Justiça

MPF conclui que Filipe Martins cometeu "gestos racistas" no Senado

[MPF conclui que Filipe Martins cometeu "gestos racistas" no Senado]
09 de Junho de 2021 às 15:17 Por: Reprodução/TV Por: Henrique Brinco

O Ministério Público Federal denunciou, nessa terça-feira (8), o assessor do presidente Bolsonaro, Filipe Martins. A ação acontece após o denunciado realizar, durante sessão do Senado Federal, "gestos racistas" utilizados por movimentos extremistas ligados à ideia de supremacia branca, fazendo referência à expressão "White Power".

Em nota, o MPF informou que foram realizadas perícias minuciosas sobre os movimentos praticados por Filipe a fim de analisar se o assessor estaria de fato apenas ajeitando o seu terno, como ele alegou. No entanto, a conclusão investigativa apontou que as ações foram incompatíveis com um possível ajuste das suas roupas.
 
Para o órgão, "ficou evidente que Filipe agiu de forma intencional e tinha consciência do conteúdo, do significado e da ilicitude do seu gesto. "Ele responderá segundo a lei de crimes raciais por ter praticado e induzido a discriminação e o preconceito de raça", afirma o comunicado.
 
A denúncia ainda apontou que Filipe apresenta padrão de comportamento e difusão de ideias ou símbolos extremistas. O documento explica ainda que a ação praticada pelo denunciado enquadra-se no que é chamado de “dog-whistle politics”. Na seara política, o termo faz referência à transmissão de gestos, palavras ou imagens de forma discreta ou dissimulada.

Se declarado culpado, ele pode ser condenado à prisão, ao pagamento de multa mínima de R$30 mil e à perda de cargo público.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar