Polícia

Polícia detalha apreensão de 16 t de maconha na Bahia

[Polícia detalha apreensão de 16 t de maconha na Bahia]
27 de Dezembro de 2011 às 08:40 Por: Patrícia Costa 0comentários


 

Como resultado de uma mega operação deflagrada entre os dias 21 e 24 de dezembro, cumprindo mandados judiciais de busca e apreensão, as equipes do Departamento de Repressão ao Narcotráfico (Denarc), Companhia de Operações Especiais (COE), 14ª Coordenadoria de Polícia do Interior (Coorpin) e Polícia Militar divulgaram na tarde desta segunda-feira (26), na sede do COE, em São Cristóvão, detalhes da apreensão de mais de 16 toneladas de maconha pronta para consumo e 500 gramas de haxixe que iriam abastecer pontos de tráficos em Salvador e Litoral Norte durante o verão e o período do Carnaval 2012.
 


A maconha, que foi encontrada acondicionada em 3 mil sacos, era cultivada em três fazendas localizadas em Cafarnaum, povoados de Alecrin e Queimadas, e Canarana, povoado de Mato Verde. Nas fazendas localizadas em Carfarnaum foram encontradas plantações com mais de dez mil pés da droga, que foram destruídas pela polícia. Sobre a apreensão da droga, considerada a maior já realizada no nordeste brasileiro, o delegado Jorge Figueiredo Júnior, diretor do Departamento de Repressão ao Narcotráfico (Denarc), afirmou: “muitas vidas foram poupadas, muitas famílias deixaram de ser desestruturadas com essa apreensão”. A distância entre as fazendas duram cerca de 40 minutos, segundo ele.

Foram apreendidos ainda prensas industriais, bombas de irrigação, sementes e ferramentas, além de um Gol e uma motocicleta.
"No estado da Bahia com certeza não temos registro desse consumo apreendido de uma vez só em uma única operação", disse o delegado geral da Polícia Civil da Bahia, Hélio Jorge Paixão, que informou ainda que o local era de difícil acesso que foi preciso uso de equipamento aéreo.

 


 

Foi preso na operação o caseiro José Marcos Rodrigo dos santos, 33, da fazenda Boa Nova, que fica em Alecrin. O acusado foi autuado em flagrante por tráfico e está na 14ª Coorpin, em Irecê. Já os proprietários das fazendas, cujas identidades ainda são ignoradas, ao perceberem a aproximação dos policiais fugiram pela vegetação de Caatinga. 

O diretor do Denarc acredita que a quadrilha é formada por cerca de 18 a 20 homens, e boa parte dela é procedente de outros estados. Para camuflar a droga, eles usavam uma lona preta, galhos e folhas. Ainda segundo o delegado Joge Figeuiredo, 30% da droga estava enterrada nas roças.

"O acampamento deles tinham características de guerrilheiros. Alimentação das mais variadas possíveis, fardos de gilete, sabão em pó, roupas diversas, muita rapadura e cachaça", conta o dietor do Denarc, que acredita que a quadrilha já estavam no local há cerca de quatro a cinco meses.

O Diretor Geral do Departamento de Polícia Técnica, Elson Jerferson, disse que o que chamou atenção na apreensão foi a grande quantidade de haxixe encontrada junto a 16 toneladas de maconha no estado. "Todo verão tem apreensão de haxixe na Bahia, mas como essa foi a primeira vez que encontramos. Até porque a droga é mais utilizada na Europa", afirma.

Caso fosse comercializada, a droga apreendida renderia cerca de R$ 8 milhões. O material apreendido foi analisado e aguarda ordem judicial para ser destruído. 

Fotos: Gilberto Júnior - Bocão News
Nota publicada às 16h do dia 26

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Leia os termos de uso

jusnews

Na Sombra do Poder

Eduardo Entrevista

Mais Lidas