Na Sombra do Poder

Na Sombra do Poder: os aquartelados

[Na Sombra do Poder: os aquartelados]
27 de Setembro de 2018 às 00:00 Por: Arquivo/BNews Por: Editoria de Política

Aquartelados

Fontes relataram a esta coluna que há um apartheid na PMBA. Alguns candidatos a cargos eletivos estão reclamando que não podem entrar nos quartéis para pedir apoio aos colegas, pois estão proibidos por não remarem na situação... O BNews apurou que o coronel Anselmo Brandão, comandante da corporação, já entrou em campo e está apurando devidamente os fatos.

A volta dos que não foram

Em uma conta rápida para eleição de deputados federais pela coligação da oposição, lista-se 10 nomes para cinco ou seis vagas. Ao final, percebe-se que tem muita gente graúda que não vai ter fôlego para se eleger e ficará de fora dos corredores do poder. Tem muita gente fazendo conta de onde não tem voto. Neste ano, as urnas prometem ser imperdoáveis.

Arranhão

Apesar de João Roma (PRB) negar, houve um arranhão na relação dele com o padrinho político ACM Neto (DEM). O BNews soube que Neto sequer compareceu à festa do candidato a deputado federal. Nesta terça (25), veio o aceno: um vídeo foi gravado pelo líder democrata declarando apoio ao republicano.

E agora, Jutahy?

Ainda sobre a história da volta dos que não foram, já se comenta nos bastidores em tom inquieto: passadas as eleições, o que será de Jutahy Magalhães Júnior (PSDB)? O tucano apostou todas as fichas na corrida pelo Senado, mas as pesquisas de intenção de voto até agora não demonstram que sua tentativa resultará em uma boa colheita de frutos. O futuro é uma incógnita.

Conta gotas

Diante da acirrada briga pela segunda vaga do Senado, já que se dá como certa a eleição de Jaques Wagner (PT), já se fala que a apuração da votação no dia 7 de outubro terá ares de final de Copa do Mundo. Quem diz isso é o candidato Irmão Lázaro (PSC), que duela diretamente com Angelo Coronel (PSD) pela segunda cadeira destinada à Bahia.

Secretário a la vontê


 

Chegou a esta coluna uma foto do secretário municipal de Ordem Pública, Marcos Passos, bastante à vontade. O integrante do alto escalão da gestão de ACM Neto que sempre foi visto em suas vestes formais, foi clicado com cerveja a tiracolo à beira de uma piscina. O modelito usado também chamou a atenção. 

Mistérios de Santo Amaro

Engana-se quem pensa que a poeira já baixou lá pelas bandas de Santo Amaro da Purificação quando o assunto é o esquema investigado pela operação Adsumus. Até hoje, a Justiça mantém em sigilo a delação premiada feita pelo ex-vice-prefeito Leonardo Pacheco. No Judiciário, a tese é que, uma vez reveladas, as informações ali existentes poderão atrapalhar o andamento de outras investigações. Outras duas delações já perderam o “segredo” de Justiça.

Patente

Tudo indica que a candidata ao governo da Bahia pelo partido Rede, Célia Sacramento, caiu a ficha para o marketing eleitoral: o seu principal bordão na era da vice-prefeitura de Salvador voltou com força. Toda entrevista ela utiliza o "sucesso total". Já não era sem tempo. Devia até patentear. 

Salve-se quem puder

O debate da TVE da Bahia foi morno, morno. Na frente do Irdeb, no bairro da Federação, na primeira hora que antecedia o início do confronto, o que mais se via era correligionário de Zé Ronaldo. Depois, do nada, apareceu o bando de Rui Costa com bandinha de fanfarra e tudo. Foi um fuzuê e um salve-se quem puder na porta da emissora. 

Bolsonaro baiano

No embate televisionado, Zé Ronaldo bancou o Bolsonaro baiano. Assim como o presidenciável criticou a Globo na bancada do Jornal Nacional, o democrata largou que tem funcionário do Irdeb (TV e Rádio Educativa) que recebe abaixo do piso estipulado por lei. Rui tentou tegiversar, mas reagiu à provocação.

Quem brilha?

Enquanto o candidato ao governo João Santana (MDB) e jornalistas aguardavam a chegada do presidenciável Henrique Meirelles ao evento de campanha, na segunda (24), em um hotel de Salvador, a pequena claque presente ao local dava ares de que o encontro seria tão tímido quanto os índices de intenção de voto de ambos os postulantes. Eis que, minutos antes da chegada do ex-ministro, centenas de apoiadores de Nestor Neto, aspirante a deputado federal, irrompe o espaço e puxam o coro: "Ô, Nestor Neto chegou. Nestor Neto chegou, ôôô!". Não fosse essa galera, o ato estaria para lá de esvaziado.

Oposição? Que oposição?

Lúcio Vieira Lima, cacique do MDB baiano, rejeita o rótulo aplicado à candidatura de Zè Ronaldo (DEM) de "candidatura da oposição". O emedebista diz que se não houve união entre as forças de oposição, não há o que se falar em candidatura que represente esse pólo na disputa contra o governador Rui Costa (PT).

Lei da selva

Na chapas proporcionais, que visam preencher cadeiras nos Legislativos estadual e federal, Lúcio Vieira diz que o clima é de guerra. "Está todo mundo em um quarto escuro, cada um com uma foice na mão", disse o deputado em entrevista ao Se Liga Bocão na Itapoan FM. Dinheiro que é bom, não existe o suficiente para as campanhas.

Saudosismo

Nas rodas de conversas de alguns políticos, é recorrente o saudosismo com que é lembrado o Babesp, conhecido também como DataNilo. "Era o único que 'batia certo' nas pesquisas de intenção de votos", relembra um deputado. O instituto mergulhou depois que a Polícia Federal bateu à sua porta.

Postura

Por falar em Nilo, o ex-presidente da Assembleia Legislativa da Bahia e candidato à Câmara dos Deputados chamou a atenção nas redes sociais outro dia. Postou no Instagram uma foto praticando pilates. Confira:

Banho de folha

Já se fala abertamente no meio político baiano que o prefeito ACM Neto (DEM), para atrair boas energias, precisa urgentemente tomar um banho de folha. Após seu recuo de se lançar candidato ao governo do Estado e ver o seu substituto Zé Ronaldo (DEM) naufragar nas pesquisas eleitorais contra o seu maior adversário, o governador Rui Costa (PT), agora amarga os péssimos índices da sua aposta para a Presidência da República com Geraldo Alckmin (PSDB). Para o Senado, suas duas apostas, Irmão Lázaro (PSC) e Jutahy Júnior (PSDB), também começam a dar sinais de desidratação na reta final da corrida.

Sem sucesso

Mesmo tendo assegurado ao BNews que, na Bahia, está empenhado pela candidatura de Alckmin, Neto não vê êxito espelhado nos números das pesquisas. Por aqui, o Ibope mostra que Alckmin alcança apenas 6%, empatado tecnicamente com Marina Silva da Rede, contra 33% de Fernando Haddad (PT) e 14% de Jair Bolsonaro (PSL). O pedetista Ciro Gomes obteve 9%.

No Nordeste

Quando a comparação é na região Nordeste, o contexto se agrava. O tucano tem apenas 3,7% em uma pesquisa recente, empatado mais uma vez com Marina, contra 31,9% de Haddad, 20,8% de Bolsonaro e 15,5% de Ciro. Estamos falando do último levantamento divulgado pelo instituto Paraná Pesquisas.

Assincronia

Não há sincronia ou consenso. Dentro do grupo de Zé Ronaldo, até o próprio candidato dá sinais de que tem inclinação pela candidatura de Bolsonaro. O X da questão é que o DEM apoia nacionalmente Geraldo Alckmin (PSDB). Aliás, a vice de Zé Ronaldo, Mônica Bahia, é do PSDB, mas não foi vista no comício do tucano em Salvador. Entretanto, estava em destaque no palanque do evento pró-Bolsonaro realizado no último domingo (23).

Guerra

Na guerra entre colegas por captar a entrevista do chefe da Justiça Eleitoral na Bahia, uma repórter da RecordTV Itapoan foi clicada em uma pose nada discreta. Veja:

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar