Polícia

Acusados de executar assessor de Carballal são apresentados

[Acusados de executar assessor de Carballal são apresentados]
11 de Outubro de 2011 às 18:47 Por: Alessandro Isabel
A polícia apresentou na manhã desta terça-feira (11) no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) os quatro homens acusados de executar com dois tiros na cabeça, Luiz Alberto Mota Moura, 44 anos, que era assessor do vereador petista Henrique Carballal. O corpo da vítima foi encontrado no dia 22 de setembro, dois dias após ter desaparecido, na localidade de Baixinha do Retiro, no bairro São Gonçalo do Retiro, em Salvador.

As investigações apontam que ele foi vítima de sequestro relâmpago na Av. Barros Reis, próximo à Rótula do Abacaxi, cometido por Marcelo Jackson Peixoto Santos, 29 anos, Ronaldo Maurício Sena, 38, Ivan Matta dos Santos, 27 e Vandério de Jesus santos, 28.

De acordo com o delegado Márcio Alan, do DHPP, Vandérios foi quem executou o assessor. “Ele colocou a vítima para ficar de joelhos e atirou duas vezes na cabeça. Ele disse que Luiz estava olhando muito para o rosto dele”.

Segundo a delegada Francineide Moura, responsável pelas investigações, os bandidos permaneceram com o cartão de crédito da vítima realizando compras e saques por três dias. “Eles foram flagrados pelo sistema interno de câmeras de um supermercado realizando compras no valor de R$ 500, também realizaram saques na conta do assessor. Gastaram mais de R$ 3.000 da vítima”, disse a delegada.

Ainda segundo Francineide Moura, o quarteto é acusado de cometer outros delitos na região. “Ivan, Ronaldo e Vandério são bandidos de alta periculosidade que agiam principalmente na região da Barros Reis. Eles praticavam diversos crimes, e agiam de forma violenta. Após intensas investigações conseguimos elucidar mais esse crime”.

Durante as investigações a policia descobriu que Ivan e Vandério mataram um empresário dois dias após a morte do assessor. Jorge Luiz Abreu, proprietário de uma locadora de veículos, foi morto no Centro Industrial de Aratu (CIA), no dia 23 de setembro. O motivo seria uma divida que os dois teriam contraído com o empresário, que locava os veículos utilizados pela quadrilha para cometer os crimes.

Com a quadrilha a polícia encontrou a arma utilizada no crime, pertences da vítima, além do carro utilizado na ação criminosa. O veículo estava escondido em um prédio do Parque São Braz, no bairro da Federação.

O diretor da Delegacia de Homicídios, Arthur Gallas, disse que este é mais um crime que é elucidado pelo serviço de investigações e inteligência da Secretaria de Segurança Pública (SSP). “Dedicamos muitas noites para conseguir ter esse desfecho. Estamos apresentado para a sociedade este trabalho e tiramos bandidos de alta periculosidade das ruas”, finalizou.

Confira a galeria do Bocão News


Foto: Gilberto Júnior // Bocão News

* Matéria postadas às 12h13

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar