um voto, esse voto foi meu.

BNews – No próximo ano vamos ter um cenário diferente, sem coligação proporcional e isso obriga praticamente todos os partidos a colocarem candidatos a prefeito na rua. Com essa manifestação prévia de apoio a ACM Neto e a Bruno Reis, o PR Salvador abriria mão de ter um candidato?  

Abílio Santana - Já abriu. O meu candidato é o candidato de ACM Neto.

BNews – E como está a sua relação com a direção estadual? É uma relação de divergência clara ou pode haver ainda um entendimento mais para frente?

Abílio Santana – O digno presidente estadual tem o meu respeito. Pra mim é uma mente pensante, para mim é um dos políticos mais dignos de respeito da nossa querida Bahia. O Brasil perde e perde muito, diga-se de passagem, a Bahia perde e perde muito por não ter reelegido [a deputado federal] o querido José Carlos Araújo, que foi um parlamentar que...meu Deus! A maioria não se lembra ou talvez não saiba, mas ele foi o homem que disse sim a Eduardo Cunha estar hoje encarcerado. Porque ele foi o responsável, caiu nas mãos dele, ele era da Comissão de Ética. Um homem digno de respeito. Ele é meu amigo, foi ele que conversou comigo para vir para o PR. A minha questão de apoiar ACM Neto é respeito. 

E outra, todo mundo sabe que eu não gosto, uma coisa minha, e há um porquê. Eu não gosto do PT. Para mim, você pode até publicar aí, para mim PT é partido das trevas. O governador? Digno de respeito, digno de aplauso. Pra mim, o governador foi reeleito com cerca de 70%, mas, se alguém soubesse que era PT, não sei se ele teria essa votação. Foi ele que conseguiu a votação, e não o partido.    

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Leia os termos de uso

jusnews

Na Sombra do Poder

Eduardo Entrevista

Mais Lidas