Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Justiça

Acusado de pedir auxílio emergencial em nome de Neymar é alvo de busca e apreensão pela PF 

[Acusado de pedir auxílio emergencial em nome de Neymar é alvo de busca e apreensão pela PF ]
27 de Outubro de 2020 às 06:47 Por: Lourival Ribeiro/SBT Por: Redação BNews

A Polícia Federal cumpriu na manhã desta terça-feira (27) um mandado de busca e apreensão com o objetivo de fortalecer provas em Inquérito Policial que investiga fraudes na abertura de contas na Caixa Econômica Federal para recebimento fraudulento do auxílio emergencial do Governo Federal. O alvo foi um homem, morador de Fortaleza, no Ceará, acusado de pedir o benefício e abrir uma conta em nome do jogador Neymar e teria tentado fazer o mesmo utilizando o nome do ministro da Economia, Paulo Guedes. 

A ordem judicial foi expedida pela Justiça Federal do Ceará e cumprida em Fortaleza, no endereço de um homem apontado como mentor de vários golpes junto à instituição financeira federal. Foram apreendidos documentos e mídias que serão submetidos à perícia técnico-científica. 

De acordo com as investigações, o investigado abriu duas contas utilizando os dados do jogador Neymar da Silva Santos Junior, sendo que uma delas com o objetivo de receber auxílio emergencial cadastrado por meio de aparelho celular. De fato, consta o recebimento de benefício do auxílio emergencial aprovado em nome do empresário Luciano Hang e transferido para a conta fraudulenta em nome do jogador, nos meses de abril e maio.

A investigação apurou também que o homem tentou ainda aplicar golpe semelhante utilizando o nome do atual Ministro da Economia, Paulo Guedes, e logrou êxito em cadastrar diversas pessoas para o recebimento de auxílio emergencial, cujas parcelas foram por ele sacadas.

O investigado e quaisquer outros partícipes das fraudes contatadas na investigação responderão pelos crimes de estelionato majorado, falsificação de documento público, uso de documento falso e organização criminosa, na medida de suas responsabilidades.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso