Eleições 2020

Nome do PT para disputar Prefeitura, Major Denice evita o embate partidário e abre portas para novos aliados

[Nome do PT para disputar Prefeitura, Major Denice evita o embate partidário e abre portas para novos aliados]
25 de Agosto de 2020 às 13:00 Por: Luiz Felipe Fernandez 0comentários

Major Denice Santiago, pré-candidato do PT à prefeitura de Salvador, rechaçou a possibilidade de compor alguma chapa como vice mesmo após aparecer de forma discreta nas pesquisas de intenções de voto. Apesar disso, em entrevista ao quadro Panorama Eleições 2020, a major se mostrou receptiva à adesão de novos partidos à base de apoio, como seria o caso do Republicanos, que nas últimas semanas viu a relação com o DEM em Salvador ficar estremecida, após a confirmação do PDT na chapa com Bruno Reis.

Confira a entrevista:

BNEWS: Obrigado por aceitar o convite, queria primeiramente que a sra. falasse um pouco das suas propostas para a Prefeitura de Salvador.

Major Denice: A gente tá construindo junto o nosso plano de governo participativo, já dialogamos com mais de 3 mil pessoas em eventos digitais já que este é o nosso novo normal. A Covid nos afastou fisicamente, mas de alguma sorte nos ensinou uma nova forma de construir nossa militância, a militância do Partido dos Trabalhadores é aquela coisa apaixonada, belíssima, estamos construindo nossas novas ruas, nosso plano de governo participativo foi pensado e elaborado a partir de uma plataforma digital, que demos um nome bonito e romântico, 'Salvador Mãe de Todos'. Nossa proposta é isso, evitar que nossa militância, pessoas que queiram fortalecer o nosso programa participativo, saiam de suas casa. A gente entende que isolamento social é o melhor formato, até aqui o que a ciência nos trouxe como correto, este é o procedimento, a partir do salvadormãedetodos.com.br recebemos proposta de diversos aspectos, mais de 10 campos de atuação, saneamento, habitação, saúde, políticas públicas para mulheres, pessoas com deficiência e também políticas de enfrentamento ao coronavírus, que em 2021 tem q ser uma pauta da prefeita ou prefeito desta cidade, a construção está belíssima, todas as vezes que leio o projeto maior que não está condensado, validado, me emociono, poxa queria morar nessa cidade ai que vai construir todas essas coisas.


BNEWS: Hoje o seu principal adversário seria o antigo vice-prefeito Bruno Reis e do partido que hoje faz mais oposição ao PT localmente. O que a sra. traz de novo como proposta, primeiramente na economia, que se diferencia da gestão de ACM Neto, e também no transporte municipal, muitas vezes criticado pela relação com os empresários do setor?

Major Denice:  Nosso foco de atuação é em ações e projetos e atividades que melhorem definitivamente a vida das pessoas. Salvador é a cidade da informalidade, mas com sua criatividade em cada esquina você vê ali um empreendedor surgir, mas na informalidade. Salvador tem sua economia pautada em serviços e turismo, e estão correlacionados. Os dois sofreram impactos imediatos com a pandemia e a recuperação vai ser mais lenta do que outros pontos. A nossa proposta é sempre pautar as ações na economia solidária e criativa, e potencializar outras questões de turismo que salvador ainda não explorou. Turismo náutico, a Baía-de-todos-os-Santos que é belíssima e ainda não foi explorada devidamente, se pensar também que temos aqui na nossa cidade o primeiro posto de petróleo do país que nunca foi explorado enquanto ponto. Salvador tem uma história que está viva ainda, diferente de algumas capitais que destruíram o seu acervo histórico [...] Temos uma ideia magnífica de criação de grandes galpões, espaço para empreendedorismo, ensinar audiovisual que está sendo tão bem utilizado a partir das novas tecnologias, estamos pautando reuniões,e encontros e atividades, congressos, através do audiovisual. podemos trazer para um grande centro e se tornar uma grande fábrica de empreendedores e cultura.

