Personalidade

Claudia Leitte perde vaga ‘vendida’ por Edilson no Carnaval

Imagem Claudia Leitte perde vaga ‘vendida’ por Edilson no Carnaval

Produtor nega informação e garante que o "Largadinho" vai sair no horário

Publicado em 05/02/2013, às 06h41        Alessandro Isabel (Twitter: @alessandroisabel)

Na semana do carnaval a cantora Claudia Leitte recebe um duro golpe da Justiça. Nesta segunda-feira (04) – faltando apenas 4 dias para o início da folia - a loira foi informada que o bloco ‘Largadinho’ está impedido judicialmente de desfilar nos horários programados: domingo (19h50), segunda (20h25) e terça (19h20) para o Circuito Barra/Ondina (Dodô).

Com a decisão da liminar da desembargadora Maria do Socorro Barreto Santiago, a Produtora Ciel, responsável pela carreira da cantora, deverá providenciar outra forma para o ‘Largadinho’ desfilar em horário comercial ou terá que se contentar com o ‘final da fila’.

CONFUSÃO - Segundo informação de Alessandra Schuring, advogada de Ivana Solon, ex-mulher do ex-jogador Edílson Ferreira, a confusão teve início com a assinatura de um contrato em 2012 entre a Ed Dez Produções – de Edilson - e a Produtora Ciel cedendo o horário do bloco “Bróder” – que tem Edilson e Ivana como proprietários.

Nesse acordo ficou firmado que os horários do "Bróder" no domingo, segunda e terça seriam cedidos para o “Largadinho”/Cláudia Leitte, mas em 2011 Edilson já havia assinado um outro contrato cedendo o espaço para a Timbalada até 2014. “Ele (Edilson) vendeu um horário para dois blocos”, disse a advogada. “Resumindo o assunto. Edilson assinou dois contratos: um com Timbalada e outro com Cláudia Leitte. Agora a justiça anulou o contrato com Claudia Leitte, dando nulidade ao contrato mais antigo”, explica Schuring.

Ainda segundo a advogada, a Saltur já foi notificada pela Justiça e o bloco Largadinho terá que conseguir outro lugar na fila para sair. “Queremos que seja cumprida a ordem judicial”, diz ela, que não sabe ainda quem ficará com a vaga. “Não deverá ser o bloco de Cláudia Leitte”.

Em meio a todo embaraço envolvendo as partes, o produtor de Cláudia Leitte, Sandro Mello, garante que o bloco vai sair nos dias e horários divulgados no site oficial do carnaval de Salvador. “Não tem chances do bloco não sair. Sabemos que existe uma briga judicial entre Edílson e a ex-mulher, mas não cabe a nós entrar nesta seara, o importante é que já pagamos o valor contratual. É uma briga entre eles (Ivana e Edilson) e vamos sentar hoje com os advogados deles para resolver a situação”, garante Mello.

Mesma opinião compactua o empresário e marido de Claudia Leitte, Márcio Pedreira, que em entrevista ao Bocão News informou que o bloco vai estar na rua no domingo (10). “O Largadinho vai sair no Brother às 19h30. Nossos advogados estão resolvendo isso”, disse Pedreira.

A advogada da ex-mulher de Edílson, esclareceu em nota que houve um descumprimento de ordem judicial por parte do ex-jogador. "Ele passou por cima de um acordo judicial, devidamente homologado, transitado e julgado em 2011, que estabelece parceria com a Timbalada".

Confira a nota na íntegra:

"Atualmente, a situação delineada é que o Sr. Edilson Ferreira, em ato absurdo e inconsequente, resolveu efetuar  a venda da mesma vaga no circuito Barra Ondina para a Timbalada e para a Sra. Claudia Leitte. Essa vaga citada pertence ao Bloco Bróder, um dos fundadores do carnaval soteropolitano. O senhor Edilson Ferreira, passando por cima de acordo judicial, devidamente homologado e transitado em julgado em 2011, que estabelece parceria com a Timbalada, resolveu vender o que não é de sua propriedade e sem o conhecimento de qualquer dos envolvidos.

Desse modo, houve um gravíssimo descumprimento de ordem judicial, pois a vaga somente pode ser utilizada pela parceria Broder/Jumper. Não saindo essa parceria, não poderá sair nenhum outro bloco, isso por força de decisão judicial e de acordo assinado por todos os envolvidos, devidamente cientes e responsáveis. Informada do descumprimento, o MM.Juízo da 32º Vara Cível expediu na data de 25/01/2013 oficios para a Saltur e a Concar, informado da força da decisão e do acordo formulado em 2011, ainda em plena vigência até 2014.

Assim, hoje o interesse da Sra. Ivana Maturino Solon e de seus advogados, ambos detentores de 99% das cotas da empresa ED DEZ Produções e Eventos, é ceder essa vaga para desfile de um bloco afro ou bloco sem cordas, de modo a prestigiar o povo baiano  e ao mesmo tempo mostrar sua posição de jamais ratificar o ato imoral e ilegal cometido pelo Sr. Edilson Ferreira. Ordem judicial não se discute, se cumpre".

Publicada no dia 04 de janeiro de 2013, às 13h27


Classificação Indicativa: Livre