Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Na Sombra do Poder

Na Sombra do Poder: Black Boys na carniça

[Na Sombra do Poder: Black Boys na carniça]
12 de Novembro de 2020 às 05:00 Por: Pixabay/ Reprodução/ Redes sociais Por: Editoria de Política

Black Boys na carniça 
As pesquisas apontam vitória de Bruno Reis no primeiro turno, mas o jogo só termina quando acaba, conforme a máxima popular. Mas na prefeitura já tem uma turma fazendo planos com os ovos que a galinha ainda não pôs. Os black boys estão feito urubu na carniça, fazendo conjecturas e planos com cargos da próxima administração. O que se ouve da turma mais cautelosa é que muitos carniceiros vão ficar chupando dedo, bem longe do Thomé de Souza a partir de 2021. 

Dedos cruzados

Tem suplente com joelho no chão, rezando terço, batendo tambor para que deputados que são candidatos a prefeito se elejam no pleito deste ano. Entre os deputados estaduais com chances reais de vitória estão Jânio Natal em Porto Seguro, Osni em Serrinha, Eduardo Alencar em Simões Filho, Zé Raimundo em Vitória da Conquista e Zé Cocá em Jequié. Se eles ganharem nas urnas, a festa será de Bira Coroa (PT), Pastor Ubaldino (PSD), Luiz Augusto (PP), Reinaldo Braga (PL) e Anilton (Podemos), que estão na sequência dos suplentes. Mas essa previsão leva em conta que Luizinho Sobral, primeiro suplente, também vença a prefeitura de Irecê. Entre os federais, se Zé Neto levar a prefeitura de Feira, Joseildo se efetiva em Brasília e, no vácuo de um dos secretários de Rui (Pelegrino e Josias), quem ganha assento provisório na Câmara dos Deputados é Manassés.

Tsunami nas garagens
A reta final da campanha eleitoral gerou uma agitação sem precedentes nas garagens de prédios executivos e shoppings da capital baiana. É um entra e sai em carros estacionados, que acabaram virando points alternativos para reuniões secretas. Tem gente com caixas, malas, mochilas para lá e para cá, como a NSP flagrou esta semana. Estamos de olho. 

Faltou gás
Duas reclamações têm sido recorrentes nesta campanha. A primeira delas afeta diretamente o principal recurso deste pleito: as carreatas. Os donos de postos de combustíveis, que antes apoiavam as candidaturas com ofertas abundantes de gasolina para os veículos de candidatos e apoiadores, agora limitaram as bombas para míseros vouchers de R$ 50.  

Faltou cacau
Outra queixa que se ouve bastante é que não se encontra dinheiro em espécie para pagamentos que geralmente ocorrem nessa modalidade. Muitos empresários e lobistas estão de orelha em pé porque a escassez do papel inviabiliza estratégias costumeiras. Teve gente que dessa vez resolveu não se expor.

Brokers do interior

O mundo das apostas está em ebulição em todo o interior do estado. Faltando poucos dias para o dia D das eleições municipais, a turma está fazendo horrores e colocando em jogo quantias vultosas de origens questionáveis. Numa situação em particular, a PF já foi informada de um playboy que circula livremente entre Salvador e Feira de Santana brincando com a sorte.

Ambicioso e verborrágico 

A visita de Roberto Jefferson em Salvador não foi vã, algo tem. Durante sua estadia no hotel Fasano, no café da manhã, recebeu cumprimentos do Capitão Alden, deputado que deseja arrancar do PSL e levar para o PTB. Paralelamente, Jefferson também não esconde sua ambição de arrebanhar Cezar Leite para sua legenda. De olho lá na frente, ele tenta mexer as peças para ter uma representação mínima na AL-BA, um virtual candidato ao Governo da Bahia com Cezar Leite, ao tempo em que sonha ter Bolsonaro disputando a reeleição pelo PTB em 2022.

Em tempo: Mais uma vez, Bob Jeferson desembarcou verborrágico em Salvador e com a mira apontada para o prefeito ACM Neto e uma declaração forte que envolveu até ACM, o avô. Quando o BNews abriu os microfones para Neto comentar as manifestações de Jefferson, ele respirou fundo e disse que não ia “perder tempo” com o dito-cujo. 

Defesa e contra-ataque
Um passarinho verde soprou ao vereador Alexandre Aleluia que Roberto Jeferson saiu de Salvador decidido a fazer Bolsonaro gravar um vídeo em apoio ao candidato à prefeitura Cezar Leite, seu inimigo mortal no campo da direita soteropolitana. Ele correu por fora e apelou a Eduardo Bolsonaro, o 03, para que evitasse o gol do prefeiturável em tabelinha com o Planalto. Não só conseguiu frear a jogada favorável a Leite - pelo menos até agora - como também ganhou um vídeo de Bolsonaro pedindo votos em seu favor. Em síntese: tirou a bola de cima da linha, armou contra-ataque e ainda meteu um gol. Mas o jogo segue até domingo...

A tropa não veio com a Major
A essa altura do campeonato chama a atenção o fato de nenhum dos figurões da Polícia Militar da Bahia ter abraçado a campanha da Major Denice Santiago. O apoio que não veio de cima também não veio de baixo. Colegas e subalternos mantiveram, até então, um distanciamento expressivo e deixaram a Major sem tropa.  

A queridinha de Neto

Os candidatos a vereador mais próximos do prefeito ACM Neto estão enfurecidos com a predileção dele pela candidatura de Roberta Caires. Vista como a “queridinha” do soberano, ela tem despertado uma ciumeira sem tamanho na turma. A moça, a propósito, está jogando todas as cartas na mesa e fazendo uma ofensiva pesada pra fazer jus ao lobby. 

Choros no pé do caboclo
Nessa eleição não faltam prefeitos resmungando pelos cantos sobre o governador Rui Costa. Eles dizem que apoio simbólico não basta e que precisam de demonstrações mais generosas do governo para vencerem suas pelejas municipais.

Vai ser de galera! 

Se bater segundo turno em Feira de Santana e a disputa em Salvador for mesmo encerrada em primeiro turno, tenha certeza que o governo - leia-se Rui, Wagner Otto e companhia limitada - vai descer de galera para lá e dar a cartada final para ver se agora Zé Neto consegue a prefeitura da Princesa do Sertão. 

Estrategista perigoso
Rui pode até não ter ciência, mas o desenrolar da carruagem em Salvador, com eventual vitória de Bruno Reis no primeiro turno, provocará a ascensão de um estrategista de primeira linha ao comando da capital baiana. Diferente do seu criador, que é mais popstar, Bruno arrumou bem o meio de campo e colocou nas ruas uma campanha quase três vezes maior que a de ACM Neto, tendo ainda o agravante da pandemia que colocou duras restrições ao processo eleitoral. A criatura tem traquejo, recebe as lideranças, conhece cada uma pelo rosto e pelo nome. O inimigo pode se revelar muito pior do que aquele que está de saída.

Traços semióticos

Não tem registro melhor do que esse para explicar como se comportam alguns deputados baianos na relação com o Governo Bolsonaro. João Roma (DEM) e Zé Rocha (PL) caminham com o presidente, mas fora dos trilhos. Roma à direita e Rocha à esquerda, como um traço semiótico dos seus arranjos regionais com ACM Neto e Rui Costa, respectivamente. 

Vai efetivar
Tiago Correia não vê a hora de esquentar a cadeira definitiva de deputado na Assembleia Legislativa da Bahia. A informação que se tem é que o setor de cálculo do TRE já comunicou a decisão da cassação de Marcell e a manutenção da cadeira na oposição, diferente do que aconteceu com Targino, que perdeu o assento para o governo. Correia pode ser convocado a qualquer momento a se manter como efetivo na Casa e deixar de ser um tampão. Carlos Geilson, eleito no campo da oposição, mas hoje aliado de Rui, também aguarda ser chamado para a suplência temporária. Como a mudança ainda não foi oficializada, Marcell continua usufruindo das barganhas do poder na Assembleia, inclusive recebendo salário.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso