Na Sombra do Poder

Na Sombra do Poder: Black Boys na Saltur

[Na Sombra do Poder: Black Boys na Saltur]
Por: Pixabay/ Reprodução/ Redes sociais/ Arquivo BNews/ Divulgação Por: Editoria de Política 0comentários

Black Boys na Saltur
Já começou o fight pelos cargos de Bruno Reis, em uma eventual eleição para prefeito. As informações que chegaram à NSP são que as movimentações já iniciaram muito antes da convenção, data que oficializa o candidato. E apostas não faltam. A empolgação é tanta que tem um grupo na briga pela Saltur. Os "Black Boys" já têm nome para cada cargo. Além da empresa pública, que cuida das festas da cidade, outras pastas já estão na bolsa de apostas. 

Bolsa de apostas
Vamos a elas:  Luiz Carreira pode ir para a Semge; na Sefaz, sai Paulo Souto e entra Ornelas; Geraldo Júnior prepara um executivo do mercado de iluminação para assumir a Semop no lugar de Marcus Passos. Já a Secretaria de Educação continua sob a batuta do PSDB. A Semtel pode ficar com o Republicanos, como manobra para aumentar a bancada na Câmara. Irmão Lázaro, futuro representante do PL, pode ir para a Reparação. E por aí vai... quem dá mais?

Rui e Neto sob o mesmo teto?

A pandemia que abalou muitos relacionamentos também juntou tantos outros, inclusive politicamente. ACM Neto e Rui Costa baixaram o tom das discussões e passaram a trocar gentilezas desde o final do ano passado, mas bastou a pandemia chegar que, paradoxalmente, a aproximação entre eles aumentou. Desde então, a troca de olhares ficou mais intensa por causa da rotina de reuniões e ações conjuntas entre governo e prefeitura, e os dois não escondem mais que desejam se conhecer melhor. Dos dois lados tem muita gente empolgada com o namoro, tanto que já se fala em casamento para 2022. Difícil vai ser eles toparem dividir o Palácio de Ondina.

Em tempo – Neto está ensaiando mesmo para ser governador. Passou a atrasar nos compromissos de pauta, tal como faz o Correria.

O pai tá on, mas vai ficar off
Falando em Neto, o prefeito deu o recado e disse que não vai ser sombra de ninguém após passar o bastão ano que vem. Afirmou que vai ligar o "modo off", fazendo referência ao novo meme do momento "o pai tá on", e ainda brincou com a imprensa: "não se preocupem, não vou bater na porta de vocês pedindo emprego", arrancando risos dos presentes na pauta. 

O alívio de Niltinho e o desespero de Olívia 
O deputado Niltinho pulou fora e agora respira aliviado por não ter mais a obrigação de remar na mesma canoa que Olívia Santana na expedição comunista rumo ao Palácio Thomé de Souza. O PP garante que mantém a aliança com o PCdoB, mas quem acompanha a embarcação de perto sabe que o apoio é mais simbólico do que qualquer outra coisa. Olívia, de novo, ficou a ver navios.

Major sem mira

Regra número 1 para quem quer ser candidato à função pública de governo: conhecer legislação. E nessa matéria, a pré-candidata do PT para a prefeitura de Salvador, Denice Santiago, errou feio. Jogou na conta da prefeitura a responsabilidade pelo desabamento de um casarão antigo na Ladeira da Montanha, mas esqueceu de verificar que o imóvel, que pertencia a um particular, estava sob o guarda-chuva do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac) - autarquias nacional e estadual, respectivamente. Na euforia de aparecer no noticiário político, a major deixou de calibrar a mira e acabou virando piada. Neto passou ileso.

Geraldo Júnior cariocou
É visível no meio dos jornalistas o sotaque carioca do presidente da Câmara de Vereadores, Geraldo Júnior. Todos sabem que ele estudou no Vieira, mora em Salvador e ninguém lembra da passagem dele pelo Leblon, Ipanema ou coisa parecida... mas, diante da situação dos políticos do Rio, melhor ficar pelas bandas de Salvador mesmo, líder. 

“Para, negão!”
Na briga pela corrida na AL-BA, o governador Rui Costa deu um freio – ou o popular “Para, negão!” - em Adolfo Menezes. O imbróglio entre o acordo do pessedista e a reeleição de Nelson Leal acabou extrapolando alguns limites determinados pelo governador. Os contornos dessa briga já estariam passando das fronteiras do estado, chegando ao Senado Federal. 

A reeleição na AL-BA e a maldição da majoritária

A vida toda, o sonho de Marcelo Nilo foi encontrar espaço em uma chapa majoritária do governo, tanto que sua sede de permanecer na Presidência da AL-BA com reeleições intermináveis era para viabilizar condições de chegar lá, seja como vice-governador ou até pegar uma vaguinha no Senado. O projeto nunca decolou. Agora, quem sonha em prolongar a estadia no comando da Casa é Nelson porque, segundo a NSP apurou, o PP pretende indicá-lo a vice na majoritária de 2022. A história mostra que a relação entre reeleição e majoritária costuma não funcionar. Será uma maldição?

Procura-se uma LDO 
Como o assunto ainda é a AL-BA, uma pergunta continua sem resposta: quando vão apreciar e votar a LDO? A peça, que é um rascunho do Orçamento de 2021, costuma ser votada no final do primeiro semestre, mas a excepcionalidade da pandemia fez a turma jogar os trabalhos pra cima, ainda mais em ano eleitoral. Pasmem, a matéria é desconhecida até entre os caciques da Comissão de Orçamento. Na ausência de explicações razoáveis, a turma põe a culpa na Covid-19. 

Doce como mel
O comentário no meio político é o afã do ex-deputado federal José Carlos Aleluia para aprovar o projeto que vai ser votado hoje na AL-BA, o Bahiainsulina. A defesa do carlista foi tanta que teve até deputado chamando-o de petista. A pergunta que não quer calar é: o que o ex-assessor do Ministério da Saúde e atual conselheiro do Governo Bolsonaro ganha com a criação da empresa na Bahia?

Princesinhas do Sertão I

O enredo clássico de coronéis do sertão que enviam seus herdeiros para os confortos da capital se repete pelo interior da Bahia. Contudo, a diferença é que alguns deles são bancados com recursos públicos a partir de nomeações com altos salários na máquina do estado e da prefeitura soteropolitana. Pois bem, tem político da Princesa do Sertão que mantém suas filhas princesas sob as fartas tetas do Thomé de Souza e da AL-BA. Uma delas não trabalha como tal, mas tem vencimentos mensais aproximados ao do prefeito ACM Neto. 

Princesinhas do Sertão II
A outra mantém vida longa no Legislativo desde os tempos áureos de Marcelo Nilo, passando por Coronel e com o passe renovado por Leal. Dizem as más línguas que a princesinha do papai nem lá aparece, mas arremata quase 15 mil pratas todo santo mês. 

A farra dos carrões
A nova frota de carros de luxo para os deputados da Assembleia Legislativa da Bahia deu o que falar após um vídeo circular essa semana em grupos de WhatsApp. A gravação, no entanto, é antiga. A troca dos novos Corollas, avaliados em mais de R$ 100 mil, foi feita em janeiro deste ano, mas, com a pandemia, os veículos demoraram a chegar. Uma verdadeira farra dos carrões.
 

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Leia os termos de uso

jusnews

Na Sombra do Poder

PodCast

Mais Lidas