Economia

Agente autônomo acusado por XP de violar dados pede que ela prove ou se retrate

Divulgação / Minaspetro

Na noite de sexta (24), a XP bloqueou em seu sistema a conexão dos assessores da EQI

Publicado em 28/07/2020, às 06h33    Divulgação / Minaspetro    Joana Cunha, Folhapress

EQI, escritório de agentes autônomos que prepara sua saída da XP em 60 dias para montar sua própria corretora ao lado do BTG, enviou uma notificação extra-judicial à corretora nesta segunda-feira (27) pedindo que ela apresente provas da acusação feita no sábado (25) ou que se retrate.

Na noite de sexta (24), a XP bloqueou em seu sistema a conexão dos assessores da EQI e, no dia seguinte, justificou que havia identificado uma tentativa de violação dados de clientes por meio de um robô.

O escritório de agentes autônomos pede que a retratação e as provas sejam apresentadas em 48 horas. Procurada pela reportagem, a XP afirma, em nota, que "as infrações identificadas já foram encaminhadas para os órgãos reguladores". Os documentos foram para o Banco Central, segundo a XP.

Na notificação enviada nesta segunda, a EQI afirma que a XP, a princípio, disse que não havia uma suspensão de acesso, mas uma manutenção técnica. O escritório de agentes autônomos diz que, no último dia 14, seu pessoal de tecnologia fez um procedimento corriqueiro de acesso a dados usando email da empresa, mas que durante dez dias a XP não reclamou.

"Por que a XP demorou dez dias para tomar as alegadas medidas de proteção a dados sigilosos dos clientes? Certamente porque sabia que não havia ameaça alguma a esses dados", diz comunicado da EQI.

O escritório de agentes autônomos afirma que a acusação é grave e causa estranheza que a XP não aponte quem foi o usuário que realizou o acesso, nem o horário. "Da forma como conta a história, a XP faz crer que seu sistema pode ser violado a qualquer hora de maneira simples e fácil", diz a EQI.

Classificação Indicativa: Livre