Sobre transporte, vamos pensar em uma árvore, grande e frondosa. Ela tem seu tronco muito largo, que vai ligar do chão à copa da árvore, de lá vão sair galhos um pouco mais finos e da ponta destes, galhos ainda mais finos. Este grande tronco são os grandes transporte em massa, metrô, BRT, VLT, que vão estar cruzando toda a cidade, o VLT mesmo vai pegar toda a orla do subúrbio que é uma das orlas mais bonitas da cidade, diria até do Brasil. E de lá vão sair o galhos mais ou menos grossos, que são as linhas de transporte coletivo, os ônibus, e a partir deles os mais finos que são os transportes que chegam às casas das pessoas, naquele beco, naquela rua menor. Pra gente melhorar este caule grosso deve estar funcionando plenamente e estarem devidamente interligado com os outros transportes. A gente não pode ter um metrô que vem do aeroporto para a lapa e ter uma linha de ônibus que faça o mesmo trajeto. É desnecessário é algo que faz a gente ter mais trabalho e sobreposição de linhas, que é um ponto complexo no transporte coletivo. O metrô se consagrou na nossa população que sabe e o utiliza, mas precisamos agora terminar estes pequenos ajustes do caule grande para os mais finos e isso vai melhorar o transporte coletivo na nossa cidade.


BNEWS: - Muitas pessoas discordam da pluralidade de candidatos da base do governador Rui Costa, que tem Olívia Santana, o pastor Isidório. Pessoalmente, acha que foi uma decisão acertada e, em eventual segundo turno, acha que isso pode te fortalecer?

Major Denice: Pessoalmente, eu sou extremamente a favor da democracia. Quando digo isso quero dizer que respeito o posicionamento, postura e decisões dos demais partidos políticos. Nosso partido traz isso como marca, uma das grandes assinaturas do partido dos trabalhadores, a maneira democrática como interage e reúne suas forças. Estamos dialogando esta semana temos diversos processos agendados, estamos dialogando com partidos da base mas respeitando autonomia e processo de escolha. A estratégia do partido é de que tenhamos 3 candidaturas de esquerda ou da base aliada, melhor dizendo, mas não seremos nós a impedir que os partidos que entendam que devam estar lançando o nome dos seus ou suas pré-candidatos ou candidatas, que o façam tá bom? Uma estratégia que adotamos e  tempo vai dizer se foi acertada ou não. Na minha visão política, é uma boa estratégia que nos levará. Mas caso exista um segundo turno, que o PT não ganhe já no primeiro turno, essa base aliada, consolidada que reelegeu de forma avassaladora o nosso governador, vai estar junto conosco marchando para a vitória pela primeira vez o nosso partido vai ta frente da prefeitura de salvador.


BNEWS: Existe ainda alguma chance de em um futuro próximo a senhora aceitar a compor a chapa de uma outra candidatura da base?

Major Denice: O Partido dos Trabalhadores me escolheu a partir de um processo democrático interno para ser candidata a prefeita desta cidade e é isto que estamos tocando.


BNEWS: Nos últimos dias, a gente tem visto algumas mudanças no cenário, o Republicanos deu uma estremecida com o DEM. Eventualmente se houvesse uma aproximação do partido com a base de Rui, a sra. consideraria ter esse apoio? Como enxerga este movimento?

Major Denice: Acredito que os partidos que somarem ao nosso projeto político serão muito bem vindos, o Republicanos tem políticos muito valiosos em nosso estado, estivesse conosco nessa caminhada, também seriam muito bem vindos ao nosso projeto. Significaria que eles entenderam a proposta que estamos construindo ao lado de tantos e de todas, para que possamos levar o melhor para esta cidade.


BNEWS: Muitas pessoas que se colocam como "de esquerda" observam que pautas como segurança pública ficaram nas "mãos" do outro espectro político, que seria a direita. Como a sra. pretende se apresentar como uma candidata de esquerda do PT, mas trazendo consigo a bandeira da segurança pública por ter uma atuação como Policial Militar? O presidente Jair Bolsonaro tem como parte dos seus apoiadores, policiais militares. Acha que pode representar os PM's da cidade, confia que terá o apoio deles?

Major Denice: Sou uma trabalhadora da segurança pública, estando eu no PT estou no meu lugar. Passei 30 anos naquela corporação, que muito me orgulho de ter vivido, de ter tido a minha vida de alguma sorte complementada a partir das minhas relações, entendimento naquela corporação. A PM da bahia tem uma história belíssima e me ensinou muito. A ronda maria da Penha coconstruída por mim é um exemplo de gestã para todo o país. Somos uma tropa de referência nacional no enfrentamento da violência doméstica contra a mulher. Dentro da PM poderão sim existir PM's de direito, esquerda, centro, pq são cidadãos, tem todo o direito de escolha e de posicionamento político. Dentro da corporação terão aqueles que serão meus eleitores direto e os que não, é só um extrato da sociedade, quem dera que a minha corporação fosse unânime, nem iria gostar, pq toda unanimidade é burra [...] Segurança pública é dever do estado, todos devem participar, claro, mas ela é dever institucional do estado, que vai gerir as tropas, instituições, entretanto a previsão e enfrentamento a violência é dever e está no município com cada um de nós. É no município onde temos que melhorar educação, acesso a cultura, emprego, renda, à juventude a esportes, escola de tempo integral tem mudança significativa na vida da juventude, na prefeitura que está a iluminação pública na cidade, que se falha facilita a ocorrência de crimes. Aprendi em 30 anos da corporação que enfrentar a violência e nos últimos anos na Ronda Maria da Penha, não podemos potencializar nossas ações para o pós-delito, e nós temos que atuar para que este delito sequer aconteça. Não ocorrendo o delito, as tropas de segurança pública não precisarão atuar, não serão tão demandadas e podemos pegar esses recursos e cuidar da vida das pessoas.


BNEWS: Em 2018, no segundo turno das eleição presidencial, o prefeito ACM Neto declarou que era contra o PT, em um apoio crítico ao então candidato Jair Bolsonaro. Lembrar essa associação do DEM com Bolsonaro pode ser uma estratégia na eleição?

Major Denice: A gente não precisa lembrar ninguém, isto está posto, o DEM está na base aliada do nosso presidente da República. O prefeito ACM Neto não será ,meu adversário nessas eleições, ele está deixando e estaremos concorrendo com vários outros candidatos. Esta política de asseverar os discursos que vão conflitar com alguém não é o que estamos propondo agora. Não é isso que nós queremos, estamos trazendo nova forma de pensar, a Covid já nos adoeceu demais, não é um período que vou asseverar, falar de pessoas, vamos debater e discutir propostas, projetos políticos, assim que a gente de minha cidade via me ouvir falar, não necessariamente algumas questões político-partidárias que não nos ajudarão na construção dessa nova Salvador, tão necessária a partir de 1° de janeiro.


BNEWS: Como mulher negra, qual avaliação que a sra. faz da participação feminina e de negros na política baiana, no sentido de cargos. Se for eleita pretende ter em secretarias mulheres e negros, não somente nas pastas segmentadas?

Major Denice: Salvador tem 471 anos e jamais elegeu uma pessoa negra como seu prefeito ou prefeita, jamais. TIvemos um prefeito biônico, professor Edvaldo Britto, mas não tivemos uma pessoa eleita. Isso nos demarca de como dois pilares que sustentam nossa sociedade são complexas. Um é o pilar do patriarcado que traz essa doença que é o machismo, o outro é o racismo. A proposta que eu trago é de retirar estes dois pilares e substitua por outros: da justiça e da igualdade. Neste momento pensar em igualdade é pensar em equidade, tratar os diferentes na medida de suas diferenças. A análise é muito simples: é só olhar uma foto de alguns espaços de poder, representados ali por seus times de primeiro segundo escalão e vejam onde estamos neste processo. Nesta cidade temos homens e mulheres negras plenamente capazes de atuar em lideranças e secretários. Esta cidade tem intelectuais femininas maravilhosas na sua atuação profissional. Se você associar os dois pilares, uma mulher negra terá muito menor protagonismo nesses espaços. O que trago como compromisso é a paridade de raça e gênero no secretariado a partir de 2021. É imprescindível que nossos meninos e meninas de nossa cidade e olhem pros espaços de poder e se reconheçam, que possam sonhar e imaginar ali também é o meu lugar. Isso não é apenas um resgate histórico cultural, é congruência, é dizer que o que eu penso, o que eu faço e falo serão sempre as mesmas coisas. Não posso demarcar a substituição de dois pilares tão perversos como o machismo, patriarcado e racismo, se não começar a pensar a partir de casa.


BNEWS: Existe a possibilidade da vaga de vice na chapa de PT ser ocupada por uma mulher?

Major Denice: Eu avalio como tão positivo esse cenário...acho tão lindo. Mas o que mais me emociona a articular junto com o meu partido, presidente Ademário, Éden, Fábya Reys, é trazer uma pessoa que se encaixe ao nosso projeto político e não perca a sua essência. Quando eu penso apenas em uma chapa feminina, eu reduzo as possibilidades de encontrar essa pessoa, fazer esse par que seja mais forte e concreto para nosso projeto político. Seria lindo se fosse, uma chapa forte e feminina, ainda mais pra mim, mas isso é limitar e não fazemos o que fizeram conosco. Vamos trazer uma pessoa que melhor se encaixe e esteja para somar e construir conosco.


BNEWS: E a senhora poderia entregar alguns dos nomes que têm sido avaliado?

Não, eu respeito muito a autonomia dos partidos, o discurso, a construção interna de cada partido. Te garanto que a candidata a prefeita será Major Denice.


BNEWS: Você tem um mestrado que fala da atuação da Polícia Militar. Queria que falasse um pouco do desafio de ser uma mulher na corporação e qual a importância de se fazer esta autocrítica dentro da instituição?

Major Denice: Sou a primeira mulher a entrar na Polícia Militar, entrei em 1990 , fiz concurso em 1989. Durante 165 anos esta corporação viveu apenas com homens em seus quadros, a corporação é formada pelas mesmas pessoas que vivem fora dela, na sociedade. Se nossa sociedade é discriminatória, machista, dentro da nossa corporação teremos a parcela em igual teor [...] Quando você encontra uma médica cirurgiã, ninguém fica assim "será que essa mulher sabe usar bisturi?". Mas no início da carreira, na sociedade encontrava alguém, se questionada "será que ela sabe usar essa arma mesmo?". No imaginário, a Polícia Militar está atrelada a força, poder, e que gênero em nossa mente vem quando pensa em força e poder? masculino. mas pra mim o papel constitucional das polícias militares é a preservação da ordem pública através do policiamento ostensivo fardado, preservação. Cuidar, proteger, educar, prevenir. Que gênero está relacionado a esses adjetivos? Eu falo sempre que a PM é muito mais feminina na sua atuação doq ue masculina. A força é o último recurso. Quando decido estudar a discriminação racial na atividade policial, estou fazendo um trabalho de amor a esta corporação. Como posso amar tanto o exercício da minha profissão e questionar alguns pontos que ela traz? Por isso precisamos fazer a autocrítica, para que esta corporação faça este movimento de correção, de monitoramento, avaliação das suas práticas, reformulação das suas técnicas, para que sobreviva a isso, porque estamos fadados a acabar sendo penalizados por algo que a gente pode modificar em nossas atuações, se nós estamos trazendo culturalmente uma carga complexa na atuação profissional, é hora de mudar. 


BNEWS: Estamos vivendo no meio de uma pandemia. Em Salvador foi elogiada a sintonia do prefeito ACM Neto e do governador Rui Costa. Ao mesmo tempo vemos uma pressão grande sofrida pelos dois. O deputado Bacelar, por exemplo, argumentou que deveria ter sido feito um lockdown logo no início e que teria sido um erro da Prefeitura.  Como você avalia a gestão de ACM Neto no enfrentamento à doença?

Major Denice: Eu avalio como positiva a atuação do prefeito em específico esta sintonia com o governo do Estado. Embora pareça que algumas ações como estas de lockdown, confinamento, de imediato, possam ser um recurso que se pode usar de primeira mão, esta é uma construção cultural. Da mesma forma que Rui trouxe gradativamente a imposição de algumas restrições às vidas das pessoas, e estas ações foram ajudando a nossa população a ter um entendimento da pandemia. Se no primeiro momento a gente impor à sociedade uma atuação tão restritiva, estaríamos fadados a ter índices muito piores hoje. Avalio a atuação do governador primorosa neste fio do condutor, fez o que o Governo Federal deveria ter feito e não fez. Foi um grande líder neste processo e o prefeito entendeu a lógica de atuação e também ajudou muito Salvador, os números estão demonstrando [...] Infelizmente esta cidade demarcada por tantas desigualdades sociais, faz com que sequer as pessoas tenham uma casa para estarem confinadas, moram 5,6,7 pessoas, entre elas crianças afastada do convívio educacional, uma mãe que deixou de receber recursos, como falar pra essas pessoas que devem estar confinadas? Aí você traz como solução o auxílio emergencial, destinado a apenas um banco, e essas pessoas como iam ficar confinadas se precisam estar se aglomerando em uma fila? Expondo a vida delas para terem um pouco de dignidade, a gente precisa avaliar e não copiar formatos.
 

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Leia os termos de uso

jusnews

Na Sombra do Poder

PodCast

Mais Lidas