Esporte

Ricardo Gomes admite 'burrice' por não tomar remédios preventivos

[Ricardo Gomes admite 'burrice' por não tomar remédios preventivos]
08 de Outubro de 2011 às 20:54 Por: Redação Bocão News

 


 
O técnico do Vasco, Ricardo Gomes, disse que foi 'burro' por não tomar remédios para controlar a pressão, em entrevista ao jornal 'Extra'. Segundo o comandante, o AVE (Acidente vascular encefálico) sofrido no último 28 de agosto poderia ter sido evitado. Ele lembrou a morte do seu pai, aos 66 anos, ocasionada também por um acidente vascular.

"Ele [pai do técnico] morreu vítima de um AVC [Acidente vascular cerebral], aos 66 anos. Hoje, teria 86. Mas fui negligente. Tudo isso aconteceu porque fui burro. Tenho que ter mais cuidado. Eu não tomava remédio de pressão. E isso é tão simples", admitiu.

O treinador falou sobre sua volta ao trabalho. Gomes pretende voltar em fevereiro, a tempo de comandar a equipe na Libertadores-2012.  "Eu e os médicos estamos tentando fazer o melhor possível", continuou.
Sobre a recuperação, o técnico disse que está evoluindo. Porém, ainda não consegue sair de casa e não tem sensibilidade nos membros direitos. Ele comentou que se locomove com auxílio de muletas e que durante sua recuperação chegou a perder 10 kg.

Gomes ainda admitiu que pretende ir a São Januário, como torcedor, nas últimas rodadas do Brasileiro.  "Se eu conseguir, será ótimo. Vou tentar. Mas estou vendo todos os jogos pela televisão. Comecei a assistir ainda no CTI, quando o Vasco enfrentou o Figueirense", disse. "O Cristóvão Borges [técnico interino] está indo muito bem. Está de parabéns. O Vasco é líder. Isso não é fácil. Se passar pelo Inter [neste domingo], acredito que o time vai longe".

O treinador rechaçou que tenha sofrido o AVE por nervosismo. O acidente vascular ocorreu durante o clássico contra o Flamengo, no Engenhão, na 19ª rodada do Brasileiro. No dia, seu estado chegou a ser considerado gravíssimo.

"Senti uma coisa estranha. Um formigamento, mas muito forte. Ali, eu já sabia... O negócio foi pesado. Lembro de tudo, mas apaguei ainda no Engenhão. Eu não estava nervoso. Não fico nervoso, não. Os médicos dizem que o AVC não teve nada a ver com o jogo. Aquilo já estava programado", concluiu.
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar