Na Sombra do Poder

Na Sombra do Poder: O salário da digníssima

[Na Sombra do Poder: O salário da digníssima]
09 de Setembro de 2021 às 05:55 Por: Reprodução/Pixabay Por: Editoria de Política

Um deputado baiano deu uma bola fora no seu jogo político e poderá sofrer baixas nas indicações de cargo no governo do estado. Até aí tudo bem, não fosse a esposa dele uma das figuras sob risco de terem a exoneração publicada no Diário Oficial. Se não se ajustar politicamente, terá de encontrar outro abrigo salarial para sua digníssima ou tirar do próprio bolso uma mesada generosa para compensar.

Furada

Ninguém deve ter se frustrado mais com a presença do deputado Samuel Júnior (PDT) no ato pró-Bolsonaro em Florianópolis neste fim de semana, do que a sua esposa. Félix já esperava, Lupi sabe que era reincidente. Mas a esposa do deputado, ah essa deve ter ficado furiosa! Samuel disse que estava na capital catarinense por uma viagem em comemoração ao aniversário de casamento. No entanto, o colega Alex Santana também tava por lá e apareceram juntos em fotos. Sabe quando o marido jura que a viagem é para namorar, mas na real é a trabalho? Furada!

Concorrência

Se depender do presidente do Conasems, Wilames Freire, que representa os mais de 5.500 municípios brasileiros na área da saúde, a Bahia terá um novo nome na política em 2023. O ex-secretário da Saúde, Fábio Vilas-Boas, teve o nome alçado a futuro parlamentar pelo presidente do Conasems na última semana, durante a posse de Stela Souza, reeleita para o Conselho dos Secretários Municipais de Saúde da Bahia. Jorge Solla e Fabíola Mansur que estavam no auditório já começaram a fazer as contas.

Na chapa

Uma ala de deputados estaduais da base governista começa a considerar a necessidade de o governador Rui Costa compor a chapa majoritária – obviamente, para a vaga ao Senado. Na avaliação deles, o mandatário só entrará de cabeça na campanha se realmente tiver alguma conquista pessoal em jogo, para além de defender seu legado de oito anos. Por tabela, uma eventual candidatura de Rui coloca Leão no Palácio de Ondina nos oito meses finais do governo. E está aí a razão de a tese acima ter a simpatia de pepistas.

Buscando garantias

Por outro lado, o grupo cogita que não dá para ficar “refém” da vinculação da majoritária local com a figura do ex-presidente Lula, como já foi exitoso no passado. A candidatura de ACM Neto pelo campo da oposição deve acirrar como nunca a disputa por cada centímetro do interior baiano, disse um governista à NSP. 

Cadê?

Chamou a atenção nos atos de Sete de Setembro do Farol da Barra a ausência dos bolsonaristas baianos com mandato. O vereador Alexandre Aleluia (DEM) e a deputada estadual Talita Oliveira (PSL), grandes expoentes do bolsonarismo baiano, optaram por acompanhar a manifestação da Avenida Paulista.

Povo nas ruas?

As manifestações bolsonaristas em Salvador foram robustas, sim. Contudo, não é possível dizer que o "povo" foi às ruas. Cezar Leite, ex-vereador um dos organizadores do ato, anunciou aos quatro ventos nas redes que 100 mil pessoas estiveram presentes no Farol da Barra. Ainda que esse número fosse realista, lembre-se que Salvador tem 2,9 milhões de habitantes, segundo o IBGE. Então, não foi o "povo" nas ruas. Foram apenas apoiadores do presidente.

Vai flopar?

Prevendo uma eventual baixa adesão, o MBL-BA pulou fora da organização dos atos contra Bolsonaro marcados para o próximo dia 12 de setembro. Apenas o NOVO e o Livres vão manter o ato simbólico, no Farol da Barra, às 9h.

Arquivo confidencial

Os deputados Alex Santana e Samuel Júnior estão espalhando por aí que Félix Mendonça Júnior tomou uma decisão unilateral ao levar o PDT ao grupo de ACM Neto. Contudo, os arquivos das redes sociais mostram que o prefeito Bruno Reis (DEM) ganhou o apoio dos dois na corrida eleitoral de 2020 em Salvador. 

Piada pronta

No embalo das provocações eleitorais que ja dominam o noticiário, eis que ACM Neto sacou essa piada pronta direto de um #tbt na mesa de sinuca: "Bola vermelha fora do jogo em uma tacada só".

Piada pronta 2

O vereador de Salvador Sidininho pode até ter mudado de lado, mas o número do gabinete faz lembrar os tempos em que era líder de oposição na Câmara. Simbólico 13. A internet não perdoa.

Classificação Indicativa: Livre


Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar