Cidades

Familiares de desaparecidos em Serrinha cobram resposta das autoridades de segurança

[Familiares de desaparecidos em Serrinha cobram resposta das autoridades de segurança]
09 de Junho de 2021 às 19:23 Por: Reprodução/Calila Notícias Por: Redação BNews

O desaparecimento de três homens no município de Serrinha, a cerca de 185 Km de Salvador, segue sem solução por parte das autoridades de segurança. Os casos, que aconteceram em outubro do ano passado, ganharam repercussão nos principais meios de comunicação da Bahia. Uma reunião entre familiares dos desaparecidos com o então delegado Geral do Estado da Bahia, Berdardino Brito Filho, aconteceu no dia 3 de dezembro de 2020.

Segundo reportagem do site Calila Notícias, na manhã desta quarta-feira (9), Eliene de Souza Santana, mãe de Jeorge Santana Ferreira, e Lúcia de Oliveira Lima, irmã de Marlon Oliveira, procuraram o site para lembrar as autoridades do desaparecimento e pedir empenho aos órgãos competentes. 

Eliene disse que já sabe que Jeorge está morto, tem pistas onde o corpo pode ser encontrado e inclusive já relatou isto para a polícia, mas que continua sem uma resposta. “Fui informada e me disseram que é pra resolver logo, pois, pode ser que tirem do local”, contou a mãe do jovem que desapareceu em 24 de outubro de 2020 depois de participar de uma carreata política.

Ainda de acordo com o site, Lúcia de Oliveira, irmã de Marlon que também está desaparecido, participou de todas reuniões com autoridades policiais. Segundo ela o irmão desapareceu em 1º de outubro do ano passado. "A gente quer achar ele vivo ou o corpo pra gente enterrar. Diferente do caso de Eliene, a gente não tem nenhuma informação sobre meu irmão, não tem pista nenhuma, mas a gente continua correndo atrás pra ver se consegue alguma coisa”, relatou.

O Calila Notícias diz ainda que além de Eliene e Lúcia, Patrícia, mãe de Lucas, vive a mesma angustia depois do seu desaparecimento também no mês de outubro do ano passado. Em 25 de maio, ou seja, há duas semanas a Polícia prendeu um suspeito de matar Jeorge, “os investigadores apontaram que ele teria sido morto cruelmente, com golpes de madeira, e enterrado em uma fazenda na zona rural desta cidade. Foram realizadas buscas nos locais apontados, mas o corpo ainda não foi achado”, relatou o delegado Michael Alves à reportagem.


 

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar