Saúde

“Todos os pacientes devem seguir alguma dieta”, alerta endocrinologista

[“Todos os pacientes devem seguir alguma dieta”, alerta endocrinologista]
20 de Outubro de 2019 às 05:00 Por: Márcia Guimarães 0comentários

Rotina corrida, estresse, alimentação desregrada, ansiedade, sedentarismo. A soma desses fatores é um dos prováveis motivos para o aumento de 67,8% entre 2006 e 2018 do número de pessoas obesas no Brasil, segundo o Ministério da Saúde.

Os dados apontam que 19,8% da população adulta encontra-se com obesidade no país. Em Salvador, 53% das pessoas estão acima do peso e 19,5% estão obesas. Para explicar o que é obesidade, como evitá-la, os tratamentos e os riscos e benefícios da cirurgia bariátrica, o BNews conversou com o endocrinologista Philippe Arraes.

BNews - O que é obesidade?
Philippe Arraes -
A obesidade é uma doença multifatorial, sendo decorrente de hábitos alimentares ruins, sedentarismo, herança genética, fatores psicológicos, entre outros, que vão favorecer a maior ingesta de calorias e menor tendência ao gasto energético, levando ao acúmulo de gordura no corpo.

BNews - Quando a pessoa é considerada obesa? 
Philippe Arraes -
Para definir obesidade, nós usamos o Índice de Massa Corporal (IMC) - calculado dividindo o peso pela altura elevada ao quadrado. O IMC entre 25 e 29.9 é considerado sobrepeso. A partir do IMC de 30 é obesidade, que ainda pode ser estratificada por graus: Grau I (IMC 30-34.9), Grau II (IMC 35 - 39.9) e Grau III (IMC 40 em diante).

BNews - Quais os perigos desta doença? Quais enfermidades ela acarreta?
Philippe Arraes –
Hoje, a obesidade está diretamente relacionada a várias doenças como hipertensão, Diabetes tipo 2, colesterol elevado, apneia do sono, artrose, entre outras. Também aumenta a chance de a pessoa desenvolver alguns tipos de câncer, como o intestinal. Além disso, causa aumento da mortalidade por doenças cardiovasculares (infarto, acidente vascular cerebral).

BNews - Como evitá-la?
Philippe Arraes -
Mantendo hábitos de vida balanceados. Seguir uma alimentação balanceada, evitando excesso de calorias, alimentos processados, ricos em gorduras ruins e carboidratos, e praticar atividade física são fundamentais. Também é importante dormir bem, controlar o estresse e evitar excesso de bebidas alcoólicas.

BNews - O que fazer quando a pessoa tem família obesa de ambos os lados e já está obesa?
Philippe Arraes -
Nesses casos manter hábitos saudáveis é fundamental. Se o paciente já se encontra obeso, deve procurar atendimento profissional (médico, nutricionista, psicólogo), pois serão necessárias intervenções mais precisas, avaliar a existência de outras doenças associadas e até mesmo o uso de medicações.

BNews - Quando a pessoa já está obesa e não consegue fazer dieta e exercícios (seja por falta de vontade ou dores), qual o caminho?
Philippe Arraes -
A questão da dieta é fundamental. Todos os pacientes devem seguir alguma dieta, não existe tratamento de obesidade sem dieta. Alguns pacientes já apresentam doenças articulares que impossibilitam a prática de atividade física. Caso não estejam apresentando perda de peso satisfatória com a dieta, pode-se propor a cirurgia bariátrica, mas lembrando que, mesmo com a bariátrica, o paciente terá que seguir uma dieta.

BNews - Quais os tipos de cirurgia bariátrica? Quais os seus riscos e vantagens? 
Philippe Arraes -
As cirurgias bariátricas mais praticadas hoje no Brasil são o Y de Roux, em que se reduz o estômago e muda a posição do intestino delgado, e a Gastrectomia Vertical, na qual se retira grande parte do estômago. Ambas são eficientes para perda de peso, proporcionando uma grande perda de peso, principalmente no primeiro ano. A cirurgia metabólica, que também está associada ao controle do Diabetes tipo 2, também é indicada para pacientes obesos com dificuldade de controle do Diabetes. 

Como toda cirurgia, tem os riscos inerentes ao procedimento cirúrgico e anestésico, mas são raros. Como se tratam de procedimentos que mudam a anatomia do estômago e intestino, podem provocar a má absorção de vitaminas e nutrientes, sendo os principais ferro, cálcio, vitamina B12 e vitamina D, podendo causar anemia, neuropatia e osteoporose.

BNews - Quem não tem plano de saúde, como pode tratar a obesidade?
Philippe Arraes -
Existem centros para o tratamento da obesidade pelo SUS, que oferecem acompanhamento com endocrinologista e nutricionista, também sendo disponibilizada a cirurgia bariátrica para pacientes que preencham os critérios. 

Para os pacientes com sobrepeso, alguns postos de saúde disponibilizam o serviço de nutricionista. Mas lembrando que, para prática de exercícios e dieta, não é necessário plano de saúde.
 

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Leia os termos de uso

jusnews

Na Sombra do Poder

PodCast

Mais Lidas