Polícia

Mulher do policial acusado de matar Marielle é presa por tráfico internacional de armas

Reprodução / Redes Socais

A PF começou as investigações após a Receita Federal duvidar de uma encomenda com armas vinda China

Publicado em 18/07/2021, às 10h59    Reprodução / Redes Socais    Redação Bnews

Elaine Lessa, mulher do policial reformado Ronnie Lessa, apontado pela polícia como o executor da vereadora Mariela Franco, foi presa pela Polícia Federal (PF), na manhã deste domingo (18), por tráfico internacional de armas.

De acordo com informações do G1, policiais federais começaram as investigações após a Receita Federal duvidar de uma encomenda vinda de Hong Kong, na China.

No pacote, havia 16 quebra-chamas para fuzil AR-15, peça que serve para ocultar as chamas decorrentes de disparos de armas de fogo, de modo a não revelar a posição do atirador.

O pacote com as armas tinha como destino a Academia Supernova, que funcionava em uma comunidade do Rio, área controlada por milícias. Ronnie e Elaine eram sócios do estabelecimento.

Lessa

O juiz Carlos Eduardo Carvalho de Figueiredo, da 19ª Vara Criminal da Capital, condenou Lessa a quatro anos e seis meses de reclusão pela ocultação de armas usadas no assassinato de Marielle e de seu motorista, Anderson Gomes. 

Como o ex-PM responde também pelo assassinato, ele segue preso na penitenciária de segurança máxima de Porto Velho, em Rondônia, ao lado do ex-PM Élcio Queiroz, outro acusado pelas duas mortes.

Matérias relacionadas:

Caso Marielle: Justiça quebra sigilos fiscal e bancário de Ronnie Lessa e Élcio Queiroz

MPRJ anuncia substituto temporário para promotoras do caso Marielle

Fux promete que vai dar agilidade a julgamento de caso Marielle Franco

Classificação Indicativa: Livre