Polícia

Jovem de 19 anos é acusado de queimar ex-companheira de 21 com ácido e provocar queimaduras de 3º grau

[Jovem de 19 anos é acusado de queimar ex-companheira de 21 com ácido e provocar queimaduras de 3º grau]
11 de Janeiro de 2021 às 17:53 Por: Arquivo Pessoal Por: Yasmim Barreto

Um relacionamento que começou há cerca de três anos terminou com queimaduras de 3º grau, provocadas por ácido, em uma jovem de apenas 21 anos. Michele Santos Costa é mais uma vítima da violência de gênero, que teve partes de seu rosto, costas e pernas queimados após um ataque de seu ex-companheiro, de 19 anos, na última sexta-feira (8), dentro de casa, no bairro de Saramandaia, em Salvador. 

Ao BNews, a irmã da vítima, Maísa dos Santos Costa, de 26 anos, relatou que Michele teria deixado o portão de casa aberto e o homem entrou logo em seguida. “A gente pensou que ele tinha aceitado, mas depois começou a ir atrás dela, perseguindo, vindo aqui no bairro. Aí ela levou meu pai para o médico, quando retornou para casa, o cadeado ficou meio aberto, aí ele conseguiu entrar, entrou logo depois que ela chegou do médico e abriu uma garrafa de ácido e jogou nela”, relatou. 

Na ocasião, segundo Maísa, o acusado jogou o ácido na ex-companheira, em Maísa, na filha da irmã de Michele de 1 ano e 7 meses, na mãe das jovens e no cachorro da família. Contudo, as queimaduras foram mais leves.

“Foi um ‘mix’ de emoções, muito rápido, a gente só sentiu queimando ao mesmo tempo, todo mundo desesperado, a vizinhança ajudando para dar o socorro”, relembrou. 

Para a reportagem, Maísa contou que acredita que a motivação do crime foi a não aceitação do término do relacionamento. Segundo ela, a relação entre os jovens já mostrava um cenário de violência com discursões, brigas recorrentes e demonstrações de ciúmes, até que veio a primeira agressão física, ocorrida no dia 2 de janeiro de 2021, quando Michele decidiu romper com o acusado. 

Todavia, a vítima e os familiares decidiram não registrar o Boletim de Ocorrência na época. Entretanto, com uma maior gravidade e a jovem de 21 anos internada no Hospital Geral do Estado (HGE), os familiares devem recorrer a polícia para depor contra o homem. 

Procurada, a Polícia Civil disse que já investiga o caso.  

Apelo da família 

À reportagem, Maísa relatou que a família está preocupada com o estado de saúde de Michele. De acordo com ela, a unidade de saúde ainda não realizou a raspagem para tirar a pele morta e devem dar alta médica à jovem ainda hoje para aguardar a cirurgia em casa.

No entanto, a família teme pela saúde de Michele em razão da gravidade da queimadura e por ter hipertensão. Portanto, a irmã da jovem de 21 anos apela para que a realização da cirurgia.  

O BNews questionou a Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab) sobre o caso de Michele. Mas, a pasta afirmou que não pode divulgar informações sobre pacientes internados nas unidades. “Sugerimos que a família faça contato com o Serviço Social da unidade, para as devidas informações”.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar