Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Eleições 2020

Panorama Eleições: Bacelar critica "arrocho fiscal" da gestão Neto e diz que se eleito foco será cuidar de gente

[Panorama Eleições: Bacelar critica "arrocho fiscal" da gestão Neto e diz que se eleito foco será cuidar de gente ]
13 de Outubro de 2020 às 10:47 Por: Pedro Vilas Boas e Marcio Smith

O candidato a prefeito de Salvador e deputado federal, Bacelar (Podemos), destacou em entrevista ao BNews, que caso seja eleito irá implementar mais policlínicas em Salvador em parceria com o governador Rui Costa (PT) e prometeu um foco maior aos bairros da cidade. 

Representante da coligação Salvador dos Bairros é Salvador de Todos (Podemos, Rede Sustentabilidade e PTC), Bacelar criticou o "arrocho fiscal" da gestão ACM Neto e a atuação da prefeitura na gestão da Educação municipal durante à pandemia do novo coronavírus.

Além disso, o deputado ressaltou seu plano de governo e garantiu que sua gestão terá foco em cuidar de pessoas. Bacelar classificou a Guarda Civil Municipal (GCM) como "centro do racismo" em Salvador durante a gestão de Neto.

O candidato à prefeitura de Salvador foi o primeiro entrevistado no programa Panorama Eleições 2020, em formato de live no perfil do BNews no Instagram, nesta segunda-feira (12). A ordem das entrevistas foi definida através de sorteio com as assessorias dos candidatos. Todas as lives serão realizadas às 17h e terão duração de, no máximo 30 minutos, uma pergunta padrão será feita a todos os candidatos.  

Leia a entrevista na íntegra:

BNews: Qual proposta de seu plano de governo o senhor destacaria como uma prioridade para a cidade?

Bacelar: O plano é bem vasto, eu consegui formar uma das melhores e mais competentes equipes para cuidar desse plano. O consultor principal desse plano é o colombiano Jorge Melguizo, o homem que conseguiu transformar Medellín de capital da cocaína para uma cidade da paz e da turismo.

O que é o grande problema da cidade de Salvador? É a desigualdade social. Então, a minha bandeira maior é dar atenção a quem mais  precisa. E quem mais precisa nesta cidade? Primeiro, as mulheres. Nós temos, na cidade, um milhão de mulheres que são chefes-solos de sua família, isso é, mulheres que não tem ajuda de um companheiro ou de uma companheira para tomar conta da família. São mulheres muito jovens, negras, geralmente tem de três a cinco filhos. A nossa primeira grande preocupação será com as mulheres de Salvador.

O segundo segmento da cidade soteropolitana que mais precisa da atenção da prefeitura é a juventude, principalmente a juventude negra que sofre um genocídio nesta cidade. Uma juventude que não tem acesso a edução, ao trabalho e ao lazer. O terceiro ponto, eu chamaria atenção para os idosos. Salvador é uma cidade que o perfil da população vem mudando, estamos deixando de ser uma cidade de jovem para ser uma cidade de idosos, precisamos ter políticas públicas direcionadas a esse segmento.

Um quarto segmento seria a população LGBTQIA+ ( Lésbicas, Gays, Bi, Trans, Queer, Intersexo, Assexuais, Pan e mais), que é um segmento da população desprezado pelo poder público e vítima da violência. Finalmente, os negros. Essa é uma cidade que 85% da população se autodeclara negra ou parda, então a atenção maior da prefeitura tem que ser direcionada a esse segmento. Seriam essas as cinco preocupações que fortaleceriam o nosso plano, um plano baseado em governar para quem mais precisa.

Segundo, transparência nos gastos, fazer uma administração participativa, descentralizada, com eleição para as subprefeituras e com orçamento participativo. A terceira diretriz desse nosso programa, além de governar para quem mais precisa e dar atenção para transparência, é governar para os bairros. As pessoas moram nos bairros, e infelizmente, as administrações que passaram deram as costas para os bairros, administram para o centro, para aquele miolo que eu chamo de ilha da fantasia, onde temos padrões de consumo maiores que o da Europa, que é onde estão os empregos, onde estão os equipamentos culturais e educacionais. Uma cidade aprazível rodeada de muita miséria. 

Outro grande norte para o nosso programa é a Educação. A Educação como espinha dorsal do nosso programa. A população da cidade precisa ter consciência que sem educação de qualidade nós não teremos emprego, renda e desenvolvimento. Só com educação de qualidade poderemos dar um grande salto nesta cidade.

BNews: Em maio, o IBGE apontou que Salvador é a segunda capital com maior número de desempregados e desocupados, acrescente a isso os efeitos da pandemia do novo coronavírus. Caso eleito, como irá atuar nesta área?

Bacelar: Temos aí dois patamares de problema. Um é estrutural que já vem de algum tempo, o que explica uma cidade cuja imagem está associada a beleza, a cultura, a alegria, o que justifica essa cidade ser tão pobre? A culpa não é do seu povo, é do seus dirigentes.

O que é prefeito ACM Neto (DEM) que explica Recife e Fortaleza estarem com mais investimento na construção civil, que gera empregos e desenvolvimento, do que Salvador? Olha essa cidade e vê se você acha algum guindaste. Salvador perdeu posições para Recife e Fortaleza. Não estou aqui me referindo a capitais ricas, não estou me referindo a capitais do Sul do país, eu estou me referindo a Salvador e dando como exemplo Recife e Fortaleza. As duas cidades se desenvolveram muito nestes últimos oito anos, e Salvador regrediu.

O que eu vou fazer a partir de primeiro de janeiro, nós vamos encontrar uma cidade que já é a capital do desemprego, com mais desemprego ainda. Eu vou apresentar aqui projetos que vão gerar 50 mil empregos em Salvador. A minha proposta é que a partir de janeiro, a Prefeitura lidere esse processo de contratação de 50 mil empregos temporários para fazer frente a devastação que a pandemia está fazendo na nossa economia.

Como serão esses empregos? Serão para frentes de trabalho em serviços públicos de manutenção, aquelas ações que empregam muita gente e não requerem alta complexidade (pintar meio-fio e podar grama de praças, por exemplo). Outra frente de trabalho é a Economia do cuidado, nós temos hoje na sociedade moderna, os cuidadores (de criança, idoso e enfermos).

Nós vamos abrir frentes de cuidadores, vamos recrutar este pessoal nas comunidades, e vamos dar a população de baixa renda cuidadores de idosos e crianças. Vamos criar as frentes de trabalho de primeiro emprego. Pegar aquele jovem que está entre 18 e 25 anos, analfabeto funcional e sem emprego, nós vamos dar reforço escolar e o primeiro emprego. Com toda certeza com essas medidas junto ao entendimento com o setor comercial e empresarial, nós vamos vencer os grandes desafios.

BNews: Pesquisa Ibope divulgada neste mês, mostrou que o mais preocupa a população de Salvador é a Saúde. O que é mais grave, em sua avaliação, que Salvador tem nessa área e como pretende resolver este problema?

Bacelar: Eu vou buscar resumir em duas ou três medidas que vou tomar na área da Saúde dentro de 30. Nós vamos encontrar uma demanda reprimida na área, durante esses meses, a prefeitura, e justiça seja feita, deveria ter sido isso mesmo, a medida que o prefeito tomou foi acertada, deu prioridade total as vítimas do coronavírus e isso represou a demanda para outras áreas da Saúde.

Para evitar filas, para evitar que pessoas morram esperando, nós vamos instituir o terceiro turno na rede municipal de Saúde. Outra medida, o governo Rui Costa (PT) tem um projeto na área que é referência mundial, que são as policlínicas, e Salvador com a atual administração só tem duas. 

Eu conversei hoje [nesta segunda-feira (12) quando a entrevista foi realizada] com o governador, e ele me garantiu que tem condições de implantar sete policlínicas em Salvador, mais cinco unidades. Eu já discuti, uma deve ficar na região entre a Boca do Rio e Itapuã, outra entre o Nordeste de Amaralina e Federação/Rio Vermelho, mais uma atendendo o miolo da cidade, aquela região de Pernambués, Cabula e podendo chegar até Pirajá.

Com essas cinco policlínicas a mais, nós vamos atender toda demanda da área da Saúde por exame, inclusive os de alta complexidade. Você que está assistindo imagine, uma tomografia, uma ressonância, quando você chegar na policlínica será atendido. Outro ponto é que a atual administração esvaziou o Sistema Único de Saúde (SUS), eu vou aumentar a participação do município em mais de 25% dos recursos do SUS.

BNews: O que o senhor pensa em fazer para o terceiro setor [responsável por um conjunto de atividades voluntárias desenvolvidas em favor da sociedade, por organizações privadas não governamentais e sem o objetivo de lucro, independentemente dos demais setores (Estado e mercado)]? 

Bacelar: Será um governo revolucionário do ponto de vista de participação popular. O povo não será só um objeto da ação, ele vai formular, participar e discutir. Toda e qualquer obra terá o bairro como objeto central e a obra será discutida em assembleias rápidas e com resolutividade. As Organizações não Governamentais (ONGs) serão nossas grandes parceiras, eu pretendo implantar cerca de 20 rodas de capoeira em diversos bairros da cidade.

O turista chega em Salvador e não encontra, o esportista que quer conhecer os fundamentos da capoeira procura um lugar na terra da capoeira e não encontra. Nós vamos criar as rodas que serão administradas pelas ONGs da capoeira. Sempre chamaremos o terceiro setor como parceiro.

