Cidades

Moradores denunciam acúmulo de lixo desde início de dezembro em Esplanada

Leitor BNews

Denunciante afirma que o boicote ao serviço seria em razão da derrota do ex-prefeito Franco de Aldemir

Publicado em 05/01/2021, às 19h49    Leitor BNews    Luiz Felipe Fernandez

Os moradores da cidade de Esplanada, localizada no nordeste baiano, convivem desde o início de dezembro com o acúmulo de lixo nas ruas devido à ausência do serviço de coleta e limpeza urbana.  

De acordo com uma denúncia feita ao BNews, os pontos com maior registro de lixo são os distritos de Baixios, Palame, São José, Malombe, Centro, Capuchinhos e Timbó.

Contratada em 2017, a empresa Atlântico Supervisão e Serviços em Construção Civil ainda é a responsável pelo serviço no município. Em outubro de 2020, a Prefeitura de Esplanada assinou o terceiro termo aditivo e prorrogou o contrato com a empresa para a "limpeza e coleta de resíduos sólidos, visando a manutenção ambiental da zona urbana e rural", além da "destinação final" do material recolhido.

A Atlântico tem um outro contrato com a Prefeitura, este destinado ao fornecimento de mão-de-obra e material para obras de reforma de escolas municipais, também de 2017, no valor de R$ 1,454 milhão. A homologação foi publicada em março e o contrato possuía validade de 10 meses.

Segundo informações que constam no comprovante de inscrição da empresa no Cadastro Nacional na Receita Federal, a atividade econômica principal é a "construção de edifícios". Contudo, tem como atividades secundárias, dentre outras, relacionadas à "limpeza".

De acordo com o denunciante, que preferiu não ser identificado, a Atlântico Supervisão pertence a Aleksandro Vasconcelos Lemos, conhecido como Alex do Posto (PSD). Ele foi candidato a vice-prefeito na chapa com Elízio Simões (PDT) na cidade de Entre Rios, que fica na mesma região de Esplanada.

"Desde o início de dezembro parou de ter limpeza, muito lixo acumulado [...] Todo mundo sabe quem ele é, ele é um grande empresário da região. Ele só não dá a cara dele à tapa", disse o denunciante, que mora na cidade.

Segundo ele, o boicote ao serviço seria em razão da derrota do ex-prefeito Franco de Aldemir (Republicanos), que perdeu a reeleição para Nandinho da Serraria (PSDB).

Alex aparece como representante da Atlântico em uma licitação vencida pela empresa na cidade de Boa Vista do Tupim, município de pouco mais de 2 mil habitantes, localizada no centro-norte da Bahia. À época, a Prefeitura assinou o contrato no valor de R$ 311 mil para a construção de duas escolas.

O contrato original da Atlântico para limpeza das vias públicas de Esplanada não foi localizado pela reportagem, somente os termos aditivos que prorrogam o serviço. No Portal da Transparência só constam os contratos assinados até 2019.

Há cerca de uma semana, moradores de Entre Rios denunciaram a empresa Vera Cruz - que tem como representante Alex do Posto - justamente por não cumprir a obrigação de limpeza urbana das vias da cidade, com lixo acumulado e entulho em diferentes regiões. No site da Receita Federal, o único nome do quadro societário é o de Gileno Campos Chaves.

Em conversa com o BNews, contudo, Alex do Posto confirmou que segue como representante da empresa Vera Cruz, mas que não tem mais ligação com a empresa Atlântico.  

Ele não soube dizer se era o credenciado da empresa Atlântico quando a empresa venceu a licitação para limpeza urbana do município em 2017, mas admitiu que naquele período representou a Atlântico em pregões em diferentes cidades do estado.

O empresário justificou a ineficiência da coleta de lixo em Entre Rios pela empresa Vera Cruz. Segundo Alex do Posto, o contrato foi suspenso no dia 17 de novembro, dois dias após o resultado da eleição de Manoelito Argolo Júnior (Solidariedade) e, no mês de dezembro, a Vera Cruz teria recebido somente 50% do valor acordado, o que resultou na execução de metade do serviço.

Alex disse que o serviço de recolhimento dos resíduos residenciais continuou sendo realizado e foi suspensa somente a limpeza e transporte de entulhos.

Desde o dia 31 de dezembro, diz o candidato derrotado a vice-prefeito na cidade, o contrato com a Vera Vruz foi encerrado e a nova gestão optou pela contratação de outra empresa.

A reportagem tenta contato com o telefone fixo disponibilizado pela Prefeitura de Esplanada desde a manhã desta segunda-feira (4), para ter a resposta sobre a denúncia de lixo acumulado e também tentar identificar o contrato original com a Atlântico Supervisões, mas até o momento da publicação não obteve retorno. 

O BNews também tentou falar com a empresa Atlântico, mas o único número disponibilizado na internet pertence agora a uma contadora. 

A reportagem ligou e deixou mensagem para o antigo prefeito, Franco de Aldemir, que exerceu o mandato de 2016 a 2020, assim como para o prefeito eleito Nandinho da Serraria, e a prefeitura, mas até o fechamento da matéria, não obteve retorno.

Classificação Indicativa: Livre