Esporte

Por determinação judicial, Bahia é impedido de julgar processo ético contra MGF

Por meio de nota oficial, o presidente do Conselho, Henrique De La Torre, anunciou a decisão da magistrada

Publicado em 25/09/2016, às 08h30    Gilberto Júnior / Bocão News    Redação Galáticos Online

Publicação em jornal de grande circulação, reunião extraordinária na manhã deste sábado (24). O Conselho Deliberativo do Bahia deixou tudo pronto para julgar o parecer da Comissão de Ética sobre o processo contra o ex-presidente do clube, Marcelo Guimarães Filho.
Mas, uma determinação judicial impediu o andamento dos trabalhos. MGF conseguiu uma liminar, concedida pela juíza Ana Conceição Barbuda, que determinou a suspensão do processo até julgamento em contrário.
Por meio de nota oficial, o presidente do Conselho, Henrique De La Torre, anunciou a decisão da magistrada.
Confira a nota:
O Conselho Deliberativo do Esporte Clube Bahia vem perante à Nação Tricolor prestar os seguintes esclarecimentos:
Conforme publicado em jornal de grande circulação no Estado e no site oficial do Clube, foi convocada reunião extraordinária deste Conselho para a manhã deste sábado, 24/09/2016, tendo, dentre os diversos pontos de pauta, a convocação para “deliberação sobre o processo ético administrativo nº 01/2014 e do parecer da Comissão de Ética do Conselho Deliberativo sobre o feito”.
Antes do início da reunião, o Clube foi notificado acerca de “Decisão Liminar”, obtida na madrugada, durante o plantão judiciário, pelo Sr. Marcelo Guimarães Filho, lavrada pela Magistrada, Exma. Sra. Dra. Ana Conceição Barbuda Guimarães, que determinou ao Clube que se abstivesse “de realizar o julgamento do P.A. 01/2014”.
Em respeito à decisão judicial, muito embora discordando com veemência do seu teor, este Conselho Deliberativo procedeu conforme a determinação, retirando de pauta o julgamento do processo ético contra o ex-gestor do Clube.
O Conselho Deliberativo do Esporte Clube Bahia reitera o seu compromisso com o respeito e o cumprimento das normas estatutárias e regimentais desta associação, bem como o ordenamento jurídico brasileiro, razão pela qual buscará as medidas judiciais cabíveis para possibilitar o prosseguimento do feito.
Salvador, 24 de setembro de 2016
Henrique Garcia de la Torre
Presidente do Conselho Deliberativo

Classificação Indicativa: Livre