BNews: Em seu plano de governo na área de Segurança, existe um projeto de acompanhamento a mulheres vítimas de violência doméstica no âmbito municipal, a gente tem um projeto assim no âmbito estadual que é a ronda Maria da Penha. Como seria esse projeto no plano municipal?

Bacelar: Nós vamos reformular toda Guarda Civil Municipal (GCM). Como é que a GCM se caracterizou nesses oito anos da atual administração? Como um veículo de intimidação e violência, como um centro do racismo institucional do município. Nós vamos aumentar o efetivo, vamos valorizar o guarda municipal, treinar e mudar a atuação.

Guarda municipal não baterá mais em ninguém, nossa guarda será transformada em prefeitos de rua. Cada guarda terá sob sua responsabilidade um número X de ruas, eles vão online dizer ao secretário se o caminhão do lixo passou na hora correta, se a ordem de serviço que a prefeitura deu para execução de uma obra no bairro foi executada. Eles deixarão de ser instrumentos de violência e serão olhos e ouvidos do prefeito.

Eu vou buscar uma atenção individualizada a cada cidadão, nós não vamos fazer esses pacotes que são bonitos para horário eleitoral e propaganda excessiva que a prefeitura faz. Nós vamos usar isso para atender o cidadão. 

Nós vamos implantar a escola técnica municipal que servirá para formação de mão de obra de jovens e servirá para requalificação, dentre outros com uma parceria com o Sistema S (composto por nove instituições prestadoras de serviços que são administradas de forma independente por federações e confederações empresariais dos principais setores da economia).

BNews: Caso eleito, qual o planejamento para a volta às aulas?

Bacelar: No dia 17 de março quando surgiram as primeiras mortes, o prefeito de Salvador suspendeu de forma atrapalhada as aulas da rede municipal. Tudo bem, ele não se preparou, ele não planejou, pode dizer que foi surpresa, apesar de não ser surpresa nenhuma já que desde dezembro, a gente sabia do novo coronavírus no mundo. Sabe o que é pior? Não estão planejando o retorno.

A Educação tem sido o setor que mais tem sofrido com a pandemia, foi o primeiro a suspender as atividades e será o último a retornar. A volta às aulas é importante, mas eu não vou colocar vidas em risco. Eu não sei quando voltaremos às aulas, hoje eu não tenho condição de responder, mas quero dar algumas dicas para o prefeito.

Para voltar as aulas, temos que saber se a pandemia no âmbito daquela unidade escolar está controlada. Se a rede pública de Saúde no entorno da escola tem capacidade para um possível aumento de demanda. E na área sanitária, se temos capacidade de testagem, testar todos os alunos, professores e seus familiares. Se essas premissas forem atendidas, nós iremos para área da Educação. 

As nossas escolas e a infraestrutura física, tem escola que não tem pia para as crianças lavarem as mãos. Uma unidade dessas não pode ter retorno. Não podemos ter turmas com mais de 30 alunos, temos professores o suficiente para divisão de turmas? São medidas que precisam ser tomadas agora. Infelizmente, na área da Educação não tem tido planejamento.

BNews: O que o senhor acha da realização de um debate entre os candidatos, feito por vocês, devido aos cancelamentos que ocorreram?

Bacelar: A minha equipe já tinha proposto isso ao PT, de fazermos via YouTube, Instagram. O debate é fundamental para o eleitor e para esclarecer dúvidas da população. NÃO ter debate é uma atitude antidemocrática. Televisão é uma concessão pública, nós não podemos admitir que emissoras estejam jogando para não realizar debate e favorecer determinado candidato.

Eu estou a disposição para debater, seja de casa, no meio da rua ou na Arena Fonte Nova. A cidade de Salvador e a população ficam muito prejudicada sem os debates.

BNews: Com as saídas do PL e do PDT da base do governador e a indicação de Rui Costa que mudanças acontecerão, o senhor espera que o Podemos aumente a "fatia", atualmente o partido está no comando da Agência Estadual de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab)?

Bacelar: Político e partido político buscam sempre um espaço maior no governo, eu, com minha vontade, o governador não esperava a eleição, mas na hora que o governador convocar, nós temos bons quadros para apresentar. O governador é o senhor do tempo e um grande administrador, ele sabe conduzir esse estado e no momento certo, irá nos chamar.

BNews: Qual sua opinião sobre a pulverização de candidaturas na base do governador Rui Costa?

Bacelar: A pulverização é da democracia. Nós, os partidos da base, somos uma base ampla e diversa. Isso se reflete nas candidaturas, o governador não iria podar ninguém, isto é antidemocrático.Nós vamos garantir um segundo turno, terá segundo turno em Salvador. Eu espero que sejam entre dois candidatos da base do governador.

BNews: Caso eleito, qual a proposta para o pagamento de tributos no ano que vem, levando em conta os efeitos da pandemia?

Bacelar: Salvador é a capital brasileira campeã do arrocho fiscal. Primeiro houve um calote no setor empresarial, e depois do calote, veio o arrocho. O arrocho é tão grande que o prefeito enviou um projeto para Câmara dando isenção no principal. Você que está assistindo e se esforçou para pagar o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) , agora, o prefeito tá isentando quem não pagou. Você que pagou e cumpriu com sua obrigação será prejudicado. 

Além desse arrocho que ele reconhece, tanto que está isentando, toda a política tributária do município é uma política de sacrifício do empresariado. Me citem um empreendimento imobiliário na administração do prefeito ACM Neto? Não tem. A carga tributária foi tão pesada que inviabilizou a cidade, e tanto inviabilizou que ele volta atrás e reconhece o erro. Para o ano que vem, nós iremos rever a planta de valores genéricos da cidade, o efeito cascata do IPTU da cidade, nós vamos ter que redução e um aumento de isenção.

BNews: O que o senhor acha das acusações de que a prefeitura foi utilizada de forma política para divulgar o nome do escolhido do prefeito?  O senhor acha que isso realmente aconteceu, levando em consideração que estamos em uma pandemia, e Bruno Reis, naturalmente, iria aparecer mais?

Bacelar: Não acredito nas acusações, sinceramente, isso é um problema do nosso adversário e não é um problema meu. Eu acho que as condições são dadas e democráticas, eu quero é trabalhar mais para crescer e poder chegar ao segundo turno. Democracia se faz assim. Se eu estivesse no governo, como eu espero estar a partir de 2021, eu estaria também com o meu candidato a sucessão numa situação bastante favorável. Isso não acontece apenas em Salvador, a pandemia favorece a figura do Executivo. A pandemia precisa de administração forte, e a administração mais forte está no Executivo.

BNews: O senhor dispõe de cinco minutos para realizar suas declarações finais

Bacelar: Além de agradecer muito ao BNews pela oportunidade, eu gostaria de parabenizar pela iniciativa, é assim que se faz democracia. Eu queria dizer que hoje eu tive uma longa reunião com o governador Rui Costa, tenho muitas coisa para anunciar, eu vou dizer um dos assuntos que tratei. Nós vamos duplicar a Avenida Suburbana, você, que mora no Subúrbio, terá a Avenida duplicada. Iremos aproveitar a faixa do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), vamos puxar a linha um pouco mais para o Leste, e aproveitar esta faixa e construir a terceira pista da Suburbana. 

Com Bacelar na prefeitura e Rui Costa no Governo, nós vamos duplicar a Suburbana. Vou mais além, a partir do Largo do Tanque, o VLT chegará ao Largo do Tanque, e eu perguntei ao governador se poderíamos chegar até Águas Clara e entroncar com o metro. O governador me garantiu isso. Você que vive no Subúrbio vai chegar rápido no Comércio e vai chegar rápido, cortando toda cidade, até Águas Claras. Esse foi um presente que o governador Rui Costa nos deu.

Ao agradecer e finalizar a minha intervenção, eu quero agradecer a sua audiência e dizer a todos vocês que eu me preparei a vida toda para este momento. Eu estudei, eu investiguei, eu conheci essa cidade, eu fui em todos os cantos, o Axé desta cidade corre nas minhas veias.

Eu tenho a experiência política para conduzir esta cidade neste momento difícil, eu tenho experiência administrativa para realizar as grandes intervenções que o povo de Salvador precisa, principalmente para você que mora fora desse miolo que eles transformarão em uma ilha da fantasia. Confiem em Bacelar, confiem no 19. Junto com o governador Rui Costa (PT) nós faremos uma grande administração na cidade.

Salvador será a campeã da Educação, meu projeto de Comunidade Educadora irá acompanhar do pré-natal ao primeiro emprego. Não iremos fazer essa política de enxuga gelo que a prefeitura faz, que prioriza uma fase e esquece as outras. Nossa Educação será em tempo integral, e tenham certeza que comigo na prefeitura, a escola do filho do trabalhador será igual a escola do filho do rico.

Quero desejar a todos vocês um feliz Dia das Crianças, aproveite este final de tarde, fique com seus filhos. Eu mesmo tirei uma parte do dia, deixei um pouco a campanha de lado, para cuidar das minhas netas.

As crianças são o sorriso que iluminam nossas vidas e o futuro da cidade. Salve as crianças de Salvador, salve Nossa Senhora de Aparecida que ela interceda junto ao bom Deus para que ele sempre proteja essa cidade linda, que nasceu para ser um farol a iluminar os caminhos do Brasil.

Assista abaixo a entrevista completa com o candidato à prefeitura Bacelar (Podemos):

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por BNews (@bocaonews) em

 

Clique aqui para ler o plano de governo do candidato

 

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso