Cultura

Espaço para shows de grandes artistas, Concha também foi palco de protestos

[Espaço para shows de grandes artistas, Concha também foi palco de protestos]
12 de Maio de 2017 às 12:04 Por: Paulo M. Azevedo Por: Redação BNews
Um ano após a reabertura da Concha Acústica do Teatro Castro Alves (TCA), 240 mil baianos e turistas curtiram sons de diversos artistas. Entre as estrelas que passaram pelo local estão Gilberto Gil, Maria Bethânia, Caetano Veloso, Ney Matogrosso, Zé Ramalho, Nando Reis, Ivete Sangalo e Marisa Monte. Para a reabertura do espaço, os Novos Baianos fizeram um grande reencontro. 
 
Mas, a Concha não foi palco apenas de grandes atrações, protestos também aconteceram no local. No ano passado, no segundo dia do Festival Eu Sou a Concha, pontualmente, o cantor baiano Carlinhos Brown subiu ao palco e trouxe canções que se alternavam do romântico ao axé. Lazzo Matumbi também se apresentou como convidado de Brown. 
 
Na oportunidade, Lazzo criticou o redesenho ministerial feito pelo presidente Michel Temer, e a extinção do Ministério da Cultura. Na plateia, também houve manifestações sobre o tema com cartazes com os dizeres "Cultura sim. Golpe não". O público também se manifestou contra o presidente interino gritando frases como "Fora Temer". 
 
Brown aproveitou a oportunidade: “aqui é um país de democracia, minha opinião sobre [a extinção do] Ministério da Cultura é que é um tiro no pé. Nós estamos unânimes quanto a isso. Meu Brasil está intacto em meu coração, na forma de ser e na forma de respeitar as pessoas. Espero que todos cheguem a um caminho bonito, mas a democracia está pedindo um Ministério da Cultura. Eu sou semianalfabeto, se não fosse a cultura, eu continuaria a ser. Seu Michel, quem não deve, não teme. Devolva o Ministério da Cultura”.
 
 
A segunda atração daquela noite foi a banda Baiana System, que convidou o cantor Ney Matogrosso. Na ocasião, o vocalista da banda, Russo Passapusso, também criticou o atual cenário político do Brasil. Durante o show, o cantor pediu ao público que os cartazes que criticavam o governo Temer fossem levantados. Ele também fez referência à extinção do Ministério da Cultura dizendo “devolvam minha cultura”. 
 
 
“A Concha tem o formato mais acolhedor que se pode ter do artista com o público, no sentido de se ecoar as palavras e principalmente no sentido de abraço no artista. Quando se está no público, você sente que consegue ter uma visão do artista privilegiada por todos os lados”, diz o vocalista da banda, Russo Passapusso.
 
 
“Tenho momentos inesquecíveis na Concha, alguns deles foram assistir Nação Zumbi, Gilberto Gil, Lucas Santana, e outras pessoas que a gente se espelha muito. Foi ali que vi o primeiro momento disso, de quebrar a quarta parede, um palco que por si próprio já quebra a quarta parede”, detalha o músico, referindo-se à proximidade entre os artistas e a plateia.
 
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar