Justiça

OAB-BA: “Infelizmente temos visto um abuso do poder econômico à frente do local de votação", lamenta Ricardo Nogueira

Victor Pinto/BNews

Nogueira também ponderou que as pessoas acabam, por vezes, "votando pela emoção" ou dando o chamado voto útil, em vez de votar no candidato em que se identifica por ter receio de "desperdiçar o voto". "Desperdício do voto é quando você não dá o voto consciente", opinou

Publicado em 24/11/2021, às 11h11    Victor Pinto/BNews    Victor Pinto e Marcos Maia

O advogado Ricardo Nogueira, um dos concorrentes na eleição que escolherá o próximo presidente da Ordem dos Advogados do Brasil - Secção Bahia (OAB-BA), opinou na manhã desta quarta-feira (24) que o processo eleitoral precisa ser amplo, para garantir a participação de todos e um processo democrático saudável.

Contudo, segundo ele, o abuso financeiro e econômico no sufrágio representa uma ameaça a essa lógica. “Infelizmente temos visto um abuso do poder econômico à frente do local de votação, em Salvador. Está parecendo um comitê das duas chapas que tem maior poder econômico", lamentou em entrevista no Centro de Convenções, onde a votação acontece.

Nogueira também ponderou que as pessoas acabam, por vezes, "votando pela emoção" ou dando o chamado voto útil, em vez de votar no candidato em que se identifica por ter receio de "desperdiçar o voto".

"Desperdício do voto é quando você não dá o voto consciente. [...] Estou muito feliz e satisfeito com o resultado de todo esse processo, por todo esse embate que fizemos. Propostas com coerência. Tivemos uma receptividade muito boa. Agora a sorte está lançada, nas mãos de deus", disse. Ele também comentou que a impugnação da sua campanha, segundo ele, pendente de uma decisão, foi solicitada por um grupo social "sem legitimidade" para fazê-lo.

“Infelizmente foi acolhida por uma decisão teratológica da relatora [membro da comissão eleitoral] Anna Carla Fracalossi.  Ela tem feito propaganda para a candidata Daniela Borges. Isso tá na rede social dela", acusou. O candidato cita uma publicação feita em agosto deste ano. Verificando que o perfil no Facebook com o mesmo nome citado, é possível encontrar uma postagem sobre o lançamento da pré-candidatura de Borges naquele mês.

"Isso mostra que ela não tinha parcialidade para dar uma decisão. Afastou critérios objetivos como a intempestividade e a legitimidade processual. Apresentamos recurso e está pendente de julgamento. Mas, com certeza, se o direito ainda prevalecer aqui na bahia, vamos conseguir reverter isso", disse.

Leia Também

Eleição OAB-BA: Comissão Eleitoral se reúne após direção do Centro de Convenções solicitar remoção de 'paredão'

Eleições OAB-BA: Dinailton Oliveira avalia que encabeçou 'campanha de abnegados' em prol da advocacia

Eleições OAB-BA: "Fizemos uma campanha propositiva, ética", avalia Daniela Borges

Candidata à presidência da OAB-BA diz que fica mais "tranquila" com observador na eleição

Eleições OAB-BA: Fabrício Castro avalia que pedido por observador federal foi  'desnecessário' e 'irrelevante' 

Classificação Indicativa: Livre