Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Eleições

Zé Neto: "Estou enfrentando o ex-prefeito Zé Ronaldo no segundo turno"

[Zé Neto: "Estou enfrentando o ex-prefeito Zé Ronaldo no segundo turno"]
20 de Novembro de 2020 às 16:57 Por: Victor Pinto* e Henrique Brinco

O candidato à prefeitura de Feira de Santana (BA), Zé Neto (PT), ironizou e afirmou que está enfrentando o ex-prefeito Zé Ronaldo (DEM) no segundo turno da eleição de 2020. O deputado federal tem como adversário o atual prefeito, Colbert Martins (MDB). A disputa entre os dois postulantes tem movido toda a cúpula política baiana, com empenho pessoal do governador Rui Costa (PT) e até do prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), que apoia o emedebista.

Em entrevista exclusiva ao BNews, Zé Neto afirma que vai buscar ampliar a diferença contra Colbert na votação do dia 29 de novembro. Para ele, o grupo que comanda atualmente a Princesa do Sertão está promovendo uma campanha de difamação na eleição deste ano e deverá ter problemas judiciais no futuro pelo uso irregular da máquina pública.

Ainda na entrevista, Zé Neto faz revelações e apresenta propostas, além de comentar o embate entre Rui e Neto com vistas na eleição de 2022.

Leia na íntegra:

BNews - O resultado que você viu e teve no primeiro turno foi satisfatório?

Zé Neto - Acho que o mais importante é ganhar. Essa coisa de resultado... Olha, em política a gente não pode estar construindo as coisas a partir do que a gente acha. É a partir do que o povo acha. Então, você faz o seu melhor e espera o melhor resultado. O resultado que saiu é resultado de uma vitória importante nossa no primeiro turno. A gente vai buscar confirmar no segundo turno e ampliar a diferença. O que eu quero é ganhar. Estávamos com os pés no chão e muita firmeza de propostas. Em nenhum momento ele esteve na nossa frente nos últimos meses. Entraram com uma máquina de difamação absurda. Inclusive, acho que vão ter problemas pelo resto da vida. Problemas como compra de cestas básicas, excesso de contratações... Isso está materializado de forma muito clara no TCU, no TCM... Não prestaram contas dos recursos do coronavírus. Lá se vai mais de R$ 96 milhões e a própria Justiça exigiu que eles prestassem contas de forma adequada. E agora é trabalhar para o segundo turno para a gente vencer.

BNews - Você acha que esse BAxVI que se formou aqui, Colbert de um lado e você do outro, ACM Neto de um lado e Rui do outro, vai beneficiar você na dividida?

Zé Neto - Eu acho que não é nem o atual prefeito. Estou enfrentando o ex-prefeito.

BNews - Zé Ronaldo?

Zé Neto - É, estou enfrentando o ex-prefeito [Zé Ronaldo no segundo turno]. Foi quem entrou em campo e colocou a máquina para funcionar do jeito que está. Choveu na cidade de ontem para hoje e a cidade está toda destruída. As obras dele estão todas dilaceradas. Está toda esburacada, o asfalto 'Sonrisal' foi embora. É o costume de fazer política como se a cidade uma fosse tacanha, uma cidade do interior que não tivesse a dimensão das coisas. As pessoas se cansaram desse tipo de coisa. A gente precisa de infraestrutura de qualidade, de manutenção, de Hospital Geral Municipal, de Bolsa Família municipal, de um programa de inclusão no primeiro emprego, transporte coletivo melhor, de cultura, de políticas para as mulheres e de cuidar mais de gente.

BNews - Com a finalização do primeiro turno, nós ouvimos muitas críticas de aliados do governador Rui Costa de que faltou maior traquejo e empenho no traçado político. E há uma sensação na capital de que ACM Neto conseguiu desenvolver melhor em algumas regiões estratégicas para 2022 e já se coloca como gabaritado para concorrer ao Estado. Como avalia a presença de Rui Costa na sua campanha?

Zé Neto - Para mim foi maravilhosa. Só tenho a agradecer ao governador. Não tenho outras palavras senão gratidão. Rui lançou aqui a correria dobrada. E pegou. Foi importante para todo mundo. Está muito bem avaliado na cidade e é o melhor governador do Brasil. A avaliação dele é espetacular. O problema da política é que Salvador já tem um cerne de que as pessoas votam para prefeito nele e para governador na gente. Vocês vão ver. Eles vão tomar cacete lá daqui dois anos. Vão tomar cacete feio, seja quem for o candidato. A população em Salvador parece que gosta de ter a disputa. Aqui em Feira é diferente, precisa harmonizar. Aqui a gente não tem diálogo nenhum e não é porque a gente não queira. A gente não consegue terminar o Centro de Convenções. Tem seis anos que esses caras ficam embromando. A gente não consegue avançar como o aeroporto, que a parte do Governo do Estado já foi feita. Eles não fazem nada. Tem que acabar com isso. Rui tem feito um trabalho extraordinário. O melhor que ele pode fazer por nós, ele está fazendo. Agora, evidentemente tem as nuances da política em Salvador que geram a situação que gerou. No interior, nas duas maiores cidades, Feira e Conquista, estamos disputando. Isso é uma grande vitória. E não é só o nosso time. O PSD e o PP também foram bem.

