Polícia

Mulher que matou os dois filhos implorou para morrer

Imagem Mulher que matou os dois filhos implorou para morrer

A mulher matou os dois filhos a facadas e depois cortou os pulsos

Publicado em 15/01/2022, às 15h48        Redação BNews

A mulher que matou os dois filhos, no último dia 10, após se desentender com o marido, pediu para que policiais a deixassem morrer. Stephani Ferreira Peixoto, de 35 anos, esfaqueou os filhos de 6 e 3 anos e, logo em seguida, cortou os pulsos. O crime aconteceu na cidade de Guapimirim, no interior do Rio de Janeiro. 

De acordo com informações do jornal Extra, era por volta das 14h, quando três policiais foram chamados por um morador da região onde o crime aconteceu para atender a ocorrência.

Na residência da família, os agentes encontraram sangue espalhado pelas paredes da sala. A mulher estava ao lado do sofá com os pulsos cortados. Ao avistar os agentes, a mãe apontou para um dos quartos da casa onde estavam os corpos dos filhos sobre uma cama. “Matei os meus filhos, deixa eu morrer”, teria dito Stephani.

Os médicos do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) foram acionados e mobilizaram a mulher, que foi levada até uma unidade de saúde para cuidar dos ferimentos causados no pulso. 

Desespero

Ainda de acordo com o jornal Extra, o marido e pai das crianças estava na calçada de casa, sentado e desesperado. Mais tarde, quando ouvido em uma delegacia, o homem, identificado como Carlos Leonardo da Silva, de 38 anos, contou que vivia há 15 anos com Stephani, com quem teve três filhos. Além dos meninos mortos, o casal tem um adolescente.

Em seu depoimento, o pai disse que, no último dia 7, os cinco estavam em casa, quando a agressora disse que iria ao mercado de carro. Ele contou ter se oferecido para saírem juntos com os filhos a fim de darem um passeio, mas que ela não aceitou.

Ele disse ainda que ao retornar para casa, Stephani o agrediu de “forma gratuita”, com socos, tapas e pontapés e que, para se defender, a segurou para afastá-la. 

No fim de semana anterior à tragédia, Carlos contou que enviou uma mensagem de texto no WhatsApp dizendo que queria ver os filhos. Ainda segundo o depoimento dele, a mulher respondeu que o pai só veria as crianças na Justiça. Na segunda, dia 10, ele pretendia ver um advogado, mas recebeu uma ligação dela em que anunciava ter matado as crianças.

A Justiça decretou a prisão preventiva de Stephani que, agora, está internada em um hospital psiquiátrico. Os laudos cadavéricos e os exames toxicológicos recebidos pela Polícia Civil, e que serão anexados ao inquérito, comprovam que ela não dopou os filhos antes de desferir os golpes  e matá-los. 

Siga o BNews no Google Notícias e receba os principais destaques do dia em primeira mão!

Classificação Indicativa: Livre