Na Sombra do Poder

Na Sombra do Poder: Conexão Rio-Salvador no secretariado de Bruno

[Na Sombra do Poder: Conexão Rio-Salvador no secretariado de Bruno]
24 de Dezembro de 2020 às 05:00 Por: Reprodução/ Redes sociais/ Pixabay/ Divulgação Por: Editoria de Política

Ponte SSA-RJ
O intercâmbio Rio-Salvador só aumenta. Ambas possuem histórico de irmandade, pois foram capitais gerais brasileiras. Agora ambas têm democratas como seus prefeitos e terão um mentor em comum: ACM, o Neto. Na semana passada, a equipe de Eduardo Paes desembarcou em Salvador para entender a logística das ações de combate ao coronavírus na capital baiana. Agora, vem de lá pra cá uma secretária da Fazenda, de Niterói, município importante do território carioca. Veremos mais dobradinhas, quiçá capitais se ajudando para eleger governadores. A conferir.

Don´t cry
Você, de Salvador, que tá reclamando que o trecho da orla do Farol da Barra será interditado no dia 31 por algumas horinhas, o que me diz do Rio de Janeiro cujo BAIRRO de Copacabana será bloqueado? Só entra morador. Don’t cry for me, Neto.

Encontro de gigantes 
Vem muita novidade boa em 2021 que vai sacudir o noticiário. Uma rádio potência de Salvador vai fechar parceria com o site de notícias que mais cresce na Bahia… Para bom entendedor, meia palavra basta.

Vão salvar Beca?

Quem está um poço de ansiedade sobre a formação do secretariado de Bruno Reis é o vereador Beca. Se voltar para a CMS em 2021, será o seu maior presente de Natal. O líder comunitário da região de Brotas/Cosme de Farias não conseguiu se reeleger e ficou na suplência. Tem esperança na arrumação do secretariado, com a subida de dois edis democratas, e, assim, ser agraciado pelo prefeito eleito. Vale destacar: merece esse aceno, pois foi parar na bomba relógio do Democratas para disputar o pleito justamente por causa de Bruno.

Muita areia
Tal como a NSP antecipou semanas atrás, Pablo Barrozo está arrumando as trouxas para deixar a Secult após uma passagem breve sem muita expressividade. Um observador político brincou com a situação e disse que, apesar de mediana, a pasta pareceu muita areia para o caminhão do futuro ex da Cultura.

Esforçado
Quem vai assumir o caminhão cultural é Fábio Mota, que já foi um pouco de tudo nessa vida e, esforçado como é, vai desenrolar mais um desafio.

Babador oficial

Sosthenes Macêdo está ameaçado no posto de babador oficial de ACM Neto. Isso porque Claudio Tinoco resolveu, literalmente, vestir a camisa da devoção. O que será dos dois a partir de 2021? Bruno Reis vai mantê-los no ofício de babadores na nova gestão? 

Vingança indireta
ACM Neto já anunciou que o ex-governador Paulo Souto estará na sua caravana rumo a 2022 como uma espécie de conselheiro político. Tem experiência, olhar de águia, mas as duas últimas tentativas de fixar residência no Palácio de Ondina naufragaram em primeiro turno, em 2006 contra Wagner e em 2014 contra Rui. Agora, o clima é outro e Souto pode ser vingar indiretamente dos petistas com eventual sucesso de Neto.

De traques a bombas
Tem um secretário soteropolitano que está se borrando de medo de inquéritos futuros que podem cair no seu colo. Acha que os atuais “traques” que podem evoluir para “bombas de mil” atrapalharão suas articulações futuras para ser deputado federal. A conferir.

Pedra sobre pedra

O recesso forense serve de alívio para uma galera ainda tensa que não se recuperou do golpe da Operação Faroeste. Há muita expectativa de futuras denúncias do MPF ou novas operações da PF. Como demorou praticamente um ano para grandes fases, há quem aposte que, em 2021, não demorará tanto. E se o braço político for atingido, como diria Fagner, “é que as pedras vão cantar”.

Espetáculo? Será?
Há advogados citados que bradam, pintam e bordam que a denúncia do MPF sobre a Faroeste é mentirosa e só serve para trabalhar articulações políticas que envolvem setores políticos e casos dignos do subsolo do Tribunal de Justiça da Bahia. O futuro e cenas de novos capítulos vão dizer se, de fato, é espetaculosa como apontam. Onde há fumaça, há fogo.

Natal maracugina 

Rui Costa emergiu do mergulho em alto mar pós-Operação Faroeste para anunciar os novos quadros da cúpula da Secretaria da Segurança Pública e, eis que agora, todas as atenções se voltam à reforma administrativa. Tem secretário ansioso ao ponto de trocar o famoso refrigerante na ceia de Natal por um suco de maracujá. Haja nervosismo.

Apelando, de novo
O vereador Alexandre Aleluia (DEM) segue tentando aparecer com a estratégia já manjada, utilizada no passado pelo presidente Jair Bolsonaro, de tentar revogar a lei Teu Nascimento, que pune estabelecimentos que praticam homofobia em Salvador. Sorte é que ninguém mais compra essa conversa. 

Mais bizarrices

Aliás, Aleluia está se rebaixando ao que há de mais bizarro na política atualmente. Esta semana, também tentou passar na Câmara de Salvador um projeto para que a prefeitura entregue o tal do "Kit-Covid", contendo hidroxicloroquina, ivermectina e azitromicina, como medida de prevenção e combate ao coronavírus. Se continuar assim, o herdeiro do clã Aleluia corre o risco de virar uma caricatura de si mesmo.
 

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar