Justiça

Justiça determina realização de novo júri sobre o massacre do Carandiru

Niels Andreas/Folhapress

Caso ocorrido em 1992 deixou saldo de 111 detentos mortos nas celas do presídio

Publicado em 28/11/2018, às 08h30    Niels Andreas/Folhapress    Redação BNews

O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), por meio da 4ª Câmara Criminal, decidiu manter o novo julgamento de embargos infringentes do caso do massacre do Carandiru, ocorrido em 1992, e determinar um novo júri para o caso. 

Ao todo, 111 presos foram mortos dentro das celas do presídio paulista. 74 policiais militares foram condenados em cinco júris diferentes, entre 2013 e 2014. O período das penas variavam entre 48 e 624 anos de prisão em regime fechado. Apesar da condenação, os policiais envolvidos nunca chegaram a ser presos. A Justiça de São Paulo decidiu anular todos os julgamentos em setembro de 2016.

Nesta terça-feira (27), a maioria dos desembargadores, 4 votos a 1, entendeu que o caso deve ser novamente analisado pelo júri.

De acordo com o portal Uol, dos 74 policiais que haviam sido condenados, 58 foram promovidos depois dos assassinatos. Do total, sete permanecem na ativa, 10 pediram exoneração da polícia, 51 estão na reserva, um foi demitido, outro foi expulso, um perdeu a graduação e o último tem diversos homônimos dentro da corporação e não foi localizado. Outros dois morreram.

Classificação Indicativa: Livre