Na Sombra do Poder

Na Sombra do Poder: Muy amigo dos remédios

[Na Sombra do Poder: Muy amigo dos remédios]
Por: Arquivo/ Agência Brasil/ Reprodução/ Redes sociais/ Divulgação Por: Editoria de Política 0comentários

Muy amigo dos remédios
Está dando dor de cabeça a logística dos medicamentos da prefeitura de Salvador, que simplesmente não chegam nos postos e nas UPAs. Leo Prates, secretário da Saúde, já não aguenta mais a empresa que tem o contrato para tocar o serviço. O assunto subiu para o gabinete do prefeito ACM Neto, que já avisou que não vai passar a mão na cabeça de ninguém. O Ministério Público também já está de olho nesse contrato há algum tempo. Com a palavra os doutores de plantão.

Dr. Botox
A quarentena parece que fez bem ao diretor geral da Defesa Civil de Salvador, Sosthenes Macedo. O rapaz aproveitou e aplicou uma boa dose de botox. Só parece que exagerou na mão. Confira:

 

Desperta
O secretário de Comunicação da prefeitura de Salvador, José Pacheco, não pareceu estar muito disposto na reunião por videoconferência com o prefeito ACM Neto e outros quadros do Executivo. Pelo bocejo e pela espreguiçada, ele saiu da cama, mas a cama não saiu dele. Desperta!


 

O mau exemplo com cheiro de Planalto
Enquanto a maioria dos soteropolitanos está em casa de molho, vivendo a excepcionalidade do isolamento social, a prefeitura de Salvador continua a realizar, quase diariamente, atividades que geram aglomeração de pessoas. A assessoria do prefeito ACM Neto insiste em anunciar eventos e coletivas presenciais para informar o que também poderia ser dito em uma transmissão online. Os jornalistas que se aventuram nessas pautas ficam impressionados com a quantidade de gente que vai apenas para compor a claquete do prefeito. Das duas uma: ou a vaidade de Neto não suporta o isolamento ou ele respira à base de papagaios de pirata. É um mau exemplo com cheiro de Planalto.

Aquece Mourão

Por falar em Planalto, tem um movimento ganhando força, inclusive na Bahia, para que o vice-presidente Hamilton Mourão comece a se aquecer. Se a coisa continuar no ritmo que está, já já ele pode ser acionado.

Trabalho árduo
Os jornalistas baianos tiveram trabalho para repercutir as declarações do presidente Bolsonaro esta semana. Os aliados bolsonaristas sumiram, por que será?

Neto retou

Causou estranheza o discurso duro de ACM Neto contra os banqueiros. Não pela crítica em si, mas por usar termos geralmente não ditos pelo prefeito: "A gente aqui se lascando e eles lucrando". É, com diz a velha propaganda, "NETO RETOU!". E como a internet não perdoa, teve gente chamando o prefeito de comunista. Menos, né?

Sem tiros, porrada e bomba
Bingo para quem cantou a pedra que o governo ia aproveitar os olhos voltados para o coronavírus e votar "a toque de caixa" a reforma da Previdência municipal. Sem protestos, armas em punho e confusão, tal como foi a votação da reforma na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), o texto foi aprovado sem maiores problemas para a base governista. Em tempo, há quem diga que passou pelos acordos a eleição municipal deste ano. 

Põe na conta do corona?
A matéria correu em velocidade supersônica sob a batuta do presidente Geraldo Júnior, o Mentex da CMS, que teve a seu favor o isolamento social imposto pela pandemia do novo coronavírus. Cumpriu-se a previsão dos interlocutores do governo que a matéria fluiria bem diferente de como foi na AL-BA. Trancafiados em casa, servidores públicos municipais e os respectivos sindicatos levaram um duro golpe, na covardia. Põe na conta do corona ou do oportunismo?

Caixa auricular municipal

O vereador Odiosvaldo Vigas - que também atende pela graça de Mestre Odi - repetiu o feito do deputado estadual David Rios e também marcou presença no painel digital de votação remota da CMS com sua caixa auricular. Pelo jeito, virou moda.

Operação de guerra

A turma que se reuniu com Geraldo Júnior no conforto do Salão Nobre da CMS tinha mais equipamento de proteção do que muito profissional de saúde que está na linha de frente contra a Covid-19.

Chernobyl

Não bastasse a máscara e a tela de proteção, Adriano Galo, braço manco da presidência, resolveu aumentar o rigor e se preparou para uma nova edição de Chernobyl.

Quem não tem cão...
Tragicômico. Foi bem assim o vídeo do deputado Sargento Isidório com o vereador Trindade. Performático como sempre, apareceu não só com a bíblia na mão, mas com uma cueca enrolada no rosto como se fosse uma máscara cirúrgica. Tudo isso para conter o coronavírus. É, quem não tem cão, caça com...!

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Nossas vidas estão nas potentes mãos de DEUS

Uma publicação compartilhada por Pastor Sargento Isidório (@pastorsargentoisidorio) em

Gafe municipal
Um fato no mínimo curioso provocou comentários entre os jornalistas durante coletiva em que foram apresentadas ações sociais da prefeitura para trabalhadores informais, na última segunda-feira (30). Após as perguntas sobre o Projeto Salvador Por Todos, um repórter resolveu questionar o prefeito sobre a morte do sambista Riachão, aos 98 anos. Surpreendido com a pergunta, o prefeito confessou que não sabia do falecimento. Tudo estaria nos conformes se a Secretaria de Comunicação do prefeito não tivesse enviado, uma hora e meia antes, uma nota em que o prefeito lamentava a morte do cantor. Custava avisar a Netinho? Aos risos discretos e cochichos, os jornalistas pegaram seus celulares para conferir o email mandado pela assessoria do prefeito.

Da cor do pecado

Na mesma coletiva, também chamou a atenção o bronzeado do secretário municipal de Ordem Pública, Felipe Lucas. Sumido durante todo esse período da crise do coronavírus, o jovem titular da pasta reapareceu “da cor do pecado” no evento do prefeito e foi protagonista de uma fofoquinha entre trabalhadores informais, que levantaram uma dúvida: 
- Em tempo de coronavírus, restrição de saídas, praias e afins, onde foi que ele conseguiu tomar um sol? – perguntou um deles.
- Na laje é que não foi! - respondeu o outro trabalhador.

Eu não sou cachorro, não
Ex-aliada do prefeito ACM Neto, a vereadora Ana Rita Tavares teve a sua filiação rejeitada pelo executivo municipal do PT. Não sabemos ao certo a motivação do desprezo, mas a pseudodefensora dos animais ainda pode recorrer à diretoria estadual para, enfim, conseguir adentrar no Partido dos Trabalhadores.

A internet não perdoa
Direto da série “A internet não perdoa” vem essa edição mitológica do discurso presidencial e da versão adaptada do Hino Nacional.
 

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Leia os termos de uso

jusnews

Na Sombra do Poder

PodCast

Mais Lidas