Na Sombra do Poder

Na Sombra do Poder: O Mister M da eleição na AL-BA 

[Na Sombra do Poder: O Mister M da eleição na AL-BA ]
14 de Janeiro de 2021 às 04:30 Por: Divulgação/ Arquivo BNews/ Pixabay/ Reprodução/ Redes sociais Por: Editoria de Política

O Mister M da eleição na AL-BA 
O famoso personagem Mister M, da década de 1990, ressurgiu com força pelas bandas da Bahia, digo, nos bastidores da eleição na Assembleia Legislativa. Um articulador nato entrou em campo pedindo votos para o deputado Adolfo Menezes. Não deu outra. Como num passe de mágica a lá Mister M, o jogo virou de novo e o pessedista formou maioria para vencer o pleito do dia 1º de fevereiro em poucas horas.

A história conta 
Lembrou um deputado a esta coluna que o último bate-chapa na disputa pela presidência da AL-BA foi com Elmar Nascimento e Marcelo Nilo (eterno presidente). Isso em 2009. De lá pra cá, o acordo sempre prevalece para não ter nem vencidos nem vencedores.

Haja cafezinho 

No processo de eleição na AL-BA houve deputados que passaram uma verdadeira quarentena na sala da presidência. Nos últimos dias antes do xeque-mate de Adolfo, era fácil ver Samuel Júnior, Vitor Bonfim e Niltinho na sala com Leal. “Não falha um dia, haja cafezinho”.
  
Rachadura aberta na base de Rui
O discurso de “unidade” imprimido publicamente pela base do governador Rui Costa (PT) após o imbróglio pela presidência da Assembleia Legislativa é só discurso mesmo. Na prática, a briga entre PP e PSD deixou sequelas que serão sentidas nas próximas batalhas, incluindo 2022. Os olhos da NSP estão atentos. A conferir.

Outras digitais 1
Não foram os olhos claros do deputado Adolfo Menezes que viabilizaram a sua futura eleição como presidente da Assembleia Legislativa da Bahia, mas o peso do Palácio de Ondina na articulação que garantiu o cumprimento do acordo firmado na Governadoria em dezembro de 2018. Inclusive, apesar de o governador ter tido a atitude de convocar uma reunião entre todos os partidos da base para resolver a situação, o que mexeu com o tabuleiro em tempo recorde, foi a digital do senador Jaques Wagner (PT) que pesou. 

Outras digitais 2
Sabedor do problema que poderia lhe causar na costura de 2022, o cabeça branca do PT agiu rápido. Vendo aquilo que ele construiu nos últimos anos correndo o risco de desmoronar, foi a campo e, na reunião da bancada do PT, apresentou o caminho a ser trilhado. Quando a nota da bancada foi enviada à imprensa com o apoio a Adolfo, indiretamente fora lido pelos demais um apoio sacramentado, indiretamente, pelo governador Rui Costa. 

Prévia

A tática de Rui Costa, que encontrou na prévia entre os partidos da base a saída para afastar a oposição da articulação da AL-BA, foi tida como o seu grande trunfo. Ao afastar o bloco de ACM Neto (DEM) e resolver só com seus, jogou por terra a disputa e o cenário de terra arrasada que o ex-prefeito de Salvador queria implantar na Assembleia. Mas também pudera, se o petista não conseguisse a pacificação e a oposição fosse a moeda de ouro no processo, a derrota ficaria na conta da Palácio de Ondina. 

Mergulhou 
Há quem diga que o senador Otto Alencar (PSD) não queria nem ouvir sobre buscar um novo acordo sobre a AL-BA. Na cabeça do pessedista, o acordo foi o de 2018 e não se falava mais no assunto. Passou uns dias mergulhado e andando a cavalo, que não teve tempo ou não teve vontade de responder a alguns recados de um povo nervoso. Tirou o sono de muita gente graúda. 

Tribo de um cacique só 
Quem conta com o racha entre João Leão e Otto Alencar, PP e PSD, com o objetivo de um desses dois cair no colo de ACM Neto, na atual conjuntura, pode tirar o cavalo da chuva. Vejamos: ambos têm potencial de cacique na costura com o PT. No entanto, com Neto a história seria outra, pois nessa tribo só existe um cacique e que ainda não tem cabelo branco. 

Um domingo em Praia do Forte

No último domingo, o prefeito ACM Neto alugou uma bela casa em Praia do Forte e recebeu alguns tucanos para uma conversa. Logo após o almoço dominical, ficou decidido o apoio à candidatura de Niltinho (PP). Porém, o ex-prefeito preferiu ficar em cima do muro até aguardar uma posição do governador Rui Costa. Ora, ele não queria ter em sua conta a derrota do jovem pepista caso Rui entrasse com o peso do governo em cima dos deputados.

Não levou, mas ganhou musculatura 
É elogiável o desempenho do deputado Niltinho na queda de braço do seu partido com o PSD. Em seu primeiro mandato, provou ser um nome capaz de movimentar o cenário e começou a criar musculatura futura. Após sua entrada na disputa para valer, posicionou o partido que antes conversava estritamente só pra dentro para conversar para fora. Tem tudo para ser um vice-presidente da AL-BA se assim o futuro presidente da Assembleia, Adolfo Menezes, quiser mostrar e reforçar um sinal de pacificação diante do turbilhão das últimas semanas. 

