Polícia

Menino de 12 anos ajudou a matar padre

Divulgação / Ascom - Polícia Civil

O pároco foi morto a golpes de facão e a pauladas

Publicado em 11/03/2013, às 19h25    Divulgação / Ascom - Polícia Civil    Redação Bocão News (Twitter: @bocaonews)

Rodrigo Gabriel da Silva Souza, de 18 anos, e um garoto de 12 anos confessaram, nesta segunda-feira (11), a autoria do assassinato do padre Raimundo Reinan Vallente, de 53 anos, pároco da cidade de Angical, morto a golpes de facão e a pauladas, na noite de domingo (10), no quintal da casa paroquial, naquele município. Preso em flagrante no Distrito de Roda Velha, em São Desidério, quando tentava vender o veículo Corsa Sedan, de cor prata, placa NYI-1872, pertencente à igreja, Rodrigo e o comparsa pré-adolescente foram interrogados pelo delegado Carlos Roberto de Freitas, titular da 2ª Delegacia Territorial de Barreiras (DT), no final da tarde.

Procedente do estado de Goiás, Rodrigo informou que frequentava a residência do padre há algum tempo e, segundo apurou a polícia, ele tinha, inclusive, acesso ao controle remoto do portão da garagem, possivelmente utilizado para entrar no imóvel, em companhia do garoto de 12 anos e de um segundo comparsa – um adolescente de 17 anos, natural de Barreiras, que é procurado. Depois de consumir bebida alcoólica em uma festa próxima, ele uniu-se aos comparsas e atacaram o pároco da cidade de Angical, enquanto este dormia.

Atingido por uma pedra na cabeça, Raimundo Reinan despertou, atordoado, mas conseguiu fechar a porta do quarto, posteriormente arrombada pelos criminosos. Armados com um facão e uma faca, eles passaram a golpear a vítima, que correu para o quintal da casa, morrendo em consequência das agressões. Rodrigo e o cúmplice, de 17 anos, fugiram levando o veículo, enquanto o menino deixava o imóvel a pé. A carteira do padre, com documentos pessoais e certa quantia de dinheiro, também foi subtraída.

São Desidério

Ao perceber que o Corsa Sedan oferecido por Rodrigo trazia um adesivo da diocese e a documentação em nome da Paróquia de Angical, o homem ao qual Rodrigo ofereceu o veículo acionou um guarnição da Polícia Militar. Detido pelos PMs, o goiano foi conduzido para a Delegacia de Barreiras, onde também já estava o menino de 12 anos apreendido.

O delegado Carlos Roberto, que também responde pela Delegacia de Angical, autuou Rodrigo em flagrante por latrocínio, mantendo-o custodiado na carceragem da 2ª DT/Barreiras. Seu cúmplice, de 12 anos, foi apreendido em flagrante, pelo ato infracional correspondente ao crime de latrocínio. Ele será apresentado a Ministério Público.

Classificação Indicativa: Livre