Esporte

Petkovic desconversa sobre rejeição e diz que sempre quis ser técnico do Vitória

[Petkovic desconversa sobre rejeição e diz que sempre quis ser técnico do Vitória]
12 de Maio de 2017 às 14:33 Por: Vagner Souza / BNews Por: Redação Galáticos Online
Logo após ser apresentado oficialmente como técnico do Vitória, Petkovic conversou com exclusividade com a Equipe dos Galáticos, na Itapoan FM. O novo treinador foi questionado sobre a grande rejeição da torcida ao seu nome para o cargo.
 
Na resposta, o sérvio, que acumulará a função com a de gerente de futebol, tentou desconversar. "Repercussão sempre se tem, tem que ser escutada, ouvida, mas é impossível agradar todo mundo, falo isso em geral no futebol brasileiro. Se é maioria ou não, é difícil de medir. O importante é dar satisfações e responder a maioria das perguntas das pessoas", disse.
 
Sobre sua preparação para as funções, Pet garantiu ter estudado para ambas. "Eu me preparei para gerente, tenho curso superior de formação para diretor esportivo na Federação de Futebol da Espanha, em Madri, e assumi essa função no Atlético (PR). Depois, acumulei a função de técnico do Sub-23 do Atlético e também fui me preparar para o cargo de técnico com cursos da UEFA. Já tenho licença. Já acompanhei clubes da Europa também. Agora, falto apenas um último curso da UEFA para obter a licença que me permite trabalhar em clubes da Liga dos Campeões da Europa".
 
O treinador também contou como recebeu o convite para ser o treinador rubro-negro e revelou que essa era sua pretensão antes mesmo de aceitar a proposta para ser gerente de futebol. "O Sinval já tinha me procurado em janeiro e feito o convite para ser gerente de futebol, naquele momento eu já tinha dito que queria ser técnico. Conversamos e não deu certo naquele momento. Quando recebi a ligação do Sinval na saída do Argel achei que seria chamado para ser o técnico, porque nunca escondi que queria ser o técnico. Falei a ele que tinha pensado que me chamaria para ser o técnico. Mas, ele falou que era para o projeto que já tínhamos conversado em janeiro, de ser gerente. Aceitei e vim na semana do BAVI, em um momento complicado. Já fui logo encarregado de trabalhar o perfil do técnico. Viajei para o Rio para me encontrar com candidatos. Depois do jogo (final), nos reunimos no Barradão. O Sinval me fez o convite para ser o técnico. Ai eu neguei, teve um bate-boca, admito, porque eu já tinha conversado com alguns colegas e como agora eu daria essa resposta? Domingo voltamos a conversar e eles insistiram. Eu aceitei pensar. Depois desse debate, depois de três dias, aceitei, pois quero estar no Vitória, é uma forma de agradecimento pelo que o Vitória fez por mim, me abriu as portas no país".
 
Já sobre o nível do elenco do Leão para uma Série A e a necessidade de reforços, o técnico admitiu que serão feitas contratações, mas preferiu não avaliar a qualidade do grupo. "Em breve faremos essa análise mais detalhada. Vamos ainda trazer peças, reforçar. Mas, acho que temos um elenco que foi campeão, com jogadores importantes", encerrou.

Publicada originalmente dia 11 
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar