Geral

Pequenos empreendedores apostam na criatividade e na tecnologia para driblar impactos da pandemia

Freepik|

Profissionais autônomos tem apostado na tecnologia para oferecer seus serviços

Publicado em 15/12/2021, às 06h30    Freepik|    Redação BNews

Além dos cuidados com a saúde, a pandemia do novo coronavírus também trouxe muitas dúvidas em relação ao futuro da economia brasileira e incertezas sobre o desempenho dos negócios no país. Para driblar a crise causada pela covid-19, profissionais autônomos e empreendedores tem apostado na tecnologia e na criatividade para oferecer seus serviços.

E foi pensando nisso que as estudantes Geisa Dias e Suelen Conceição criaram uma empresa online de dermocosméticos naturais, usando o Instagram como único recurso de promoção e venda. Conseguimos perceber que muitas pessoas estavam ociosas em suas casas e que poderiam dedicar esse tempo para o autocuidado”, explica Geisa.

Apesar das redes sociais fazerem parte da rotina das pessoas, Geisa ressalta que negociar por esses meios é um desafio constante. “Não é fácil, temos que nos aperfeiçoar o tempo todo”, diz. Para atrair os compradores, a empreendedora afirma que ela e a sócia procuram acompanhar as tendências que vão surgindo na web. “Antes do nosso projeto, não tínhamos noção da importância do meio digital para uma empresa. Hoje, ele se tornou parte indispensável da estratégia de vendas, pois é exatamente ali que os clientes estão”, ressalta.

Um estudo da renomada PwC, network de firmas presente em 155 países, incluindo o Brasil, indicou que empresas que fazem investimentos consistentes em digitalização têm obtido resultados positivos mesmo em períodos de ruptura.

Tal necessidade das empresas se digitalizarem não é novidade para a publicitária baiana Débora Goodwin. Ela, que trabalha com redes sociais desde 2015 e hoje atua como social media, afirma que é notório que, cada vez mais, empreendedores têm buscado se inserir no âmbito digital. “Antes da pandemia eu percebia que essa procura já vinha acontecendo, mas algumas empresas ainda eram resistentes. Com a chegada do coronavírus, essa inserção se tornou quase unânime”, avalia.

Em meio a empreendedores que aproveitaram da pandemia para se aventurar no meio digital e aqueles que passaram a investir na tecnologia para tentar reverter os prejuízos causados pela covid-19, há também os que sempre enxergaram as vastas possibilidades do mercado e que, nesse cenário atípico, passaram a faturar ainda mais. É o caso do empresário Antônio Hebert, o ‘Ted Reis’, que oferece cursos online de manutenção de iPhones por preços acessíveis. 

tecnologia

Tudo começou quando ele decidiu lançar uma escola online de capacitação. A ideia, segundo Ted, surgiu da necessidade necessidade de inovação, aliada a vontade de ajudar pessoas que queriam se profissionalizar no ramo com um preço acessível. “Muita gente já me pedia pra ensinar, então porque não fazer isso por meio da internet?”, apontou ele ao contar que chegou a ser criticado por sempre vislumbrar uma empresa que não 'dependesse' do espaço físico. Atualmente, Ted leciona para mais de 6 mil alunos distribuídos entre os cinco treinamentos oferecidos por sua empresa. Quase 200 mil pessoas acompanham os seus canais no YouTube, Instagram e Facebook.

Para adequar o negócio à pandemia, o empresário mudou apenas o essencial: adaptou a comunicação nas redes de forma a apresentar o seu treinamento como uma opção de renda durante o crítico cenário, amparado pelo fato de que as pessoas em isolamento acabaram usando mais o celular, o que gerou a necessidade de mais consertos. Com o crescimento exponencial das manutenções, aproveitou para consagrar o antigo sonho de reabrir sua loja, a TRFIX (@trfix.ssa). "Percebemos que as pessoas, por conta do atual cenário econômico, não conseguiriam comprar produtos novos com tanta facilidade, então reparar se tornou a principal saída. Felizemente, os números só crescem!", concluiu. 

Siga o BNews no Google Notícias e receba os principais destaques do dia em primeira mão.

Classificação Indicativa: Livre