Eleições

Wagner é reeleito governador da Bahia

Saiba um pouco mais sobre a trajetória do governante

Publicado em 04/10/2010, às 08h29        Patrícia Costa

Carioca, mas com coração baiano, como gosta de ressaltar, o governador reeleito do Estado, Jaques Wagner, apesar da tranquilidade com as pesquisas de intenção de voto que lhe dava a vitória no primeiro turno, teve que dividir o apoio do presidente Luiz Inácio Lula da Silva com o adversário e ex-ministro do presidente Geddel Vieira Lima (PMDB).
O acordo para aliança nacional PT-PMDB previa dois palanques no Estado. A coligação vencedora "Pra Bahia Seguir em Frente" é composta por PT, PP, PSB, PDT, PCdoB, PRB, PSL e PHS. Mas, desde o lançamento da campanha de Wagner, Lula já vinha manifestando apoio claro ao governador.
Nascido em 1951, engenheiro por formação, Jaques Wagner ingressou na política na época da faculdade no Rio de Janeiro. Participou do movimento estudantil, foi perseguido pelo regime militar e acabou indo para a Bahia, em 1974, onde conseguiu o primeiro emprego na indústria petroquímica.
Em solo baiano, entrou para o movimento sindical, onde conheceu o presidente. Ajudou a fundar o Partido dos Trabalhadores (PT) e foi o primeiro presidente do partido na Bahia. Em 1990, foi eleito deputado federal, reelegendo-se em 1994. Disputou pela primeira vez eleição para o governo da Bahia em 2002.
No governo Lula, foi ministro do Trabalho e Emprego e assumiu a Secretaria Especial do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social da Presidência da República. No auge da crise do mensalão, foi o articulador político do governo como ministro das Relações Institucionais.
Jaques Wagner é casado, pai de três filhos. Reelegeu-se na Bahia com uma vantagem expressiva frente aos demais candidatos: 4.079.891 dos votos.

Classificação Indicativa: Livre