Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Privacidade para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Eleições 2020

Bacelar denuncia “abuso de poder econômico” na eleição para prefeito de Salvador e garante que chegará ao 2º turno

[Bacelar denuncia “abuso de poder econômico” na eleição para prefeito de Salvador e garante que chegará ao 2º turno]
Por: Vagner Souza/ BNews Por: Raul Aguilar e Márcia Guimarães 0comentários

O candidato a prefeito de Salvador Bacelar (Podemos) denunciou a existência de “abuso de poder econômico” na cidade nas eleições deste ano. Sem citar nomes, em entrevista ao BNews neste sábado (17), ele reclamou da “situação vergonhosa” que coloca os postulantes ao Executivo municipal em posições desiguais.

“Eu lamento a judicialização [na campanha], prefiro que as coisas se resolvam democraticamente, mas, quando não tem entendimento, o Judiciário é o caminho. Que há o abuso do poder econômico na cidade, é visível. É vergonhoso o que a gente assiste hoje em Salvador, de abuso de poder econômico, é só sair na rua e vocês vão ver. Tomaram tudo, alugaram diversos carros de som, não tem um poste nessa cidade que não tenha uma propaganda. A Justiça precisa ver isso”, criticou Bacelar.

Ele garantiu que a pulverização de candidaturas na base do governador Rui Costa (PT) não fará com que Bruno Reis (DEM), pupilo do prefeito ACM Neto (DEM) e líder nas pesquisas, ganhe a disputa pela administração municipal no primeiro turno.

“O surgimento e a contenção de candidaturas não pode ser uma coisa artificial. Temos uma diversidade de forças na base do governador Rui Costa e é natural que essa diversidade se reflita no número de candidaturas. Vai ter segundo turno e, no dia 16 de novembro, os analistas vão ter que reconhecer que erraram porque nós vamos levar a eleição pro segundo turno”, profetizou Bacelar.

Debates

O candidato também comentou a onda de cancelamentos nas televisões da capital baiana e avisou que levará o caso para a Câmara dos Deputados a partir de novembro. “As televisões são concessões públicas e elas precisam respeitar a lei e dar igualdade de condições a todos os candidatos”, frisou.

No embate na TVE, que segue confirmado para o próximo sábado (24), ele adiantou que não quer “emparedar” Bruno Reis. Disse que irá apresentar suas propostas e criticar as “cópias” que os candidatos fazem de seus projetos para Salvador.

“Vou criticar as propostas mal copiadas que eles fazem das minhas. Quem tem proposta pra Salvador sou eu, que formei uma equipe de altíssimo nível pra, junto com o povo de Salvador, fazer esse plano de trabalho”, acrescentou.
 

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Leia os termos de uso

jusnews

Na Sombra do Poder

PodCast

Mais Lidas