BNews Pet

Pesquisa aponta benefícios da companhia de animais contra depressão e ansiedade

[Pesquisa aponta benefícios da companhia de animais contra depressão e ansiedade]
09 de Junho de 2021 às 14:09 Por: Shutterstock Por: Redação BNews

Uma pesquisa conduzida por pesquisadores da Universidade de Toledo, nos Estados Unidos, apontou que um ano após a adoção de pets, os participantes do experimento tiveram uma redução significativa na depressão, ansiedade e solidão.  Os participantes foram recrutados através de uma iniciativa norte-americana que consegue casas para que cachorros de rua atuem como animais de apoio emocional, o Hope and Recovery Pet (HARP). 

Todos os voluntários eram de renda baixa, com transtorno mental crônico e que viviam sozinhos, e antes da adoção ser concretizada eles precisaram realizar um teste para comprovar as doenças.

Na análise, os pesquisadores também coletaram amostras de saliva para fazer a análise de três biomarcadores de estresse e de conexão: ocitocina, hormônio que é liberado durante interações de vínculo, cortisol, hormônio do estresse que aumenta risco de doenças, e alfa-amilase, enzima encontrada na saliva que pode indicar níveis altos de estresse.

Leia também
Estudo aponta que acariciar cães ajuda a diminuir altos níveis de estresse
Tratar cão e gato como bebê ou criança é prejudicial para saúde dos pets
Com solidão do isolamento social, especialistas recomendam adoção de pets na pandemia, mas apontam cuidados

Os participantes do estudo foram avaliados pelos cientistas após um mês, três meses, seis, nove e 12 meses, coletando amostras de saliva a cada visita e pedindo para que eles interagissem com o animal de suporte emocional por cerca de 10 minutos. E, após o fim da interação, novas amostras de saliva eram coletadas.

Depois de 12 meses completos de estudo, todos os participantes fizeram o mesmo teste psicológico para uma nova avaliação do bem-estar. O estudo concluiu que os voluntários apresentaram níveis menores de ansiedade e depressão depois de um ano de adoção de um animal, e também se sentiam menos solitários.

Em relação à análise dos três biomarcadores, os cientistas explicaram que não houve alteração significativa nos dados obtidos pela saliva, ainda que houvesse um padrão consistente de aumento da oxitocina e redução do cortisol. O estudo ainda deve ser o primeiro de muitos, e por enquanto os resultados não podem ser generalizados.

Confira a íntegra clicando aqui.

 

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar