Economia & Mercado

Vendas no varejo baiano crescem e ferramenta online pode impulsionar mais o faturamento; saiba qual

Divulgação
Especialista indica como turbinar vendas no varejo através de estratégias online  |   Bnews - Divulgação Divulgação
Verônica Macedo

por Verônica Macedo

[email protected]

Publicado em 16/04/2024, às 08h00



O mês de fevereiro de 2024 registrou crescimento de 8,2% em todo o Brasil, comparando com igual período do ano anterior, segundo dados da última Pesquisa Mensal do Comércio divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Na Bahia, esse mesmo índice do volume de vendas foi 12% maior em relação a 2023. “O que denota alto potencial de expansão para o restante do ano, já que as datas mais relevantes para o setor, como o Dia das Mães, ainda estão por vir”, comenta Rafael Jakubowski, especialista em gestão e estratégias comerciais, CEO da Sanders Digital. 

Inscreva-se no canal do BNews no WhatsApp.

Ele ressalta que este é um momento oportuno para criar atrativas de vendas, como promoções para serem implementadas no comércio on-line, especialmente o WhatsApp. “Se forem planejadas, construídas de forma segmentada, elas elevam significativamente o faturamento das empresas”, reforça o especialista.

Jakubowski aponta que, de acordo com resultado da pesquisa Panorama de Marketing, 72% do fechamento e atendimento comercial feito pelas empresas se dá no WhatsApp. O levantamento mostra, ainda, que o pós-venda contabiliza 55% das interações no aplicativo e o segmento que mais utiliza a plataforma é o varejo (74%), seguido pelo mercado imobiliário (70%), saúde e estética (67%) e tecnologia (40%).

Por isso, o CEO da Sanders Digital destaca a importância de profissionalizar o uso do aplicativo, treinar as equipes de atendimento e fortalecer os processos de comunicação para que sejam diferenciados e eficientes. Segundo ele, “o WhatsApp é uma das mais potentes ferramentas de relacionamento e conversão de vendas, se utilizado com estratégia e segmentação pelas empresas”, ressalta o executivo, que também é CMO as a Service em companhias, como: Energy Group e BN Engenharia.

Outro dado que comprova esse cenário é de um levantamento realizado pela Buen Fin 2023 da Meta, indicando o aplicativo de mensagens como essencial em conversão de vendas: 65% das pessoas preferem receber promoções e interagir com as empresas por meio do WhatsApp, ao invés e-mail, SMS ou ligação.

Com isso, Jakubowski elenca três dicas infalíveis para começarem a ser aplicadas pelas empresas, visando acelerar as vendas a curto prazo. São elas:

O produto certo para a pessoa certa: não adianta enviar aquela mesma imagem de oferta para todos os clientes no WhatsApp. Divida os clientes por grupos, possibilitando oferecer um produto que se encaixe melhor às necessidades daquele grupo de clientes, o que faz a conversão em vendas aumentar.

Foque na recompra: conquistar um cliente é um desafio e muitas vezes o atendente acaba não dando atenção para a recompra desse cliente! Portanto, sempre que um cliente comprar, é estratégico criar uma rotina para abordá-lo com novidades e ofertas que combinem com o perfil dele.

Crie um cupom de desconto mais agressivo para atrair clientes antigos que não compraram mais: estabeleça uma base de clientes, isso vale ouro. Quanto mais se aprende a vender para essa base, mais lucrativo o negócio fica. É importante criar um cupom de desconto com uma vantagem que realmente faça os clientes que não compraram mais sentirem vontade de consumir, aproveitar a oportunidade. Isso vai reaquecer a chama das vendas com esses perfis. Além disso, mantenha a comunicação com ele depois dessa venda, o atendimento pós-venda é fidelizador.

“Atuo com mentoria, treinamentos e palestras para pequenas, médias e grandes companhias de diferentes segmentos e, somente nos últimos 12 meses, com adequações nos processos de abordagem, geramos mais de R$ 50 milhões em faturamento para os clientes através de estratégias pelo WhatsApp”, enfatiza o especialista em gestão comercial.

Jakubowski acrescenta que, apesar da inteligência artificial e de tantas outras ferramentas facilitadoras, os clientes querem ser atendidos por pessoas quando se trata de WhatsApp, querem falar com alguém, obter opiniões. Esse é o perfil do consumidor que prefere atendimento humanizado pelo aplicativo e que efetivamente compra, se fideliza. “É o que chamo Concierge Commerce”, explica o especialista.

Clique aqui e se inscreva no canal do BNews no Youtube!

Classificação Indicativa: Livre

FacebookTwitterWhatsApp