Justiça

STJ e STF reduzem gastos com passagens e diárias em 2021; saiba quem gastou menos

Reprodução/PAlex Ribeiro/Ag. Pará

No caso do STF, foram também analisados os gastos dos ministros com passagens relativos a 2020 - que são os dados disponíveis na página do tribunal. Veja qual ministro viajou mais no período

Publicado em 02/11/2021, às 12h17    Reprodução/PAlex Ribeiro/Ag. Pará    Redação BNews

O Supremo Tribunal Federal (STF) e o Superior Tribunal de Justiça (STJ) reduziram consideravelmente os gastos de dinheiro público com diárias e passagens de magistrados e servidores em 2021, ainda no contexto de pandemia - no qual esses órgãos aderiram a audiências, sessões e eventos realizados de forma remota.

Levantamento realizado pelo site Metrópoles, nos primeiros oito meses deste ano (entre janeiro e agosto), o STF gastou R$ 2.147.002,64 milhões em diárias e passagens. No ano passado, no mesmo período, o total desembolsado pela corte foi de R$ 2.678.886,98 milhões. Assim, houve uma redução de 19,9% nesse tipo de despesa.

Em 2019, ano pré-pandemia, R$ 4.314.465,64 milhões foram gastos com diárias e passagens. A redução de gastos desta natureza no STJ foram ainda maiores, também de acordo com a publicação. Entre janeiro e julho de 2021, as passagens e diárias de juízes e servidores do órgão custaram R$ 53.965,64 mil ao contribuinte.

O montante significa apenas 9% do total gasto no mesmo período de 2020 - R$ 599.537,14 mil. No primeiro ano de crise sanitária da covid-19, comparado a 2019 – quando o STJ desembolsou R$ 1.352.526,59 milhões no ano inteiro, houve uma redução de 56,7%. As informações do levantamento foram obtidas nos portais da transparência das cortes.

No caso do STF, foram também analisados os gastos dos ministros com passagens, sejam nacionais ou internacionais, relativos a 2020, que são os dados disponíveis na página do tribunal - ainda não há informações de 2021. No total, segundo o Metrópoles, os ministros desembolsaram R$ 104.723,66 mil em passagens aéreas no ano passado. 

As despesas com voos pela Força Aérea Brasileira (FAB) não estão inclusas. Nesse contexto, o ministro que mais gastou com viagens foi o presidente do STF, Luiz Fux: R$ 30.116,97 mil em oito trajetos diferentes. A ministra Cármen Lúcia foi a única que não gastou com viagens em 2020. Confira abaixo o gastos dos demais:

Gilmar Mendes: R$ 19.277,31
Roberto Barroso: R$ 16.359,49
Alexandre de Moraes: R$ 9.875,83
Dias Toffoli: R$ 8.790,70
Ricardo Lewandowski : R$ 6.704,52
Edson Fachin: R$ 5.973,76
Rosa Weber : R$ 5.065,41
Nunes Marques: R$ 2.641,91

Leia Também

TSE impõe cerco eleitoral ao bolsonarismo com cassação e bloqueio financeiro a sites

MPT pede continuidade de ação que pede indenização de R$ 10 mi a XP e Ável por falta de diversidade

Licença-paternidade estendida ainda é rara e motivo de piadas

Eleições OAB-BA: Ana Patrícia vê machismo e misigonia em ataque de comitê

Classificação Indicativa: Livre