Justiça

Procurador que espancou chefe foi afastado por sete meses por problemas com colegas

Montagem BNews

O procurador foi detido em um hospital psiquiátrico; ele continua detido

Publicado em 26/06/2022, às 11h02    Montagem BNews    Redação BNews

O procurador Demétrius Oliveira de Macedo, de 34 anos, que espancou a chefe com socos e pontapés, já havia pedido exoneração do cargo e deixado as funções em 25 de novembro de 2020 justamente por ter problemas de relacionamento com as colegas. Ele ficou afastado por cerca de sete meses.

A informação foi confirmada pela prefeitura de Registro, no interior de São Paulo, ao portal G1. Segundo a gestão, quando solicitou o afastamento, o procurador relatou dificuldades no convívio com a equipe da procuradoria. Disse ainda que sofria assédio moral da chefe, a procuradora-geral, Gabriela Samadello Monteiro de Barros, de 39 anos – a vítima das agressões.

Leia também:

Ainda conforme a prefeitura, o procurador retornou ao cargo por decisão da Justiça, no dia 28 de junho de 2021. Ele permaneceu exercendo a função até o dia em que agrediu a procuradora-geral. A agressão teria sido motivada por um processo administrativo aberto por Gabriela contra o servidor por mal comportamento em relação aos demais colegas de trabalho.

O agressor segue preso desde a última quinta-feira (23) quando passou por uma audiência de custódia. Nesse mesmo dia, ele foi detido em um hospital psiquiátrico, em Itapecerica da Serra, também no interior de São Paulo.

Com a prisão do servidor, a procuradora diz que, agora, se sente mais segura. Em relato feito para TV Tribuna, a procuradora relevou também que tem recebido muitas mensagens de apoio. "Tem me dado forças para expor essa situação, para poder encorajar cada vez mais pessoas a fazerem o mesmo, e, assim, a gente mudar esse pensamento machista e patriarcal que a gente vive na sociedade hoje", disse.

Siga o Tiktok do BNews e fique por dentro das novidades.

Classificação Indicativa: Livre