Bahia

Um ano após agressões, ex-mulher de filho do prefeito de Salinas da Margarida relata liberdade: "eu me refiz"

[Um ano após agressões, ex-mulher de filho do prefeito de Salinas da Margarida relata liberdade:
Por: Reprodução/Instagram Por: Redação BNews 0comentários

"Hoje é o dia que Deus me deu uma nova oportunidade de viver. Por alguns minutos eu vi a morte na minha frente, eu tinha perdido toda esperança de viver". O relato é da estudante Clara Emanuele Santos Vieira, 21 anos, ex-mulher do filho do prefeito de Salinas da Margarida, Felipe Fernandes Pedreira. A declaração publicada nas redes sociais se refere às agressões que ela sofreu do ex-marido no dia 8 de maio do ano passado.

Na época, ela disse ter sido torturada por ele, em Santo Antônio de Jesus. Na ocasião, ela contou ter recebido socos no rosto, teve os cabelos e dedos cortados, e além disso, Felipe também teria agredido o filho deles, de um ano, e pai dela, com spray de pimenta.  Em depoimento à polícia, ele confessou o crime e foi liberado em seguida.

"Eu passei uma madrugada no hospital, sem conseguir sentar, com tantas dores, eu não conseguia falar direito porque minha boca estava toda pocada, eu não conseguia ouvir direito porque eu tive perda em uma parte da audição, por conta das pancas, enxergar era com muita dificuldade porque eu tive derrame no olho esquerdo, eu não conseguia digitar, porque os meus dedos estivam cortados, eu não conseguia me olhar no espelho porque eu estava irreconhecível. Meu corpo foi mordido diversas vezes, onde o roxo tomou conta de mim. Eu já tinha perdido toda esperança de viver", escreveu a jovem que é filha do prefeito da cidade de Muniz Ferreira.

No período do ocorrido, Clara contou que ela já havia sido agredida outras vezes durante o relacionamento. Ela casou com o rapaz no final de 2016 e a separação ocorreu no dia 27 de abril deste ano, porque ela não aguentava mais a violência. Na postagem desta quarta-feira (8), a estudante relembrou do período de recuperação em que ficou trancada no quarto. "Eu só chorava e emagrecia, até uma terça feira, que eu recebi umas mensagens de motivação e tudo mudou... quis levantar da cama, quis viver, porque eu tinha uma família toda sofrendo com meu sofrimento, eu tinha e tenho um filho que precisava de mim. Eu vi pessoas que eu dividia minha vida, me apunhalando, eu comi o pão que o diabo amassou", relatou.

Ainda no relato, ela comemorou a nova fase que define como libertadora. "E hoje completou um ano, e Deus vem me moldando, fazendo de mim objeto dele, eu me refiz, eu realizei sonhos nesse ano, eu estou sendo feliz nesse ano, eu tenho liberdade de poder ser quem eu sou, eu tenho o amor do homem mais incrível que já conheci, que tenho orgulho, que todo dia eu agradeço a Deus e peço que continue abençoando", disse.

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Hoje é o dia que Deus me deu uma nova oportunidade de viver. Por alguns minutos eu vi a morte na minha frente, eu tinha perdido toda esperança de viver. Eu só pensava em meu pai e no meu filho, na preocupação do que poderia acontecer com eles dois, e logo depois a notícias, meu pai e meu filho também passaram por minutos de sufoco... eu passei uma madrugada no hospital, sem conseguir sentar, com tantas dores, eu não conseguia falar direito pq minha boca estava toda pocada, eu não conseguia ouvir direito porque eu tive perda em uma parte da audição, por conta das pancas, enxergar era com muita dificuldade porque eu tive derrame no olho esquerdo, eu não conseguia digitar, porque os meus dedos estivam cortados, eu não conseguia me olhar no espelho porque eu estava irreconhecível, meu cabelo foi cortado, fiquei um bom tempo na espera do crescimento. Meu corpo foi mordido diversas vezes, onde o roxo tomou conta de mim. Essas foram as dores e marcas físicas e agora eu lembro das psicológicas que foram as piores, meu filho tentava limpar o roxo do meu olho, meu vizinho, uma criança, tentava me confortar, falando que tudo ia passar, meu pai não conseguia me olhar... eu também não, porque sentia vergonha de mim, das acusações contra mim, eu me vi no fundo do poço de verdade, eu já tinha perdido toda esperança de viver... passei dias trancada no quarto, eu só chorava e emagrecia, até uma terça feira, que eu recebi uma mgs de motivação e tudo mudou... quis levantar da cama,quis viver, porque eu tinha uma família toda sofrendo com meu sofrimento, eu tinha e tenho um filho que precisava de mim, eu tinha meus amigos que também estavam sofrendo comigo e foi nessa hora que eu vi os meus verdadeiros amigos e eu nunca vou esquecer dos verdadeiro, eu vi pessoas que eu dividia minha vida, me apunhalando, eu comi o pão que o diabo amassou. E hoje completou um ano, e Deus vem me moldando, fazendo de mim objeto dEle, eu me refiz, eu realizei sonhos nesse ano, eu estou sendo feliz nesse ano, eu tenho liberdade de poder ser quem eu sou, eu tenho o amor do homem mais incrível que já conheci, que tenho orgulho, que todo dia eu agradeço a Deus e peço que continue abençoando.

Uma publicação compartilhada por Clara (@vieira.clara25) em

 

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Leia os termos de uso

jusnews

Na Sombra do Poder

PodCast

Mais Lidas