BNews - Você acha que o fato de ter sido eleito deputado federal ajudou a impulsionar o seu nome?

Zé Neto - Acho que sim. É um processo, uma trajetória. As pessoas gostam de me ver na rua e dizer 'vi esse menino vereador'. Cheguei aqui aos 56 anos, com 20 anos de mandato, não tenho uma queixa na polícia. Uma vez tentaram fazer um inquérito contra mim. O BNews até publicou e depois o inquérito foi arquivado, porque não tinha prova nenhuma. Estavam mentindo contra mim. Não tenho nenhuma conta desaprovada, nenhuma ação na justiça comum, penal ou federal. Não tenho nada que não seja continuar trabalhando, com vocação na política. Sou advogado e profissional liberal. Quando entrei na política, estava num momento profissional excelente. Meu problema não é financeiro. Nunca fui rico, mas também nunca deixei de sustentar a minha família. 

BNews - Carlos Geilson, que aderiu base de Rui Costa no final de 2018, e agora adere a campanha de Colbert Martins. Por outro lado, Targino Machado que foi um inimigo feroz seu no plenário da Assembleia Legislativa da Bahia e hoje declara apoio a você. O que aconteceu? Como explica esses apoios?

Zé Neto - Nós conseguimos apoios de cinco partidos. PT foi unanimidade pela primeira vez pela minha candidatura. Conseguimos PDT, PCdoB, PP e Avante. Tudo isso é fruto de diálogo, amadurecimento e entendimento. Quanto a Geilson, acho que o tempo vai dizer. Ele saiu dizendo por aí coisas sobre mim, sobre o governador, sobre nosso time... Eu não vou falar nada sobre ele. Só vou dizer que o tempo é senhor de todas as coisas. Que Deus nos proteja e não o desampare.

"Aqui em Feira é diferente, precisa harmonizar. Aqui a gente não tem diálogo nenhum e não é porque a gente não queira."

BNews - Se Zé Neto vencer a eleição e sentar na cadeira em 1º de janeiro de 2021. Qual será o seu primeiro ato?

Zé Neto - Nós temos muitos problemas. Temos que construir o Hospital Geral Municipal, fazer o Bolsa Família municipal, fazer um projeto para a cidade ser toda requalificada e fazer com que a gente tenha uma estrutura de zelo pela máquina pública, pelas ruas e pelas praças. Feira não tem uma praça arrumada. Não conheço isso em canto nenhum. Praças são lugares onde as pessoas se encontram. No Japão estão derrubando prédios para construir praças. Aqui em Feira tem praças destruídas. Cuidar com carinho da cidade, fazer com que a cidade tenha mais entendimento, fazer com que tenha um conselho econômico, das mulheres, do transporte e que funcione. Aqui nós temos um problema de mobilidade e ninguém discutiu. Hoje o governador disse que vai colocar os técnicos do Estado todo para discutir essa loucura que foi essa fraude do BRT. Jogaram R$ 96 milhões para cima. Mas eu escolhi uma coisa emblemática no primeiro dia como prefeito: quero fazer uma visita ao Centro de Abastecimento, que é o espaço onde tem o maior volume de circulação de dinheiro. É um lugar esquecido, um lugar do nosso povo pobre, preto e guerreiro. Temos que cuidar da questão e requalificá-lo, criar mais espaços e deixá-lo lindo. Isso vai gerar emprego, renda e uma recomposição da economia e da identidade da cidade. 

BNews - Uma última pergunta. O coronavírus veio, ainda não foi embora e, além da questão da saúde, tem o aspecto econômico e 2021 e tido como um ano de tentativa de retomada. O prefeito sozinho não consegue colocar tudo em prática e precisa ter o legislativo ao seu favor. Como está a sua previsão de composição de base para colocar em prática esses projetos?

Zé Neto - Depois de oito anos como líder de governo, como fui, aprendi o traquejo de fazer a política na dose certa. Acho que a gente vai conseguir fazer bancada. Estamos conversando com os vereadores eleitos. Vamos apresentar os projetos da cidade e tenho certeza que a maioria deles vêm com a gente para fazer com que esses projetos sejam viáveis. Tenho certeza disso. A vitória de Zé Neto em Feira vai criar um novo ambiente, como foi a vitória de Wagner [ao Governo do Estado]. Hoje graças a Deus a política na Bahia é outro, sem ódio, mentiras, terror ou perseguição. Estou vivendo todo dia quatro ou cinco fake news contra mim. Já devo ter umas vinte ações na Justiça. Temos um preço grande a pagar, mas um preço grande a conquistar. Tenho certeza que a gente vai conseguir fazer essa vitória acontecer e construir um Legislativo que possa nos ajudar.

*O Editor de política do BNews viajou para Feira de Santana para acompanhar o 2º turno das Eleições

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso