BNews Pet

Ex-vereadora é alvo de inquérito que apura furto de animais; ela nega

[Ex-vereadora é alvo de inquérito que apura furto de animais; ela nega]
08 de Abril de 2021 às 17:17 Por: Arquivo BNews Por: Redação BNews

A delegada da Central de Flagrantes, em Salvador, instaurou um inquérito para apurar crime de furto qualificado supostamente cometido pela ex-vereadora Ana Rita Tavares no último domingo (3). Ela é acusada de, após registrar um boletim de ocorrência sobre caso de maus tratos à animais, ter subtraído da unidade sete cães e três jabutis.

Os animais teriam sido vítimas de violência. "Ana Rita Tavares subtraiu sorrateiramente desta unidade os animais", relata a delegada Mônica Suely Piropo em documento da última segunda-feira (4). Segundo o relato, os bichos chegaram à unidade por volta das 18h19 do dia anterior, trazidos por policiais militares da 18ª CIPM.

Outros três agentes em plantão na unidade durante o episódio surgem no documento ao qual a reportagem teve acesso como testemunhas. Em entrevista ao BNews, o comandante Emerson França, da Brigada K9 do Corpo de Bombeiros, contou que, antes do ocorrido, o grupo havia sido acionado sobre uma denúncia de maus tratos aos cães e jabutis.

Ele lembra que orientou os denunciantes sobre a necessidade de haver vídeos da situação, para que ocorresse o deslocamento de uma equipe - pois, sem uma prova irrefutável, a intervenção no imóvel suspeito só pode ser feita mediante apresentação de um mandado. 

França afirma que, posteriormente, foi contactado com a informação de que o problema havia sido resolvido, e que Ana Rita havia ido ao local. "Achei estranho. Quando foi de noite, que recolhi minha equipe e estamos na base dos bombeiros, me liga a delegada da Central de Flagrantes", narra.

A delegada estava na linha explicando que precisava de apoio do K9 para realizar o transporte, manuseio e manejo dos animais que haviam chegado ao local com uma guarnição policial, acompanhada por uma senhora, para fazer uma denuncia de maus tratos.  

Os animais seriam submetidos a perícia técnica, para constatar o crime, e a K9 auxiliaria no processo.

"Quando estou terminando de chegar na delegacia, tô vendo um corre-corre, 'pega ela!' [...] Ana Rita, depois de ter feito tudo na delegacia, passado a tutela dos animais para o Estado e para nós realizarmos a perícia, fugiu da delegacia pegando o registro de ocorrência da mesa da delegada e os animais", lembra. Ele acrescenta que os animais ainda não foram localizados.

Em contato com o BNews, Ana Rita Tavares afirmou que levou os animais da delegacia para receberem atendimento veterinário de urgência, devido aos maus tratos.

"A delegada, ilegalmente, não permitiu que os animais fossem ter atendimento veterinário. Era a obrigação dela (da delegada), o dever dela, como se faz com os humanos que chegam necessitando de socorro. Os animais também são protegidos constitucionalmente. Não poderiam ficar lá sem atendimento veterinário [...] O que eu fiz foi dar socorro ao animal", declarou.

"Ficamos de 17h30 até 22h com os animais doentes na porta da Central de Flagrantes, e eu pedindo a eles que liberassem pra que os animas recebessem atendimento [...] Para a minha surpresa, a delegada demonstrou total desconhecimento de como lavrar o flagrante", afirmou a ex-veradora e advogada de entidades de proteção animal

De acordo com Ana Rita, uma denúncia sobre a atuação da delegada da Central de Flagrantes foi feita à Corregedoria da Polícia Civil (Correpol), além de uma representação junto ao Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA).

À reportagem, a Polícia Civil confirmou o registro da queixa contra a autoridade policial por "falta de urbanidade e demora no atendimento na formalização da ocorrência referente aos maus tratos contra os animais". A denúncia está sendo apurada.

Segundo a nota, na Central de Flagrantes, a delegada solicitou a colaboração de uma equipe de bombeiros civis para encaminhar os animais para uma clíncia veterinária e fosse feita a perícia técnica, "contudo, enquanto a equipe era aguardada, a denunciante subtraiu os animais, sendo instaurado inquérito para apurar a prática realizada pela mulher".

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar