Na Sombra do Poder

Na Sombra do Poder: mau cheiro das quentinhas...

[Na Sombra do Poder: mau cheiro das quentinhas...]
31 de Janeiro de 2019 às 00:00 Por: Reprodução Por: Editoria de Política0comentários

Mau cheiro das quentinhas...

Fontes ligadas a esta coluna dão como certa uma investigação minuciosa do Ministério Público estadual em cima das empresas fornecedoras de quentinhas com fartos contratos no Governo do Estado. A turma joga dentro das quatro linhas do campo: vai de presídios a grandes hospitais e tem deixado alguns promotores intrigados com as vultuosas cifras que movimentam. 

...e os guardiões do império

Nessa história das quentinhas, outros fatores despertaram a curiosidade do membros do MP: os figurões que estão por trás de tais suspeitos contratos e desfilam pelos shoppings centers da cidade alardeando que conseguem a solução de todos os problemas com fulano e sicrano. A coisa ficou tão séria que alguns empresários do ramo alimentício já começaram a diversificar seus negócios. Basta uma olhada nas colunas sociais da capital baiana para dar de cara com os novos negócios que estão em operação. Em bom baianês: isso vai feder.

Paraíso perdido

Uma ilha privada avaliada em R$ 35 milhões vai a leilão por decisão da Justiça baiana. O imóvel localizado na Baía de Todos os Santos, em Salinas da Margarida, pertencia ao empresário Rafael Grimaldi, da Grimaldi Empreendimentos Turísticos, mas o paraíso foi perdido para o Banco do Nordeste.

Terra de Ninguém

Políticos de um certo nicho de poder na Bahia não têm dormido direito depois que a polícia bateu à porta de três chefões da Agência Nacional de Mineração na Bahia. Os servidores da agência cobravam até R$ 10 mil reais de empresários para fraudar documentos. Se a Polícia Federal puxar o fio do novelo, vai ter muita gente tendo que se explicar no Supremo Tribunal Federal.

O último que sair...

Quem conhece os meandros dos bastidores do Detran baiano não diz outra coisa: o último que sair, apague a luz. Na iminência de passar por uma troca de comando promovida pelo governador Rui Costa (PT), a direção tem batido cabeça com associações de emplacadores e fabricantes de placas por causa da implantação do padrão Mercosul. Tem funcionário dizendo que não vê a hora de respirar outros ares.

Explicação I

Quem não acredita no amor ou na durabilidade dos laços humanos nos dias de hoje, passa a ter suas crenças soterradas ao ver o quadro de secretários anunciado por Rui Costa nesta semana. A permanência longeva de algumas figuras no alto escalão do governo é tão impressionante que só o amor explica. Até o sociólogo polonês Zygmunt Bauman (1925-2017), que escreveu sobre a liquidez das relações entre os indivíduos na contemporaneidade, pararia para rever alguns conceitos se vivo estivesse.

Explicação II

Mas... uma pergunta que não quer calar: o que leva o chefe do Palácio de Ondina a manter Walter Pinheiro em seu quadro de auxiliares? É o que todo mundo tenta entender na base aliada. O cara não tem mais partido, muito menos mandato. E, mesmo assim, o que acontece com ele? Ganha a Secretaria de Planejamento (Seplan).

Balança

A queixa geral na nação aliada do governador é que vários partidos que reivindicam mais espaço, ou uma pasta melhor, poderiam ficar com a Seplan. O que será que liga Rui e Pinheiro? 

E agora, José?

Sem mandato e com o grupo político fragilizado depois que Luiz Caetano (PT) ficou sem mandato, Luiza Maia (PT) terá que rumo após deixar a Secretaria de Desenvolvimento Econômico? É o que se comenta nas rodas de conversa. Quer se viabilizar para disputar a prefeitura de Camaçari, mas precisa de uma vitrine para duelar com o atual prefeito, Antônio Elinaldo (DEM).

Ciúme para todos

O rebu dentro da base aliada provocado pela insatisfação de partidos com as indicações de Rui para o secretariado acirrou uma ciumeira no grupo. Além do PT, as siglas acham também que o PSD está sendo beneficiado. Afinal de contas, ficou com a Seinfra e deve ficar com a Sedur, dois grandes e importantes espaços. Muitos caciques estão com a mão no bolso e com aquela velha expressão: "E eu? Nada".

Lupa na Secult

A saída do superintendente de Cultura, Sandro Magalhães, tem sido sentida por diversos setores da secretaria da Cultura da Bahia e a sua substituição tem gerado tensão em setores culturais que possuem receio de projetos já em andamento irem por água abaixo. Tem muita gente atenta nos próximos passos que serão dados dentro da Secult, principalmente após a informação da continuidade de Arany Santana no comando da pasta ser cada vez mais certa.

Sem moral

Enquanto Rui Costa dá um pontapé inicial na mudança do secretariado no governo estadual, na prefeitura de Salvador, o prefeito ACM Neto (DEM) mantém sua previsão para divulgar as mudanças somente no dia 4. Até, aqui, pelo que o BNews soube, o PTB, cujo presidente estadual Benito Gama não conseguiu se reeleger deputado federal, vai realmente ficar sem cargo no primeiro escalão. 

Arara

Quem deve estar uma arara com o prefeito ACM Neto e com o presidente da Câmara, Geraldo Júnior (SD), é o dono da Villas Construtura. Os moradores do Cidade Jardim bradaram contra a construção de um empreendimento residencial de 12 torres no bairro, Geraldo Júnior levantou a bandeira e o prefeito decidiu que não vai dar licença para a construtora. Fim de papo.

Readaptação no habitat

O deputado federal Jutahy Magalhães Júnior (PSDB) foi outro que não conseguiu se reeleger. Sem indicação de que terá algum cargo político, o advogado decidiu retornar à advocacia e anunciou em seu perfil na rede social Instagram a nova ocupação que terá a partir de 1º de fevereiro.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Leia os termos de uso

jusnews

Na Sombra do Poder

Eduardo Entrevista

Mais Lidas