Entretenimento

Luiza Maia entra com representação contra banda Abrakadabra no MP

Reprodução

Deputada acredita que a música “Tigrão Gostoso” traz indistinta discriminação contra mulheres

Publicado em 07/02/2014, às 07h03    Reprodução    Redação Bocão News (Twitter; @bocaonews)

A polêmica envolvendo a banda conquistense Abrakadabra ganha mais um capítulo. A deputada estadual Luiza Maia (PT) entrou com uma representação no Ministério Publico da Bahia, contra o grupo, motivada pelo conteúdo do clipe musical “Tigrão Gostoso” na quarta-feira (5).  A deputada afirma que o conteúdo da música “traz indistinta discriminação contra mulheres, com violação à imagem e dignidade destas”.



Como prometido, Luiza Maia tomou providências contra o que considera “uma provocação, um ato desagradável”.  Para Luiza Maia, o clipe também incita, “sem chance de dúvida, a prática de crimes contra a liberdade sexual, como os de estupro e atentado violento ao pudor, previstos nos arts. 213 e 214 do Código Penal”.  

“Vimos o exemplo da banda New Hit: quem canta violência pratica violência. Não podemos permitir que o que aconteceu em Ruy Barbosa se repita”, enfatizou a deputada. “O problema não está no ritmo, mas no conteúdo dessas músicas. Existem bandas de pagode e de arrocha que fazem um belo trabalho, sem ofender a dignidade de ninguém”.  



No clipe, um homem persegue uma mulher em um local escuro e, mais tarde, o grupo promove uma invasão ao lar da mesma, para logo após exibir uma coreografia de teor sexual. Em nota, a banda afirma que resolveu tirar o clipe do ar por conta da repercussão do caso. 

Publicada no dia 6 de fevereiro de 2014, às 18h01

Classificação Indicativa: Livre