Denúncia

Mulher diz ter sido agredida por enfermeiras no Hospital Municipal de Salvador; secretaria nega

Arquivo Pessoal/Reprodução

As agressões teriam ocorrido na madrugada desta sexta-feira (27), no Hospital Municipal de Salvador

Publicado em 27/05/2022, às 13h11    Arquivo Pessoal/Reprodução    Redação Bnews

A mãe de um bebê de 11 meses que está internado no Hospital Municipal de Salvador, no bairro de Cajazeiras, acusou uma enfermeira e três técnicas de enfermagem da unidade de agredi-la após reclamar da demora das profissionais para reinstalar uma sonda no filho, hospitalizado há cerca de um mês em razão de uma Bronquiolite Aguda. As agressões aconteceram na madrugada desta sexta-feira (27).

De acordo com Robson Souza, advogado que representa a dona de casa Ana Paula Ribeiro, ela chegou a chamar as enfermeiras por três vezes para que colocassem o equipamento no bebê, no entanto, não teria sido atendida.

“O bebê está usando uma sonda e essa sonda acabou soltando, com isso o bebê começou a vomitar na mantinha. Ela foi até a enfermaria e pediu para que alguém pudesse recolocar a sonda no lugar. Uma das enfermeiras pediu pra ela esperar só que demorou e ela voltou procurando saber o motivo da demora”, relatou.

Ainda conforme o advogado, a dona de casa teria se irritado após retornar à enfermaria e se deparar com as profissionais conversando enquanto o filho vomitava.

“O que mais incomodou ela foi se deparar com as enfermeiras rindo e conversando. Ela ficou nervosa com a situação e as enfermeiras começaram a ‘beliscar’ ela. Uma delas deu um tapa no rosto da minha cliente e instantes depois voltou a agredi-la”, afirmou.

Leia também:

Em um vídeo gravado momentos após as agressões, é possível ver as profissionais tentando imobilizar a dona de casa enquanto ela pede para que a soltem. Na filmagem também é possível ouvir uma das testemunhas confirmando as agressões. “A enfermeira bateu na acompanhante”, diz a mulher que registrou a cena.

Assista:

Segundo o defensor de Ana Paula, após a situação ela chegou ser colocada para fora do hospital e só foi liberada para retornar momentos depois. A dona de casa teria procurado a direção da unidade para relatar o ocorrido, porém não conseguiu falar com a pessoa responsável.

O advogado acrescenta que a cliente vai registrar um boletim de ocorrência na delegacia ainda nesta sexta.

Procurada pela reportagem, a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) desmentiu a versão relatada pela dona de casa. De acordo com a pasta, a acompante tentou agredir uma médica e agrediu uma técnica de enfermagem e uma enfermeira. A SMS frisou ainda que as profissionais agredidas registraram a ocorrência na delegacia.

Veja a nota na íntregra:

"O Hospital Municipal de Salvador elucida que, lamentavelmente, o fato foi registrado na unidade sendo a mãe do bebê internado a responsável por iniciar toda a ocorrência quando foi ao posto de enfermagem pedir um lençol e foi-lhe solicitado que aguardasse. Neste momento ela deu início às agressões verbais e físicas. “Tentou agredir a médica, feriu na cabeça uma técnica de enfermagem com o arremesso de um grampeador e estapeou no rosto uma enfermeira”. Após a contenção da mulher, apesar das ameaças físicas e verbais ainda proferidas pela mesma, a suposta agressora não foi conduzida pelos policiais por ser a única acompanhante do bebê, que continuou recebendo todo suporte necessário para o reestabelecimento do seu quadro de saúde. Os profissionais agredidos prestaram queixa na delegacia e se colocam à disposição da Justiça para todos os esclarecimentos", diz a nota.

Siga o BNews no Google Notícias e receba as principais notícias do dia em primeira mão.

Classificação Indicativa: Livre