Pelos cotovelos 
Não caíram como bom som nos ouvidos do governador Rui Costa as declarações dadas pelo senador Angelo Coronel (PSD) sobre a Assembleia Legislativa e o tabuleiro de 2022. O pessedista andou falando demais… 

Faxina

Alguns gabinetes já começaram a temporada de faxina. Tem deputado que sabe que não estará mais na mesa diretora e, por isso, tratou logo de adiantar a mudança, principalmente aqueles que ocupam o Palácio Luís Eduardo Magalhães. 

Tremedeira 
Inclusive, teve deputado que não se aguentou. Fechou acordo com um e, quando viu que o barco tava afundado, correu para se salvar quando ainda era tempo. Quem viu a cena contou que o parlamentar estadual estava em um estado de nervos tão grande que se tremia todo. Nem conseguia falar direito. No final, até então, já tem respirado aliviado. 

Orçamento sem revisão
Os deputados estaduais gastaram tanta energia na disputa pela presidência da AL-BA que não sobrou espaço para o Orçamento. Até hoje - e continuará assim pelo menos até início da próxima semana -, o governo do estado usa um orçamento de R$ 49,3 bilhões que não foi aprovado pela Assembleia.

Ponto de ônibus 

Não chame para a mesma mesa, preferencialmente se for no conhecido Barbacoa, os deputados estaduais Paulo Câmara (PSDB) e Sandro Régis (DEM). Foi difícil para o democrata digerir o apoio dado pelo tucano a Adolfo Menezes antes da bancada da oposição se posicionar. O ônibus parou no ponto já cheio, vale lembrar. Quem chega primeiro, escolhe o lugar onde sentar. Quem chega depois, corre o risco de ficar em pé.

Baianos no holofote federal
Os deputados baianos Elmar Nascimento e Arthur Maia estão protagonizando o movimento interno no DEM contra o apoio do partido a Baleia Rossi (MDB-SP). Estão, literalmente, ao lado do oponente, Arthur Lira (PP-AL), apesar de ACM Neto defender publicamente a candidatura do emedebista. Porém, o BNews já noticiou que o ex-prefeito de Salvador está a par de tudo o que ocorre nos bastidores e não se interessa em dar um freio nos dissidentes. Teria algo por trás?

Não passou despercebido 1 
A aglomeração promovida no ato que contou com a presença do governador Rui Costa não passou despercebida, especialmente para a imprensa. É um faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço!

Não passou despercebido 2 
Não é à toa que Correria é o apelido de Rui Costa. Após o rito de passagem entre o comandante-geral da PM, o governador acelerou o ritmo para inaugurar feitos da Vila Militar... Aí pronto, quem não está acostumado, como deputados federais e secretários recém-empossados, penou para alcançar o Correria. Foi um verdadeiro “você que lute”. Será que rola permuta com algum grupo de corrida para eles? Eis a questão. 

Tímido ou BOPE life style? 

Paulo Coutinho preferiu as palavras ensaiadas e mostrar serviço ao grudar no governador Rui Costa do que se relacionar com a imprensa. Em poucas palavras, a primeira impressão foi: uma timidez coberta de uma postura robusta.... Bope life style? Aguardemos os próximos capítulos.

Cerimonial 
Apesar de não querer se comprometer tanto com o cenário da disputa pela Câmara Federal, o governador Rui Costa mostrou ter sido muito mais cerimonioso que o ex-prefeito de Salvador ACM Neto durante a visita do candidato Baleia Rossi (MDB), tido como aglutinador da Frente Ampla contra Bolsonaro. O petista reuniu muito mais membros da sua bancada no Congresso do que o presidente nacional do DEM, que reuniu no Mundo Plaza mais cheques sem fundo na votação da Câmara do que em Ondina.

Palco político do fechamento da Ford
Um dos fatos que marcaram o noticiário nacional esta semana foi a saída da Ford do país. Por aqui, muito impacto econômico, desemprego e uma chuva de palanque político. Teve presidente, governador, prefeito, vereador, deputado se “friturando” de todos os lados. Um verdadeiro palco político para oposição e governo. Medidas concretas para amenizar o prejuízo ainda não vimos.  

Quem tem fé, fica em casa

Como em todo ano, na semana da Lavagem do Bonfim esta coluna é publicada, excepcionalmente, às sextas-feiras. Mas, com a pandemia, não teremos cortejo, empurra-empurra, políticos nas ruas, protestos, termômetro eleitoral e muito menos a velha e boa polêmica que já é marca das coberturas políticas no festejo popular da Bahia. Teve político que se livrou das espinhosas perguntas de jornalistas durante a caminhada. Já outros não poderão exibir o “bloco” nas ruas e mostrar força. Se por um lado é uma perda a ausência da tradicional festa sagrada e profana, por outro está a necessidade de evitar aglomerações e se cuidar. O BNews também faz o apelo: “quem tem fé, fica em casa”.  

Despedidas dos subprefeitos 
Esta semana o Diário Oficial do município de Salvador correu solto, foi exoneração pra lá, nomeação pra cá. As últimas mudanças ficaram na conta das Prefeituras-Bairro. Troca-troca no comando das áreas e muita despedida. Teve subprefeito enviando para lista de transmissão do WhatsApp matéria plantada para tentar vender a “tristeza dos moradores do bairro” com a saída do subprefeito. Me faça uma garapa! 

A candidata do (ex) prefeito 
Que a recém-eleita vereadora Roberta Caires foi a candidata de ACM Neto, todo mundo sabe. Agora, ela também passou a acompanhá-lo nas agendas pelo interior da Bahia, junto com deputados federais, estaduais e ex-governadores. A pergunta que não quer calar: é só gratidão mesmo ou já é mirando em 2022. Resta saber se a pupila vai sair da cadeira da CMS para os assentos da AL-BA.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar