Esporte

Raimundo Viana alfineta PC e descarta se unir ao adversário: "Incompatível com meus princípios"

[Raimundo Viana alfineta PC e descarta se unir ao adversário:
15 de Abril de 2019 às 22:34 Por: Galáticos Online Por: Galáticos Online 0comentários

Candidato à presidência do Vitória na chapa "100% Vitória", Raimundo Viana foi o entrevistado desta segunda-feira (15) da Equipe dos Galáticos, na Itapoan FM. O ex-presidente, que tenta retornar ao clube, comentou sobre o momento de dificuldade financeira e o que pretende fazer para que o Leão retome o caminho dos triunfos.

Sobre seu principal adversário na disputa, Paulo Carneiro, Viana alfinetou e descartou qualquer possibilidade de se unir ao também ex-presidente, mesmo após a eleição. "Incompatível com meus princípios", disse.

Acompanhado do seu candidato a vice-presidente, Marcos Sarmento, o dirigente também comentou sobre a convivência com Manoel Matos e lamentou a união do seu ex-companheiro de diretoria a PC.

Confira abaixo o resumo da entrevista:

Por que se candidatar novamente à presidência do Vitória?

Raimundo Viana: Não aguentei a pressão de vários seguimentos da torcida. Todo mundo pedia, que eu tinha que voltar. Aqui estou, enfrentando mais um desafio. Fiz de tudo por uma candidatura única, e não era para mim, era para outro candidato. Mas, infelizmente, não consegui. Tem pessoas que têm projeto pessoal. O meu projeto é para o clube. Não sou candidato de mim, não tenho vaidade por cargo.

Dificuldades de assumir o clube nesta situação

RV: É um grande desafio. Fazer coisas com dinheiro e tempo é muito fácil. Mas, fazer coisas em tempo curto, sem credibilidade e sem recurso, só com a ajuda do homem lá de cima. Conseguimos isso com humildade, seriedade e dedicação de alguns amigos, pois não se faz nada só. Não gosto muito de falar em legado, pois parece louvação em causa própria. Mas, o que fizemos está aí. Não vi em nenhum time de futebol um presidente transferindo um mandato para outro deixando o que deixamos. Infelizmente, não sei o que fizeram com esse dinheiro.

Diferença de como deixou o Vitória em 2016 para como o clube se encontra hoje

RV: Deixei vinte e tantos milhões no caixa. Isso somado a mais R$ 10 milhões de Marinho, mais R$ 6 milhões de Marcelo e mais R$ 2 milhões do empréstimo de Ramon. Para onde foi todo esse dinheiro? Incendiaram o dinheiro, pois hoje o Vitória não tem dinheiro nem para comprar água mineral.

O que pretende fazer de imediato caso vença a eleição?

RV: São atitudes que já começam a ser adotadas em paralelo, mas não com a intensidade de quem já está no poder. Nosso proposito, hoje, é fazer uma varredura no clube, principalmente no departamento de futebol. Temos que fazer um time com capacidade de competir acima dos demais participantes da Série B. Claro que isso esbarra no recurso.

Marcos Sarmento: Nossa preocupação maior hoje é com quem está no plantel. Nosso plantel está com a autoestima acabada. Reforçar o plantel, claro que vamos. Mas, esse plantel aí, com confiança e o comando de um líder honesto, produz muito mais do que vem produzindo hoje. Não pensamos em mudar ninguém que está aí, nem diretor de futebol. Precisamos é reforçar e dar confiança.

Sobre o afastamento do ex-companheiro de diretoria Manoel Matos

RV: Ainda hoje sou grato pelo trabalho que ele desenvolveu como meu vice-presidente. Quando cheguei no clube, ele era diretor da divisão de base e me foi apresentado para ser meu vice-presidente. Quando terminou nosso mandato, ele disse que iria encerrar a carreira e me disse que eu também deveria encerrar. Depois, ele se debandou para alguns elementos. Não sei as razões dele, mas fiquei entristecido. A união sempre foi um ideal meu. Quando tomei posse na última gestão, eu falei que faria de tudo para estabelecer uma conivência respeitosa entre todos os setores do Vitória. Fiz de tudo para criar uma chapa única, mas, tem setores que têm projeto pessoal e pessoas que tem projeto para o clube. Isso não se mistura. 

Possibilidade de se unir a Paulo Carneiro

RV: Está louco? Incompatível com meus princípios. Perco a eleição, a não perco meus princípios, não vendo minha alma. Não estou dizendo que ele é ruim, mas fiquei extremamente entristecido quando o Vitória caiu para a 3ª divisão. É justo um ex-presidente do Vitória desfilar com a camisola do Bahia? Tacar uma ação para cobrar do Vitória milhões se ainda baseado em documentos falsos? Quem fez isso jamais terá meu voto ou meu apoio.

Possível retorno de Santiago Tréllez

Marcos Sarmento: Existe um contato, mas a informação vazou e outra chapa entrou em contato. O contato e a vontade existe, muito, de ambos os lados. O jogador também tem muita vontade.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Leia os termos de uso

jusnews

Na Sombra do Poder

Eduardo Entrevista

Mais Lidas