Mundo

Balotelli nega ter vendido drogas por piada com mafioso italiano

Atacante italiano foi alvo de mais uma polêmica

Publicado em 01/06/2013, às 23h32        Redação Bocão News (Twitter: @bocaonews)

Balotelli foi alvo de nova polêmica na Itália Foto: Getty Images
Balotelli foi alvo de nova polêmica na Itália
Foto: Getty Images

Mario Balotelli precisou se explicar mais uma vez. O polêmico atacante da seleção italiana e do Milan, convocado para a Copa das Confederações, foi acusado por um integrante da máfia italiana Camorra de associação ao tráfico de drogas, o que irritou o treinador Cesare Prandelli, comandante da seleção. Balotelli admitiu a visita ao grupo em Nápoles, na Itália, mas tudo não teria passado de uma brincadeira.

Armando De Rosa, membro da Camorra, declarou em depoimento que Balotelli havia observado como drogas como cocaína e heróina são produzidas e negociada no bairro de Scampia. Ao perceber o produto ser entregue a um comprador, teria questionado se também poderia vender. 

Balotelli, que há quase dois anos chegou a depor em um tribunal por conta da visita ao bairro, sustentou a versão de que foi conhecer o bairro por curiosidade. Ele teria visto um filme em que se retratava a realidade de Camorra. "Foi um pequeno passeio com alguns amigos, nada de especial houve. Não tenho nada a ver com tráfico, odeio drogas. É uma mentira incrível e vergonhosa", classificou depois do treino da Itália na quinta-feira.

"É intolerável como tentam colocá-lo dentro de todas as situações. Não posso imaginá-lo negociando drogas nem como uma piada", se irritou Prandelli. "Balotelli se tornou tão popular que precisa avaliar cada coisa que faz e escolher cuidadosamente com quem passa o tempo. A visita foi feita por curiosidade de criança. Tudo já foi esclarecido ao juiz", acrescentou. 

Classificação Indicativa: Livre