Polícia

Mutirão carcerário do TJ-BA: 1.385 presos provisórios são postos em liberdade

[Mutirão carcerário do TJ-BA: 1.385 presos provisórios são postos em liberdade]
30 de Maio de 2017 às 06:51 Por: Redação BNews
Realizado entre 23 de janeiro e 20 de abril deste ano,  mutirão carcerário realizado pelo Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) encerrou com 1.385 prisões provisórias revogadas em todo o estado. Os presos provisórios são aqueles que ainda aguardam julgamento. O balanço da ação foi divulgado pelo órgão nesta segunda-feira (29). A iniciativa é do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), por causa da crise do sistema penitenciário brasileiro.
 
O mutirão foi realizado sob a coordenação do Grupo de Monitoramento e de Fiscalização do Sistema Carcerário (GMF), com colaboração das assessorias especiais da Presidência, das corregedorias Geral da Justiça e das Comarcas do Interior, além do suporte da Diretora de 1º Grau. 
 
Balanço
Do total de presos liberados, 657 terão de cumprir medidas cautelares, quando o preso é posto em liberdade mediante uma série de obrigações. Outras 220 prisões foram revogadas sem essas condições. E 508 prisões foram relaxadas, ou seja, os juizes entenderam que o réus estavam preso ilegalmente.
 
Segundo o TJ-BA, foram mantidos custodiados 3.212 presos provisórios. Além disso, 517 processos de presos provisórios receberam sentenças, com 371 condenações, 47 absolvições e 57 com a extinção da punibilidade.
 
Ainda de acordo com o órgão, em 35 processos desse total, o magistrado designado determinou que o caso fosse encaminhado ao tribunal do júri. O inverso aconteceu em outras sete situações, quando a impronúncia (decisão do juiz determinando que o réu não vá a júri) foi decretada.
 
Participaram da ação 211 magistrados. Apesar de não integrar o objeto do mutirão carcerário, que se limitava a presos provisórios, os juízes analisaram processos da execução penal, ou seja, de condenados que estão cumprindo pena.
 
O Tribunal também detalhou que o livramento condicional foi concedido em 70 processos; progressão para regime aberto em 358 processos; progressão para semiaberto em 182 processos; sentença extintiva em 391 processos e sentença de indulto em outros 32 processos.
 
 
 
 
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar