Justiça

Procurador afirma que atos criminosos ocorridos após suposta greve da PM podem ser enquadrados na Lei de Segurança Nacional

[Procurador afirma que atos criminosos ocorridos após suposta greve da PM podem ser enquadrados na Lei de Segurança Nacional]
11 de Outubro de 2019 às 15:26 Por: Vagner Souza/BNews Por: Pedro Vilas Boas 0comentários

O procurador do Ministério Público Estadual Geder Gomes afirmou, nesta sexta-feira (11), que os atos criminosos ocorridos após a polêmica sobre a suposta greve da Polícia Militar podem ser enquadrados na Lei de Segurança Nacional. 

Durante a coletiva de imprensa realizada na sede do MPE, no Centro Administrativo da Bahia (CAB), ele explicou que, por representarem risco da ordem política e social, dependendo das consequências de alguns desses atos, a pena pode chegar a 30 anos.

"Não se trata de personalizar a questão.  A ação do MP é para conter qualquer pessoa, indivíduo que pratique essas condutas", afirmou Geder, em resposta a um questionamento sobre o papel do deputado estadual Soldado Prisco (PSC) nos atos.

O parlamentar é presidente da Associação dos Policiais e Bombeiros e de seus Familiares do Estado da Bahia (Aspra), que organiza o movimento grevista. 

O procurador citou como exemplo do que se enquadraria na Lei de Segurança Nacional a posse de veículo de transporte público para causar o caos.
 

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Leia os termos de uso

jusnews

Na Sombra do Poder

Eduardo Entrevista

Mais Lidas