Coronavírus

ACM Neto lamenta marca de 500 mil mortes por covid no Brasil e crítica percentual de imunizados

[ACM Neto lamenta marca de 500 mil mortes por covid no Brasil e crítica percentual de imunizados ]
19 de Junho de 2021 às 17:17 Por: Divulgação Por: Redação BNews

ACM Neto, ex-prefeito de Salvador e presidente nacional do Democratas, lamentou que o Brasil tenha ultrapassado a marca de 500 mil mortes por covid-19, doença causada pelo coronavírus. Neto se manifestou através das redes sociais. 

"Hoje o Brasil chegou à trágica marca de meio milhão de vidas perdidas para a Covid. E, com apenas 11,5% da população totalmente imunizada, ainda há muito espaço para que milhares de brasileiros continuem morrendo todos os dias. Meus sentimentos aos amigos e familiares de cada vítima", escreveu o ex-prefeito.

Triste marca

O Brasil ultrapassou, neste sábado (19) a marca de 500 mil mortes por covid-19, doença causada pelo coronavírus. Desde o início da pandemia, o país contabilizou 500.022 óbitos e 17.822.659 casos, de acordo como o balanço do consórcio de veículos de imprensa com dados das secretarias de Saúde.

A marca dos primeiros 100 mil óbitos no Brasil foi atingida em quase 5 meses – 149 dias – após a primeira pessoa morrer pela doença no país. Dos 100 mil para os 200 mil, passaram-se outros 5 meses – 152 dias. Já para chegar aos 300 mil, foram necessários somente 76 dias, período que caiu quase pela metade quando chegamos a 400 mil em mais 36 dias.Agora, de 400 mil a 500 mil mortes o salto se deu em 51 dias, de acordo com informações do G1.

A taxa de transmissão (Rt) do coronavírus no Brasil, medida pelo Imperial College de Londres, subiu esta semana e está em 1,07. Isso significa que cada 100 pessoas com o vírus no país infectam outras 107.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar